Zélia Duncan estreia musical que celebra 50 anos de Tropicália


Em 2017 a Tropicália comemora 50 anos! Para celebrar a história deste movimento que revolucionou a Música Popular e a Cultura Brasileira, com suas singularidades e sua importância, estreia dia 11 de maio, em São Paulo, “Alegria Alegria”. Com roteiro e direção de Moacyr Góes, “Alegria Alegria” tem um elenco de 13 atores e será protagonizado pela cantora Zélia Duncan, que assume o papel de condutora do espetáculo. “Alegria Alegria” terá as canções de Caetano Veloso, de Gilberto Gil, Roberto Carlos, Luiz Gonzaga e Vicente Celestino, entre outros. 

Além de Zélia, o elenco do espetáculo será composto pelos talentosos artistas Josi Lopes, Laura Carolinah, Luana Zenun, Nay Fernandes, Pamella Machado, Stephanie Serrat, Thalita Pereira, Bruno Fraga, Daniel Caldini, João Felipe, Luiz Araujo, Marcos Lanza e Patrick Amstalden. A ficha técnica do espetáculo reúne outros nomes consagrados do teatro brasileiro, como Hélio Eichbauer (cenografia), Alonso Barros (coreografia), Ary Sperling (direção musical) e Fabio Namatame (figurinos), entre outros.

“A Tropicália não foi uma obra do Caetano; foi uma obra de muitos artistas. No entanto, creio que Caetano é a expressão mais radical, mais imperativa do tropicalismo. Isso significaria muita coisa porque é uma obra extraordinariamente bela, com canções muito elaboradas.”, explica Góes. 

Para contar a história do tropicalismo, no entanto, o diretor optou por criar um espetáculo musical não convencional: “Não é um espetáculo que atenda, digamos, à trajetória tradicional do musical como linguagem, que é ter uma história. É uma trama composta por músicas que ajudam desenvolvê-la até o seu desenlace. Não acho que para falar de tropicalismo, para pensar sobre tropicalismo, devesse ser assim; colocar em uma trama tão tradicional o que, em si, é tão pouco afeito a normas. Eu procurei estruturar um roteiro que tivesse uma lógica, que contasse uma história, mas não de uma maneira tradicional, que não fosse um musical didático. Eu não quero explicar para as pessoas o que foi o tropicalismo, eu quero que as pessoas passem por uma experiência com as músicas e com as cenas, que o espetáculo produza sentimentos, reflexões, emoções etc. É um espetáculo para você sorver”, disse.

Musical marca o reencontro de Zélia Duncan e Moacyr Góes 
Alegria Alegria traz para o palco um elenco de 14 pessoas e cumprirá temporada de dois meses, com 54 apresentações, até o dia 9 de julho. A protagonista, uma narradora, será interpretada pela cantora e compositora Zélia Duncan. Essa é a primeira experiência no teatro musical de Zélia, que acabou de passar pelos palcos do País com o espetáculo “Totatiando”.

O espetáculo também marca o reencontro de Zélia com o diretor Moacyr Góes – nos anos 90, Zélia foi aluna de Moacyr em um curso de teatro na CAL (Casa das Artes de Laranjeiras) e ele chegou a dirigir um show da cantora. “Para mim isso será um desafio enorme - explica Zélia - Quando eu li o roteiro do Moacyr, fiquei muito comovida com tudo que vamos falar, da maneira como vamos falar, de ver que não é um musical com todas as fórmulas que todos já conhecem, pois é brasileiro e está nascendo em nossas mãos, sem cartilha prévia. Falando de um momento histórico brasileiro, de pessoas que se arriscaram de uma maneira extremamente corajosa e nisso eu acho que o Caetano tem um papel absoluto, porque ele até hoje faz isso com imensa disposição. É essa coragem que ele tem, esse talento que sempre traz frescor, isso tudo misturado. Então, é uma delícia fazer parte, se sentindo no olho desse furacão”, disse a cantora.


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!