'O Filme da Minha Vida': Relato tocante de um grande cineasta

Crítica por Eduardo Cabanas (Twitter: @edu_dc)

"O Filme da Minha Vida", Direção: Selton Mello (Foto: Divulgação)
Nostalgia. Eis um tema que tanto me encanta. De qualquer espécie ou categoria: lembrar um momento, um filme, uma série, uma época, um encontro. Entender como é gostoso e vital para o ser humano se prender a memórias que de alguma forma moldam e constroem quem somos. "O Filme da Minha Vida" é uma obra que respira isso, se utilizando de saudade e cinema para contar uma história bonita que indiretamente diz respeito a todos nós.

Selton Mello é mesmo um cara iluminado. Seria covardia falar de sua carreira invejável como ator, que inclui "O Auto da Compadecida", "O Cheiro do Ralo" e tantos outros. Então vou me prender a sua breve, porém impecável, trajetória como diretor. São apenas três filmes, mas já dá para dizer que Mello é um dos cineastas mais interessantes do cinema nacional contemporâneo. "O Palhaço", seu projeto anterior e uma pequena obra-prima, empresta muitos de seus elementos para "O Filme da Minha Vida". Temos novamente um protagonista em busca de si mesmo, uma história envolvida por afeto e personagens coadjuvantes que tem muito a dizer.

(Foto: Divulgação)
Fascinante como Mello tem domínio por completo de sua narrativa, conseguindo contar a trama principal de Tony Terranova (Johnny Massaro) ao mesmo tempo que a intercala e a entrelaça com outras pequenas jornadas de personagens coadjuvantes. Seja para divertir, com o engraçadíssimo menino que quer conhecer a "zona", ou para dar peso, com a marcante participação de Rolando Boldrin. Aliás, é muito bonito perceber os arcos individuais de cada figura que passa pela vida do protagonista: a mãe, o pai, o amigo, a namorada. Todos bem definidos, sem jamais cair em maniqueísmos ou atitudes forçadas. 

Acho que por conta disso, conforme o filme vai passando, vamos nos sentindo cada vez mais próximos dos personagens. Entendemos suas dores, suas motivações, suas saudades. A nostalgia que os movem, acaba por nos inspirar e trazer reflexões da nossa própria vida. O amanhã está diretamente ligado à compreensão do que passou, assim como a capacidade de abraçar nossas memórias com carinho. Um pouco como o trem do filme, sempre disposto a levar Tony para pessoas de seu passado, presente e futuro, além de fazê-lo ter paciência quando necessário.

Por mais específica e localizada que seja a trama, o olhar delicado de Selton Mello, fotografado pelo mestre Walter Carvalho, a torna universal para todos nós. Quando o trem, novamente ele, segue em frente pela última vez, o tal final que o protagonista insiste em não poder contar, talvez indique muito mais recomeços do que desfechos.

Nota: 5/5 (Excelente)

Mais informações:
- Elenco, fotos e ficha técnica completa: www.imdb.com/title/tt4012424
- Distribuidora: Vitrine Filmes

Sobre o autor: Eduardo é produtor cultural, cinéfilo, viciado em séries, nerd nas horas vagas e autor do blog de viagens Player 1 Viajante: www.player1viajante.com
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!