Festival do Rio 2018 #2: 'Sem Rastros', 'O Favorito' e 'Kusama'

Por Eduardo Cabanas (Twitter: @edu_dc)

4) Sem Rastros (Leave No Trace, EUA, 2018), direção: Debra Granik
(Foto: Divulgação)
"Sem Rastros" toma uma decisão muito corajosa: não nos explica quase nada sobre os protagonistas. Sabemos apenas o que vemos no presente, sem monólogos interiores, flashbacks ou explicações do passado. Aqui e ali dá para pescar algumas referências, mas no geral não é a intenção do roteiro, que prefere estudar a situação muito específica dos dois personagens.
Neste sentido, por mais que algumas lacunas sejam sentidas, recebemos o suficiente para nos envolver com a dupla de pai e filha formada por Ben Forster e Thomasin McKenzie. Embora o drama por trás da narrativa seja omitido, a trama é construída com tanto cuidado e carinho que o filme se revela um projeto extremamente imersivo. A diretora Debra Granik (do ótimo "Inverno da Alma") conta sua história com calma, investindo em silêncios e câmera sempre suave. O elenco é ótimo, em especial a jovem Thomasin McKenzie, que se mostra uma poderosa revelação. Nota: 4/5 (Muito Bom)

5) O Favorito (The Front Runner, EUA, 2018), direção: Jason Reitman
(Foto: Divulgação)
Depois de anos investindo em dramédias mais íntimas, Jason Reitman retoma para tramas políticas. "O Favorito" faz uma análise bem interessante sobre os bastidores de uma pré-campanha presidencial nos Estados Unidos e como a imprensa se encaixa em tudo isso. O mergulho no assunto não é exatamente profundo, mas funciona bem o suficiente para prender a atenção do espectador e passar informações de forma acessível. Reitman acerta ao trazer diálogos sempre ágeis, cheios de irreverência, o que denota uma naturalidade muito apropriada ao projeto. Ao mesmo tempo, deixa seu excepcional elenco brilhar com planos e falas afiadas, sempre enriquecendo o resultado final. Não diria que está entre os melhores trabalhos do diretor canadense, mas com certeza faz justiça à sua próspera carreira. Nota: 4/5 (Muito Bom)

6) Kusama - Infinito (Kusama - Infinity, EUA, 2018), direção: Heather Lenz
(Foto: Divulgação)
Documentário curto e direto sobre a carreira da artista plástica Yayoi Kusama, que remonta sua trajetória desde a infância até o tardio reconhecimento internacional. O filme se utiliza de entrevistas e imagens de arquivo para investigar os momentos chaves da vida da artista, acertando ao preservar sua memória ao mesmo tempo que não foge dos episódios mais duros ou polêmicos. A eficiência narrativa é tamanha que consegue encantar qualquer um, seja leigo, fã ou desinteressado por artes. Impossível passar pelos 85 minutos de projeção sem começar a admirar Kusama e suas obras expressivas e transgressoras. Nota: 4/5 (Muito Bom)

Sobre o autor: Eduardo é produtor cultural, cinéfilo, viciado em séries, nerd nas horas vagas e autor do blog de viagens Player 1 Viajante: www.player1viajante.com
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!