Sr. Elton John e James Taylor em noite memorável de sucessos


Elton John - Marcelo Carnaval / Agência O Globo

Em um 1º de Abril marcado por uma chuva torrencial, tivemos a honra de celebrar os sucessos de dois grandes artistas da atualidade: Sr, Elton John e James Taylor. Juntos, celebram mais de 1 século de carreira e tivemos a oportunidade de compartilhar e desfrutar de uma noite repleta de sucessos. A Apoteose, palco do maior espetáculo da Terra, nosso Carnaval, abriu os braços para recebê-los. Quem foi guerreiro o suficiente para ficar encharcado, não se arrependeu do que ouviu e viu.

Encontramos uma platéia bem distinta da que presenciamos dias atrás - na apresentação de Justin Bieber - e portanto, contida e mais tranquila. Ainda durante o dia sentimos o gostinho do tempo que durante toda a apresentação nos castigaria: uma chuva para lavar a roupa e alma de todos ali. Um pouco depois das 20h, James Taylor entrou cantando "Wandering" e logo em seguida nos contou, em português, que não poderia tocar seu violão por ter quebrado o dedo médio da mão esquerda.
- Estou com o dedo quebrado. Merda! - disse, para gargalhadas gerais. - Não posso tocar a guitarra (o violão, James). Mas Dean Parks será eu hoje à noite.

Com sua banda, batizada de All-Star, tivemos grandes sucessos sendo muito bem executados durante os 90 minutos de show. "Mexico", "Carolina In My Mind", "Fire and Rain" - música que começou justamente quando a chuva quis apertar e testar a resistência dos cariocas - "Only a Dream in Rio" - música composta por James após a sua apresentação no Rock In Rio de 1985, festival do qual o ajudou a reerguer a sua carreira e claro, "You-ve Got a Friend". A chuva não perdoou nem mesmo a ele, que molhado, encerrou sua apresentação pedindo um pouco de paciência para o público para a mudança de palco.

E a chuva não nos deu trégua e portanto, a entrada de Elton John prevista para às 22h30 foi sabiamente adiantada para às 22h. O inglês se agigantou diante da platéia ávida por música boa e embalado pela guitarra do sempre fiel Davey Johnstone, entrou cantando "The bitch is back". Elton, o astro que completou recentemente 70 anos, vestido elegantemente um paletó negro brilhante, parecia bastante à vontade com os cariocas. Afinal, este foi o quinto show do artista em oito anos na Cidade Maravilhosa.

- Muito obrigado por estarem de pé na chuva nos assistindo - disse. - É um privilégio tocar para vocês. Quanto mais a chuva nos castigava, mais se via do astro a genialidade, musicalidade e maestria em apresentar sucessos como "Tiny Dancer", "I guess that's Why They Call it the Blues", "Daniel", "Goodbye Yellow Brick Road", "Rocket Man"... o improviso de Elton, teclando majestosamente seu piano e embalando a nossa noite, numa jam super divertida e eletrizante. Quanto mais chovia, mais se via do astro em dedicação.

Uma grande homenagem foi feita a George Michael, quando no último bloco do show tivemos "Don’t Let the Sun go Down on Me" sendo tocada. "Skyline pigeon", "I'm still standing" e "Saturday night's all right for fighting" foram destaques do encerramento. Quem foi valente o suficiente para resistir a chuva assistiu a uma noite histórica.
No bis, a dobradinha clássica “Candle in the Wind" e "Crocodile rock”, que fez a platéia dançar sem parar sob a chuva. Uma noite memorável, com dois grandes artistas e grandes sucessos.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!