'The Post: A Guerra Secreta': Spielberg sem melodramas

Crítica por Eduardo Cabanas (Twitter: @edu_dc)

"The Post: A Guerra Secreta", Direção: Steven Spielberg (Foto: Niko Tavernise - Universal Pictures/Divulgação)
Mesmo num ano que tivemos "Star Wars: Os Últimos Jedi" e "Blade Runner 2049", "The Post: A Guerra Secreta" é o filme que soa como a maior ficção de 2017. Em tempos de fake news e atuações vergonhosas de segmentos da imprensa, ver este recorte idealizado da profissão de jornalista não deixa de ser um pouco triste frente à nossa realidade. 

Evidente que a afirmação que abre este texto é hiperbólica e não reflete a maioria dos profissionais da área. Essa consciência é a maior força do projeto, que tenta encontrar um olhar ético no jornalismo investigativo e como o mesmo pode e tem o dever de fazer um mundo melhor. O roteiro equilibrado de Liz Hannah e Josh Singer consegue guiar o espectador, sendo didático o suficiente sem ficar expositivo. A dupla confia na capacidade do seu público, sem forcá-los com passagens redundantes ou excesso de explicações. Da mesma forma que Steven Spielberg procura encenar o texto de forma sutil, quase sem chamar atenção para si mesmo.

O diretor inclusive mostra finalmente a capacidade de não se entregar ao melodrama, deixando a narrativa sóbria e seca na maior parte do tempo (embora aqui ou ali ele dê leves fraquejadas). Por mais competente que seja, Spielberg sempre teve essa fraqueza em forçar a emoção nos seus projetos de grandes temas. A maioria de seus melhores filmes são justamente os mais voltados para o mundo pop, onde o cineasta se encontra mais a vontade de brincar e expor seu talento. Vejam sua direção enérgica e inventiva em "As Aventuras de Tintim", comparada com o aborrecimento e descontrole presentes no fraquíssimo "Cavalo de Guerra". 

(Foto: Niko Tavernise - Universal Pictures/Divulgação)
Em "The Post", Spielberg encontra o equilíbrio quase perfeito na sua filmografia, conseguindo retratar uma história magnífica sobre jornalismo, enquanto também acha espaço para uma discussão de gênero muito bem colocada, sem perder a mão em nenhuma das frentes. De um lado tem Tom Hanks, como força motriz da trama de investigação, e do outro Meryl Streep, numa jornada de autoafirmação de seu poder e autoridade. Ambos, como era de se esperar, cumprem muito bem seus papéis, transmitindo humanidade, ética e carga dramática aos seus personagens. Suas cenas juntos são os pontos altos do filme, em especial as que Spielberg sabiamente filma sem cortes e dá tempo à brilhante troca entre os dois atores.

Engenhoso também em sua composição visual, o diretor brinca com algumas gags interessantes que tem tudo a ver com a temática do texto, como nos momentos em que a protagonista Kay Graham entra em salas repletas de homens engravatados de roupas escuras que mais parecem uma mancha uniforme sem vida. Ou então, como num plano particularmente engraçado e ousado, quando a mesma personagem se posiciona no meio de uma mesa com executivos de ambos os lados e a perspectiva de vários objetos conferem a Streep quase um enorme "culhão", que os demais presentes paradoxalmente não possuem. 

Por fim, "The Post: A Guerra Secreta" é um filme com muitas passagens memoráveis, seja com a personagem de Streep atravessando um plano cheio de mulheres mais jovens que a observam com admiração, seja na ótima sequência em que os jornais começam a ser impressos com o resultado da investigação da equipe de Tom Hanks. Apesar de seus excessos pontuais, Spielberg entrega uma excelente obra sobre jornalismo, daquelas que vai entrar no mesmo time de outros clássicos como "Todos os Homens do Presidente" e o recente "Spotlight: Segredos Revelados". Que o futuro reserve épocas melhores para a atuação da imprensa, e este subgênero tão fascinante seja cada vez mais realidade do que ficção. 

Nota: 4/5 (Muito Bom)

Mais informações:
- Elenco, fotos e ficha técnica completa: www.imdb.com/title/tt6294822
- Distribuição: Universal Pictures

Sobre o autor: Eduardo é produtor cultural, cinéfilo, viciado em séries, nerd nas horas vagas e autor do blog de viagens Player 1 Viajante: www.player1viajante.com
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!