Pearl Jam faz show memorável para 50 mil fãs no Maracanã


Por João Guerra

Pearl Jam cantou para 50 mil pessoas no Maracançã (Foto: Marcos Ferreira/Divulgação)

Numa noite memorável, a banda americana de grunge Pearl Jam lavou a alma dos fãs que encheram o Maracanã, no Rio de Janeiro, na noite de quarta-feira (21). Segundo a organização do show, 50 mil pessoas conferiram de perto a apresentação da turnê Live 2018. Eddie Vedder conduziu com maestria e simpatia a noite, começando com “Release”, seguido por "Low light" e ”Elderly woman behind the counter in a small town”.

Na quinta música, Vedder conversou com a plateia em português: "Uma garrafa grande para um grande show", disse ele, enquanto segurava uma garrafa de vinho. "Estamos felizes por voltarmos ao Maracanã. Sentimos saudades. Adoramos o Brasil e também adoramos tocar para vocês”. Seguia ele enquanto o Maracanã vibrava com o papo informal e sincero.

(Foto: Marcos Ferreira/Divulgação)

Ponto alto
Um dos pontos altos da noite foi com o super hit “Jeremy”, onde o nosso headband desce para cantar mais próximo da platéia e é ovacionado. A canção retrata a tragédia do adolescente Jeremy Wade Delle, que aos 15 anos de idade cometeu suicídio dentro da sala de aula e em frente aos seus colegas de escola, em 8 de janeiro de 1991. Eddie quando leu sobre o ocorrido, decidiu escrever a canção e esta se tornaria uma das mais famosas músicas da banda.

Outro momento marcante foi a homenagem à banda Red Hot Chilli Peppers, com “Wishlist”. Ainda teríamos um pouco depois a presença de Chad Smith, baterista da banda para uma participação na canção "Can't deny me” que fará parte do novo álbum de Pearl Jam, que será lançado ainda este ano. A letra traz uma dura crítica ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump: “Não é bom ter um líder ruim. O povo deve ser o líder”, diz Eddie antes de colocar uma máscara do presidente.

(Foto: Marcos Ferreira/Divulgação)

Na segunda parte do show tivemos o agradecimento da banda pelo bom comportamento da platéia e pela ausência de brigas. Este emblemático agradecimento se deve à tragédia vivida pela banda em 30 de junho de 2000, onde nove pessoas morreram esmagadas durante o show do Pearl Jam no Festival de Roskilde, na Dinamarca.

Emoção
E finalmente, após mais de 2h de show, temos “Black” e a emoção tomou conta do lugar. Em seus versos, a canção fala do lamento de um homem que perdeu a mulher que amava e a platéia acompanhou em coro e em choro: "I know someday you'll have a beautiful life /I know you'll be a star / In somebody else's sky / But why can't it be mine?".

Vedder voltou a conversar com o público e foi direto com as mulheres: "A próxima canção é para todas as mulheres fortes de nossas vidas. Mães, filhas, irmãs e namoradas. Só os homens fracos não apoiam as mulheres. Esta música é para os homens que são fortes o bastante e que ajudam na luta pela igualdade". E entra com "Living here", canção da banda The Who. Ainda tivemos o hino "Rockin' in the free world", de Neil Young e "Yellow ledbetter" encerrando a apresentação de ontem.

(Foto: Marcos Ferreira/Divulgação)

Sem dúvidas, para quem foi esta noite foi memorável, inesquecível, inebriante. Para quem não pôde e ficou com ainda mais vontade, a banda se apresentará neste final de semana, dia 24, no festival Lollapalloza, em São Paulo. 

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!