Marco Nanini celebra 50 anos de carreira com ‘Ubu Rei’


Com a estreia de ‘Ubu Rei’, Marco Nanini reafirma valores fundamentais em sua trajetória profissional, marcada por um repertório de autores que sempre fugiu do óbvio e pela constante busca por novos caminhos a cada trabalho. Protagonista da anárquica farsa escrita em 1896 por Alfred Jarry, Pai Ubu – um dos primeiros anti-heróis do teatro – vem se juntar a uma vasta galeria de personagens imortalizados por Nanini nas últimas cinco décadas, em sua produtiva carreira teatral, cinematográfica e televisiva. A montagem ainda marca o seu encontro com a Cia. Atores de Laura, dirigida por Daniel Herz, que completa a incrível marca de 25 anos de existência em 2017. 

Em cartaz no Teatro Oi Casa Grande, ‘Ubu Rei’ traz a presença de Rosi Campos no elenco e a produção de Fernando Libonati.

Apesar de hoje ser considerado um clássico, o texto de Jarry é um ícone do Teatro Moderno e influenciou movimentos que viriam a seguir, como o Surrealismo, o Dadaísmo e o Teatro do Absurdo. Em um flerte constante com o non-sense, o texto mostra a saga do covarde Pai Ubu, que usurpa a Coroa Real e, ao lado de Mãe Ubu (Rosi), se envolve nas mais diversas situações nesta busca desenfreada e voraz pelo poder.

‘É uma história de voracidade desenfreada, de personagens sem qualquer freio ético ou equilíbrio. A atualidade do texto é tão grande que não precisamos fazer qualquer pontuação sobre isso na montagem’, conta Daniel Herz, que fez algumas leituras com Nanini e a companhia ao longo do último ano e todos foram unânimes ao eleger ‘Ubu Rei’. A peça ganhou adaptação de Leandro Soares, que também assinou a versão de ‘A Importância de Ser Perfeito’ (2014), dirigida por Herz.

‘Eu vi a montagem de ‘A Importância...’ no Galpão Gamboa e fiquei louco. A partir de então, começamos a nos aproximar e Daniel chegou com uma série de textos, que tivemos tempo de ler e pensar em cada possibilidade de trabalho. Depois de ler ‘Ubu’, ninguém mais teve dúvidas de que seria ele’, lembra Nanini. ‘Poucas vezes, temos a possibilidade de fazer um texto que diz exatamente o que queremos falar neste momento. Tudo se casou perfeitamente’, completa Herz.


Ubu Rei: um anti-herói covarde e despudorado
Daniel Herz conta que Jarry utilizou muitas referências de Shakespeare em toda a sua obra. No caso de ‘Ubu’ existe a inspiração básica em ‘Macbeth’, com a figura de Lady Macbeth/Mãe Ubu, que induz o marido a conspirar contra o Rei e conquistar o poder. Longe da apolínea poesia shakespeariana, desta vez entram em cena elementos como o grotesco e o absurdo.

Quando estreou, em 10 de dezembro de 1896, o texto chocou a plateia francesa por conta de seus palavrões e da arrojada linguagem cênica, ao quebrar a solenidade e a pompa que dominavam o cenário teatral da época. Sob uma chuva de vaias, o espetáculo fez apenas duas apresentações e saiu de cartaz. Ao longo da vida, Jarry reescreveu a peça, que somente foi reconhecida pela crítica após a sua morte precoce, aos 34 anos.

Anos mais tarde, ‘Ubu Rei’ seria considerado um marco na História do Teatro, tanto por sua estrutura dramatúrgica quanto por seu protagonista. ‘Ele é um anti-herói, o primeiro anti-herói que apareceu nos palcos. Ele é um déspota despudorado, assassino, mentiroso, mas de quem você acaba gostando. É um tipo de personagem que desafia e que gosto muito de visitar’, reflete Nanini.

Para Daniel Herz, o grande desafio da encenação atual é justamente trazer de volta o frescor e a provocação do original. Nesta empreitada, ele contará com uma ficha técnica de peso que inclui Bia Junqueira (cenografia), Antônio Guedes (figurinos) e Aurélio de Simoni (iluminação).


Com produção de Fernando Libonati, a montagem traz ainda a presença de Rosi Campos como atriz convidada. Curiosamente, ela já interpretou o mesmo papel em ‘Ubu, Folias Physicas, Pataphysicas e Musicaes’ (1985), montagem do Teatro do Ornitorrinco para a obra de Jarry, com direção de Cacá Rosset. Outros quatro jovens atores se juntam aos Atores de Laura (Ana Paula Secco, Leandro Castilho, Marcio Fonseca, Paulo Hamilton e Verônica Reis) neste trabalho: Cadu Libonati, Tiago Herz, João Telles e Renato Krueger.

A companhia – que fez uma série de oficinas e aprendeu a tocar diversos instrumentos – é responsável por toda a trilha sonora executada ao vivo. Membro do grupo, Leandro Castilho assina a Trilha Original, a Direção Musical e também está em cena.

Ficha técnica:

“Ubu Rei”

De Alfred Jarry.
Direção: Daniel Herz
Atriz Convidada: Rosi Campos
Com a CIA. Atores de Laura (Ana Paula Secco, Leandro Castilho, Marcio Fonseca, Paulo Hamilton e Verônica Reis), Cadu Libonati, João Telles, Tiago Herz e Renato Krueger.
Produzido por Fernando Libonati
Adaptação: Leandro Soares
Cenografia: Bia Junqueira
Figurinos: Antônio Guedes
Iluminação: Aurélio de Simoni
Direção Musical: Leandro Castilho
Direção de Movimento: Marcia Rubin
Design Gráfico: Gringo Cardia
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!