Phil Collins faz show sentado e emociona 42 mil fãs no Maracanã

(Foto: Marcos Hermes/Divulgação)

Foi em clima de nostalgia que Phil Collins apresentou sua turnê “The Legendary Phil Collins Live”, na noite de quinta-feira (22), no Maracanã, no Rio de Janeiro. Essa é a primeira vez que o cantor se apresenta em carreira solo no Brasil. A sua última passagem pelas terras tupiniquins foi em 1977, quando tocou com sua antiga banda, “Genesis”. Aos 67 anos, Collins ainda apresenta sinais de uma lesão de uma das vértebras do pescoço durante a última turnê do Genesis, em 2007. Durante todo o show, ele se apresentou sentado numa cadeira e andava com auxílio de uma bengala.

Por conta do incidente de 2007, ele perdeu parte da sensibilidade das mãos. Desde então, não pode mais tocar piano e precisou se afastar da bateria, seu instrumento de formação. Apesar das limitações físicas, Phil Collins fez uma apresentação emocionante no Rio de Janeiro. Agora, segue para São Paulo com duas apresentações no Allianz Parque e realiza o último show em Porto Alegre, no dia 27.

O show de abertura ficou sob responsabilidade do Pretenders, que esquentou o público com os seus hits que atravessam a ponte entre o punk, a new wave e o POP. Phil Collins reuniu 42 mil pessoas em um show com muita dança e uma setlist recheada de sucessos. Seu filho Nic, com apenas 16 anos, demonstrou sua desenvoltura na bateria, instrumento de grande importância para o britânico que sempre tocou bateria e era responsável no seu antigo grupo Genesis.

(Foto: Marcos Hermes/Divulgação)

Fazendo jus à pontualidade britânica, Collins entrou no palco exatamente às 21h30 ao som de "Another day in paradise". A canção do álbum "...But seriously", de 1989, teve o refrão cantado com força pelo público. Sucessos do Genesis também estavam no setlist. A apresentação de hits da banda começa com "Throwing it all away", sétima faixa do álbum "Invisible touch", de 1986 – do ponto de vista comercial, o mais bem sucedido do grupo. Logo em seguida, foi a vez de "Follow you, follow me", nona canção de "...And then there were three...", de 1978.

Em sua versão original, "Easy lover" foi apresentada já na parte final do show, seguida por "Sussudio". Esta última, graças a uma colorida explosão de confetes e serpentinas vindas do palco, ganhou improvável sabor carnavalesco. Para fechar a noite, Collin apresentou a já tradicional "Take me home". Em seguida, ele agradeceu o público e deixou o palco com visível dificuldade para andar. Porém, a voz e o carisma de Collins continuam os mesmos, e ajudaram a criar ainda mais o clima de nostalgia.

(Foto: Marcos Hermes/Divulgação)

Lenda viva
Com vendas superiores a 100 milhões em seu nome, álbuns que ocuparam a primeira posição em países pelo mundo afora e músicas que foram trilhas sonoras de milhões de vidas, Phil Collins é uma lenda viva cujo trabalho tem recebido aclamação crescente, uma vez que toda uma nova geração de artistas tem descoberto e se inspirado em sua carreira notável.

Phil retornou à música ao se apresentar ao vivo em um evento para sua própria Little Dream Foundation no ano passado, antes de cantar dois de seus maiores sucessos na abertura do US OPEN – Aberto de Tênis dos EUA – em Nova York, em agosto, o que acabou por inspirá-lo a anunciar sua primeira turnê em uma década.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!