'Os Incríveis 2': uma aula de super-heróis e animação

Crítica por Eduardo Cabanas (Twitter: @edu_dc)

"Os Incríveis 2", Direção: Brad Bird (Foto: Divulgação - Disney/Pixar)
Tem sempre aquele momento que alguma coisa estala dentro de nós e a gente percebe que vai se apaixonar por um filme. Não sei explicar, nem se quer prever, mas sei reconhecer. É um misto de calor, reconhecimento e sensações, que nos transporta pra uma lugar seguro e especial. "O Incríveis 2" é um desses filmes que traz tudo isso. E ainda vem com um fator a mais: a lembrança calorosa de um mundo que há 14 anos deixava saudades.

Não é sempre que dá para elogiar a Pixar, hoje seus projetos não são mais sinônimos de excelência como já foram. Quando ela decide investir em continuações, a situação fica ainda mais incerta. Se por um lado ganhamos dois ótimos "Toy Storys" e um simpático "Carros 3", por outro fomos importunados pelos bobinhos "Universidade Monstros", "Carros 2" e "Procurando Dory". Felizmente, a nova aventura da família Pêra (amo essas traduções) não só acrescenta imensamente ao filme original, como se estabelece sem dificuldades como uma das grandes produções da Pixar Animation Studios.

(Foto: Divulgação - Disney/Pixar)
Brad Bird, retomando ao posto de diretor e roteirista, acerta em cheio na história, sem cair na enorme armadilha de apenas repetir o que já havia dado certo. A trama segue um rumo diferente, com troca de protagonismo, novas temáticas sociais e oportunidades inusitadas de sequências de ação. Em paralelo, os avanços técnicos indiscutíveis do cinema de animação abre possibilidades inacreditáveis para a visão de Bird: tanto em momentos bombásticos, quanto em outros intimistas, que parecem mais reais e humanos do que nunca.

Mas o fascinante de "Os Incríveis 2", assim como o primeiro, é seu talento de fazer comentários sobre a sociedade e a espécie humana, através do olhar externo de super-heróis. Quase como uma anedota, a família de pessoas excepcionais tem que se adequar à nossa realidade, sofrendo por consequência os mesmos dilemas que nos fazem tão falhos. Então não é de se estranhar que mesmo entre os Incríveis, a gente reconheça alguns dos maiores problemas do nosso dia a dia. A mudança de protagonismo de Beto (Bob, no original) para a Mulher-Elástica traz também toda uma discussão que reflete a desigualdade profissional entre homens e mulheres, assim como a estranheza (errada) de se ver um pai tendo que assumir as tarefas domésticas no lugar da esposa.

Essa riqueza de conteúdo torna "Os Incríveis 2" uma obra madura, humana e especial, que dá orgulho ao legado da Pixar, se destaca dentro do já saturado subgênero de super-heróis e não foge da responsabilidade de trazer temas relevantes. Um filme completo que sabe ser engraçado o tempo todo, emocionante quando necessário e que tem como único defeito o fato que eventualmente chega ao fim.

Nota: 5/5 (Excelente)

Mais informações:
- Elenco, fotos e ficha técnica completa: www.imdb.com/title/tt3606756
- Distribuidora: Disney

Sobre o autor: Eduardo é produtor cultural, cinéfilo, viciado em séries, nerd nas horas vagas e autor do blog de viagens Player 1 Viajante: www.player1viajante.com
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!