Ney Latorraca comanda ‘Vamp - O Musical’ em clima de nostalgia

Por Rodrigo Vianna


Ele voltou! Conde Vlad, o famoso vampiro interpretado por Ney Latorraca, na novela “Vamp” (1991) está de volta 26 anos depois, dessa vez nos palcos, na adaptação “Vamp – O Musical”, que estreou no fim de março, no Teatro Riachuelo, no Rio de Janeiro. E para dar vida a esse lendário personagem ninguém melhor do que o próprio ator. Ney está de volta e mais irônico e “maldoso” do que nunca. O ator é o grande destaque do musical, que já conquistou os cariocas e todos os fãs da novela. A memória afetiva que boa parte da plateia leva consigo ajuda muito a encenação.

O Contracenarte esteve na apresentação para convidados, mas guardou essa resenha a sete chaves para apresentar neste dia especial, quando completamos 5 anos. Dirigido por Jorge Fernando e Diego Morais, “Vamp – O Musical” é garantia de sucesso já pelo nome. Produzido pela Aventura Entretenimento, o espetáculo possui uma estrutura que impressiona, que vai desde os cenários aos números musicais, passando por fugurinos e maquiagem. Parece que tudo foi pensado nos mínimos detalhes. Afinal, resumir 7 meses de novela em duas horas não é uma tarefa fácil. 



Também fazem parte da equipe criativa outros nomes da novela, como a atriz Cláuda Ohana, que volta a interpretar a roqueira vampira Natasha, o autor, Antonio Calmon, e o figurinista, Lessa de Lacerda. Na trilha sonora, Claudia também assume o vocal do clássico “Sympathy to the Devil”, dos Rolling Stones, como fez na novela. O clima de nostalgia que toma a plateia garante os aplausos e a diversão. A sensação de ver materializado personagens que marcaram uma geração faz com que o público viaje no tempo e retorno à pacata cidade Armação dos Anjos, onde se passa a trama.

Ao lado dos protagonistas, estarão nomes conhecidos do teatro musical, como Lilian Valeska e Cláudia Netto. Ao todo, o elenco será formado por 35 atores e bailarinos: Ney Latorraca, Claudia Ohana, Lilian Valeska, Claudia Netto, Luciano Andrey, Erika Riba, Pedro Henrique Lopes, Xande Valois, Livia Dabarian, Thadeu Matos, Osvaldo Mil, Gabriella Di Grecco, Oscar Fabião, Mariana Cardoso, Duda Santa Cruz, Daniel Brasil, Rafa Mezadri, Talita Real, Mariana Gallindo, Lana Rodhes, Laura Ávila, Carol Costa, Carol Botelho, Jessica Gardolin, Renan Mattos, Lucas Nunes, Matheus Paiva, Leonardo Senna, Franco Kuster, Murilo Armacollo, Gustavo Della Serra, Marina Mota, Gabriel Querino, Andressa Tristão e Leonardo Rocha.



Por ser uma adaptação, nem tudo começa ou termina como na novela. O final, por exemplo, é bem diferente, mas não vamos aqui revelar para não estragar a grande surpresa. No geral, a história que move a trama é a mesma. Imponente e cômico, Ney Latorraca dispensa comentários, e mostra no palco que tem fôlego de sobra. Que atuação! O ator parece brincar e nos envolve de uma forma fácil e sedutora como se os nossos pescoços fossem mordidos a qualquer momento. É um prazer poder assistir um ator como Ney em cena. Do início ao fim, ele comanda o espetáculo, assim como fez na novela, e nos presenteia com uma noite única.

Cláudia Ohana não fica para trás. A atriz parece que parou no tempo e traz de volta o frescor da sua personagem. Porém, a voz da atriz não é a mesma de 20 anos atrás, e isso fica evidente já no primeiro número musical, no sucesso “Noite Preta”, que embalava a abertura da novela. Mas e daí? É “Vamp’, é Natasha. Nesse ponto a empolgação já tomou conta da plateia que é impossível não acompanhar a música. Exibindo um corpo de dar inveja, Cláudia Ohana parece segura no palco e mostra que não é atriz apenas de televisão. Afinal, foi nos palcos que a sua carreira começou.  

Elenco jovem
Vamos falar do elenco jovem. A começar pelo ator Oscar Fabião, já conhecido nosso por musicais como “Godspell”, “Cazuza” e "Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos". Oscar dá vida ao jovem Lipe, filho do capitão Jonas Rocha, no palco interpretado por Luciano Andrey. Apesar de não ser um veterano como seus colegas de cena, Oscar é uma das boas surpresas do espetáculo. Com tranquilidade e segurança, ele consegue construir um Lipe que de nada lembra o ator Fábio Assunção, que deu vida ao personagem na novela. Para uma adaptação, essa é uma grande conquista. Oscar mostrar logo na primeira cena a sua potência vocal e a facilidade como consegue passar o texto. Não é difícil perceber que o ator se entregou ao personagem. E faz bem. Sem dúvida, “Vamp – O Musical” será um grande divisor de águas na sua carreira.


Destaque também para a orquestra comandada por Alexandre Queiroz, que também assina a direção musical. O repertório inclui, ainda, sucesso como “Doce Vampiro” e “Thriller”. Aliás, não posso terminar essa resenha sem falar sobre essa última. O espetáculo parece que ganha um gás com a cena musical onde Conde Vlad convoca os mortos para a luta do bem contra o mal. Com clara referência ao clipe de astro pop Michael Jackson, o número é, sem dúvida, o melhor de todo o espetáculo. No fim, a resposta do público de pé e ovacionando o que acabaram de presenciar.

Preparem os seus pescoços e desfrutem desse grande espetáculo. Apesar de alguns erros, não tão graves, "Vamp - O Musical" é, sem dúvida, uma grande aposta e deixa a porta aberta para um novo tipo de musical, não somente baseado em sucessos da Broadway, mas também naquilo que o brasileiro sabe fazer melhor do que ninguém: as nossas novelas. 

A trama
“Vamp” foi uma comédia sobre vampiros, voltada para o público jovem e exibida na faixa das 19h. A história se passava em uma cidade litorânea fictícia, onde viviam o capitão reformado da Marinha Jonas Rocha (Reginaldo Faria) e sua esposa Carmem Moura (Joana Fomm), ambos viúvos e pais de seis filhos das relações anteriores.

Tudo estava em harmonia até que chegou a cantora de rock Natasha (Claudia Ohana), uma vampira famosa internacionalmente após um pacto com o líder dos vampiros, o conde Vladmir Polanski, Vlad (Ney Latorraca), a quem ela quer destruir para se livrar de uma maldição. Diversificada, a trilha sonora ia de Elba Ramalho a Cher e de Fábio Jr. a Lenny Kravitz, além de “Sympathy For the Devil” (dos Rolling Stones) na voz de Claudia Ohana.

Ficha técnica:

Texto – Antonio Calmon
Direção – Jorge Fernando
Diretor Assistente – Diego Morais
Coreografia – Alonso Barros
Direção Musical, Arranjos e Preparação Vocal – Tony Lucchesi
Cenografia – José Claudio Ferreira
Figurino – Lessa de Lacerda
Visagismo – Martin Macias
Desenho de Luz – Maneco Quinderé
Desenho de Som – Carlos Esteves
Produção de Elenco – Marcela Altberg
Assistente de Direção – Pedro Rothe
Assistente de Coreografia – Alan Resende
Orquestração e Assistente de Direção Musical – Alexandre Queiroz
Assistente de Cenário - Daniele Fontes
Figurinista Assistente – Teresa Abreu

Serviço:

“Vamp – O Musical”

Local: Teatro Riachuelo Rio (Rua do Passeio, 38/40 – Cinelândia)
Temporada: 17 de Março a 04 de Junho de 2017 (de quinta-feira a domingo)
Horários: Quinta e sexta às 20h30, sábado às 16h30 e 20h30, domingo às 18h
Cadastro para pré-vendas: Sites www.teatroriachuelorio.com.br e www.vampomusical.com.br
Preços:
5ªs e 6ªs: R$130 - Plateia VIP; R$100 – Plateia e Balcão Nobre; R$50 – Balcão
Sábados às 16h30 domingos: R$150 - Plateia VIP; R$120 – Plateia e Balcão Nobre; R$50 – Balcão
Sábados às 20h30: R$180 - Plateia VIP; R$120 – Plateia e Balcão Nobre; R$50 – Balcão
*Preços promocionais de pré-vendas, de 18 a 27 de janeiro:
5ªs e 6ªs: R$90 - Plateia VIP; R$70 – Plateia e Balcão Nobre; R$30 – Balcão
Sábados às 16h30 domingos: R$120 - Plateia VIP; R$40 – Plateia e Balcão Nobre; R$40 – Balcão
Sábados às 20h30: R$150 - Plateia VIP; R$90 – Plateia e Balcão Nobre; R$50 – Balcão
Capacidade: 1.000 pessoas
Duração: 2 horas (com intervalo de 15 minutos)
Classificação etária: Livre
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!