'Roma' e 'Bohemian Rhapsody': da beleza à mediocridade

Crítica por Eduardo Cabanas (Twitter: @edu_dc)

"Roma", Direção: Alfonso Cuáron (Foto: Carlos Somonte - Divulgação - Netflix)
Alfonso Cuarón é realmente um cineasta muito especial. Difícil imaginar alguém tão versátil, que numa mesma vida tenha realizado obras como "E Sua Mãe Também", "Gravidade", "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban" e "Filhos da Esperança". Todas tão diferentes entre si, mas ao mesmo tempo tão complementares. Se nas últimas, Cuarón se entregou ao seu lado fantasioso, agora em "Roma" ele busca a realidade, recorrendo à sua terra natal e suas memórias de infância. 
"Roma" é afinal de contas uma colagem entre lembranças e histórias, mas também de fragmentos dos dias atuais. Em cada segundo da expressiva fotografia em preto e branco, conseguimos ver momentos do passado e vislumbres do presente, sempre em reflexo com a construção da sociedade mexicana. Embora se perca pontualmente em alguns tangentes desnecessárias, o diretor (neste caso "Autor") se recupera ao encontrar no prosaico uma poesia sem igual, dando a seus personagens um desfecho merecido e que aquece o coração de qualquer pessoa com um mínimo de empatia.

Nota: 4/5 (Muito Bom)

Mais informações:
- Elenco, fotos e ficha técnica completa: www.imdb.com/title/tt6155172
- Distribuidora: Netfllix

"Bohemian Rhapsody", Direção: Bryan Singer (Foto: Divulgação - Fox Film do Brasil)
Olhando com cuidado a lista do Oscar, dá uma séria impressão que a Academia embutiu a moribunda (e péssima) ideia do "Melhor Filme Popular" na categoria principal da premiação. Ou então sucumbiu ao maior fenômeno de lobby de campanha da história de Hollywood. Afinal só mesmo condições adversas a méritos artísticos conseguiriam explicar a bizarrice que é "Bohemian Rhapsody" aparecer entre os indicados a "Melhor Filme". 
Embora tenha alguns pontos positivos, como a ótima recriação do Live Aid e as caracterizações dos membros da banda, o filme parece não conseguir escapar do mar de mediocridade que o roteiro o impõe. Sendo seu principal problema a dúvida se vai contar a história pessoal de Freddie Mercury ou do Queen como um todo, resultando numa narrativa confusa que não faz bem nem uma coisa, nem outra. Prejudicado ainda por uma montagem desordenada e diversas passadas de pano em momentos chaves, "Bohemian Rhapsody" soa como uma oportunidade desperdiçada, servindo no máximo como um karaokê barato. O Queen, por todo seu legado e contribuições para música moderna, merecia muito mais. 

Nota: 2/5 (Regular)

Mais informações:
- Elenco, fotos e ficha técnica completa: www.imdb.com/title/tt1727824
- Distribuidora: Fox Film do Brasil

Sobre o autor: Eduardo é produtor cultural, cinéfilo, viciado em séries, nerd nas horas vagas e autor do blog de viagens Player 1 Viajante: www.player1viajante.com
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!