'Green Book: O Guia': entre a omissão e a leveza

Crítica por Eduardo Cabanas (Twitter: @edu_dc)

"Green Book: O Guia", Direção: Peter Farrelly (Foto: Universal Pictures e Diamond Films - Divulgação)
Não há mal algum em filmes "good-vibes", que apostam numa abordagem universal e inofensiva. "Green Book: O Guia" é exatamente isso, uma obra calculada para agradar a todos, sem maiores pretensões. Por trás da trama, um motorista racista que se vê empregado por um pianista negro, o roteiro até acha espaço para alguns debates sociais, mas parece não se preocupar muito em aprofundá-los.

O foco dos roteiristas, Nick Vallelonga, Brian Currie e Peter Farrelly (que também dirige), é mesmo a relação entre os dois personagens principais, indo da inicial indiferença (quase desprezo) até a esperada redenção. E não, não tem nenhum spoiler aqui: qualquer um que já tenha visto meia dúzia de filmes sobre amizades improváveis, sabe muito bem o que vai acontecer com menos de 20 minutos de projeção. 

(Foto: Universal Pictures e Diamond Films - Divulgação)
Não que a previsibilidade tire o brilho do resultado final. A graça de um projeto como este é justamente se concentrar nos elementos que constroem a fundação da inesperada amizade. E neste ponto "Green Book" não decepciona: Viggo Mortensen e Mahershala Ali protagonizam alguns momentos maravilhosos, na medida certa entre o realismo e a caricatura. Vê-los conversar, cada um com seus absurdos, é um prazer enorme, ainda que a trama em si dê certas fraquejadas. 

Farrelly parece dedicado em seguir um outro guia: o de "Como garantir uma indicação ao Oscar", cujas principais leis são "NÃO DESAGRADE NINGUÉM" e "NÃO EXIJA MUITO DOS VOTANTES". Afinal, mesmo abordando uma época de seríssimas lutas raciais, o diretor opta por tangenciar o tema, sem abrir brechas para o produto soar panfletário ou muito pesado (lembram da lei de não desagradar ninguém?). Há quem ache isso bom, há quem ache ruim. Esta talvez seja a maior diferença com o colega de categoria "Infiltrado na Klan". Onde "Green Book" se omite e revela timidez, Spike Lee investiga com classe e ferocidade, sem perder a eficiência narrativa. Mas novamente, não tem nada de errado com um filme leve e acessível. Vamos ver quem a Academia vai preferir este ano.

Nota: 4/5 (Muito Bom)

Mais informações:
- Elenco, fotos e ficha técnica completa: www.imdb.com/title/tt6966692
- Distribuição: Diamond Films

Sobre o autor: Eduardo é produtor cultural, cinéfilo, viciado em séries, nerd nas horas vagas e autor do blog de viagens Player 1 Viajante: www.player1viajante.com
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!