'A Chegada': uma obra prima para o panteão da ficção científica

Crítica por Eduardo Cabanas (Twitter: @edu_dc)

"A Chegada", Direção: Denis Villeneuve (Foto: Divulgação)
Conferir a lista do Oscar 2017 e encontrar no topo dos indicados uma ficção científica e um musical é um acontecimento que vou lembrar por muitos anos. Tanto "La La Land", quanto "A Chegada", marcam a história de seus respectivos gêneros, com linguagens contemporâneas e tramas envolventes O segundo, novo projeto de Denis Villeneuve, conseguindo ainda um passo a mais rumo à posteridade.

A história gira em torno de 12 'naves' espaciais que chegam ao planeta Terra e os esforços da Dra. Louise Banks (Amy Adams) para descobrir os seus propósitos. Para isso, a protagonista, que é linguista, tenta traduzir e compreender a desconhecida língua dos extraterrestres, enquanto passa por uma complicada jornada pessoal em sua mente. O filme, desta forma, impressiona de imediato com a base científica que sustenta sua narrativa. Fugindo de qualquer hiper exposição ou explicações absurdas, a produção se destaca tanto pelo roteiro bem escrito e personagens tridimensionais, quanto pela rica pesquisa teórica em que a ciência nas telas é desenvolvida (para ver mais sobre o assunto, recomendo a excepcional web-série "Science Vs Cinema").

Em consonância, os atores surgem em cena sem estereótipos de cientistas excêntricos, com performances muito naturalistas e contidas. Jeremy Renner e Forest Whitaker seguram suas barras, trazendo peso e integridade aos seus respectivos personagens. Ao mesmo tempo, Amy Adams constrói a protagonista com melancolia e doçura, permitindo a ela um arco de extrema beleza e complexidade. Sua performance, aliás, se configura como talvez a mais forte de sua brilhante carreira, assim como uma das mais bonitas de 2016. E aqui não preciso chover no molhado e me alongar no absurdo que é a não indicação da atriz.

(Foto: Divulgação)
Mas além da competente pesquisa, personagens complexos e belas atuações, "A Chegada" é acima de tudo uma obra extremamente equilibrada, com a dose perfeita de mistério, revelações, fé e ciência, assim como toda grande ficção científica deve ser. O roteirista Eric Heisserer teve a sensibilidade de guiar o seu material para longe do sci-fi de aventuras, apostando mais num filme de observação e permitindo assim o olhar sobre a raça humana enquanto espécie e sociedade. Em paralelo, o excepcional cineasta Denis Villeneuve (de "Sicario" e "O Homem Duplicado") encena o roteiro com planos longos e estáticos, ocasionalmente investindo em enquadramentos inesperados, o que cria uma sensação muito apropriada de estranhamento. Além disso, o diretor consegue algumas rimas visuais bem interessantes, como a que ocorre entre a grande janela da casa da Dra. Banks e a parede de vidro da nave espacial, ambas de certa forma indicando o futuro ainda não explorado pela protagonista.

A sutileza com que o filme se encerra também é uma de suas marcas mais importantes. Os realizadores não permitem qualquer sinal de melodrama ou uma eventual explicação exageradamente detalhada, de forma que não caem no erro de outras obras similares como "Interestelar" de Christopher Nolan. Villeneuve, ao contrário, sabe muito bem quando expor e quando omitir, incentivando assim o trabalho do espectador como parte pensante do processo cinematográfico e, por fim, cravando sua obra prima como o novo membro do panteão máximo da ficção científica. Grupo seleto que conta com "Contato" (de Robert Zemeckis), "Solaris" (de Andrei Tarkovsky), "2001: Uma Odisseia no Espaço" (de Stanley Kubrick) e "Blade Runner" (de Ridley Scott). 

Falando neles, imaginem Villeneuve, os quatro colegas diretores e seus respectivos roteiristas conversando sobre a vida, a galáxia e a existência humana. O universo como conhecemos certamente não seria mais o mesmo.

Nota: 5/5 (Excelente)

Mais informações:
- Elenco, fotos e ficha técnica completa: www.imdb.com/title/tt2543164/
- Distribuidora: Sony Pictures

Sobre o autor: Eduardo é produtor cultural, cinéfilo, viciado em séries, nerd nas horas vagas e autor do blog de viagens Player 1 Viajante: www.player1viajante.com
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!