'Homem-Aranha: De Volta ao Lar': o herói que queríamos ver

Crítica por Eduardo Cabanas (Twitter: @edu_dc)

"Homem-Aranha: De Volta ao Lar", Direção: Jon Watts (Foto: Chuck Zlotnick - CTMG/Divulgação)
Já fazem mais de 10 anos que estrearam "Homem-Aranha 1 e 2" (e sim, prefiro ignorar a existência do "3"), mas é inevitável reconhecer seus legados e importâncias até hoje para o cinema de super-heróis. Foi através dos filmes de Sam Raimi que o amigão da vizinhança explodiu na cultura pop e se consolidou no imaginário coletivo de toda uma geração, tanto de crianças e jovens, quanto dos seus pais. 

"Homem-Aranha" era, além de um filme coeso e bem construído, um produto universal, que conseguia agradar todas as idades e opiniões, mesmo numa sociedade ainda traumatizada por "Batman & Robin". Raimi teve a inteligência de pegar tudo de melhor que tinha nos quadrinhos e adaptar para que funcionasse nas telonas sem perder a essência do personagem. Desta forma, o seu Peter Parker, vivido por Tobey Maguire, era único e original, mas ao mesmo tempo fiel à imagem do herói que já vinha impactando gerações.

Claro que "HA 3" ou "o filme que não deve ser nomeado", através de uma bagunça colossal de roteiro, botou toda a franquia a perder. Situação que o reboot de Marc Webb não conseguiu alterar. De certa forma, até piorou. Na série "Espetacular", saiu o herói completo e inspirador dos filmes originais e entrou no lugar um Peter Parker chato, birrento, malandrão das redes sociais, que não espelhava nada o Homem-Aranha que tanto gostamos. Um personagem que foi forçado a ser herói, ao invés de escolher tal caminho por índole, grandeza e fidelidade a um certo ensinamento muito importante dado pelo seu tio.

(Foto: Chuck Zlotnick - CTMG/Divulgação)
Felizmente, "De Volta ao Lar" sabe trazer tudo de volta. Se a aparição em "Capitão América: Guerra Civil" já dava uma bela pista do que estava por vir, este novo reboot entrega justamente tudo que os fãs mais esperavam. Sim, o novo Peter Parker é adolescente, é millennial, conversa com os mais novos, mas ao mesmo tempo tem o coração de Stan Lee e Steve Ditko. É o herói que queríamos ver e tanto fez falta nas últimas produções. 

Falta ao diretor Jon Watts, devo reconhecer, a capacidade (ou talvez experiência) de criar sequências de ação memoráveis, que normalmente estão presentes nos filmes de super-heróis. Basta lembrar da batalha no trem de "Homem-Aranha 2", um momento impactante e inesquecível que até hoje é difícil de ser superado. Mas se "De Volta o Lar" fica devendo na ação, se destaca nos personagens. Tom Holland é um Peter perfeito: magnético, jovial e intenso, o garoto é um mini fenômeno e se consagra como o melhor Aranha das telonas. Os coadjuvantes também não ficam para trás, todos extremamente carismáticos e bem desenvolvidos. Desde a Tia May de Marisa Tomei até o engraçadíssimo Ned (Jacob Batalon) e o surpreendente Abutre vivido por Michael Keaton (que escalação genial, convenhamos).

Fica então a esperança de uma continuidade positiva pra nova franquia, para que o Homem-Aranha possa sempre ser o herói que nos representa e nos inspira. Longe do histórico triste de imposições de roteiros, brigas entre estúdios e disputas criativas. Que a 'volta ao lar', pro Marvel Studios, permita que as mãos certas possam trabalhar nos próximos filmes. O cabeça de teia é um personagem importante demais para ficar no poder de gente errada. Afinal como todo nós sabemos, com grandes poderes vem grandes responsabilidades. 

Nota: 4/5 (Muito Bom)

Obs.: Homem-Aranha é o meu herói favorito. Tentei ter o máximo de distanciamento possível. Como podem ver, não consegui.

Mais informações:
- Elenco, fotos e ficha técnica completa: www.imdb.com/title/tt2250912
- Distribuidora: Sony Pictures

Sobre o autor: Eduardo é produtor cultural, cinéfilo, viciado em séries, nerd nas horas vagas e autor do blog de viagens Player 1 Viajante: www.player1viajante.com
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!