'The Crown' e 'The OA': o final de ano impecável da Netflix

Por Eduardo Cabanas (Twitter: @edu_dc)

(The Crown, Foto: Divulgação)
A competência da Netflix para conteúdo original não é mais novidade para ninguém, principalmente na área das séries de televisão. Duas produções encerraram o ano de 2016 da empresa com chave de ouro: "The Crown" e "The OA", lançadas respectivamente em novembro e dezembro. Embora sejam muito diferentes entre si, as duas compartilham as mesmas qualidades de produção e dramaturgia que se tornaram marcas registradas da empresa de streaming mais famosa do mundo. Conferimos enfim os dois lançamentos e decidimos contar um pouco para vocês!

1) The Crown (1º temporada), criador: Peter Morgan
(Foto: Divulgação)
Investigando a ascensão e anos iniciais da Rainha Elizabeth II do Reino Unido, "The Crown" é uma produção que tinha tudo para ser desinteressante e cansativa, talvez beirando o insuportável. Mas graças ao roteiro de Peter Morgan (de "Frost/Nixon"), o que acontece é justamente o oposto. A série mostra com competência e dinamismo parte da vida pessoal da Rainha, assim como os principais acontecimentos políticos e sociais da época. Sem fugir muito dos fatos, mas dramatizando pontualmente quando necessário, Morgan consegue um equilíbrio adequado entre a "aula de história" e a narrativa audiovisual. Os eventos se encadeiam com velocidade, mas sem jamais deixar o espectador perdido ou desafiar sua inteligência.
O elenco também representa um dos pontos fortes do projeto, com destaque óbvio para a intérprete da protagonista. A atriz Claire Foy (vencedora do Globo de Ouro) surpreende ao compor a Rainha com um misto de insegurança juvenil e extrema autoridade (como na cena impecável em que conversa com Churchill no 7º episódio). Ao mesmo tempo que Matt Smith (o 11º Doctor de "Doctor Who") e o grande John Lithgow (de "Dexter") também entregam excelentes trabalhos, o primeiro dando toda a arrogância necessária ao Príncipe Phillipe, enquanto o segundo consegue a proeza de humanizar ninguém mais ninguém menos que Winston Churchill.
"The Crown" termina sua 1º temporada como uma das séries mais interessantes de 2016, mesmo sem poder se utilizar do recurso do "fator surpresa" que normalmente é a força motriz de qualquer produção para TV. Não deixem de dar uma chance para o seriado que provavelmente vai reinar (com perdão do trocadilho) no Emmy este ano.

Nota: 5/5 (Excelente)


2) The OA (1º temporada), criadores: Zal Batmanglij e Brit Marling
(Foto: Divulgação)
Não podia ser outra empresa se não a Netflix para dar a chance de brilhar à dupla indie Zal Batmanglij e Brit Marling, responsáveis pelo instigante "O Sistema". Embora os dois já tenham despontado separadamente em outros projetos, Batmanglij dirigindo episódios de "Wayward Pines" e Marling atuando em filmes alheios (como "Sem Proteção" de Robert Redford), só com "The OA" que a dupla ganha finalmente certa notoriedade. 
A trama parte do princípio que experiências de quase-morte possuem grandes significados e permitem as vítimas descobrirem novos poderes e habilidades, além de abrir portas para outras dimensões. Desta forma, a série se desenvolve como uma ficção-científica misturada com história de trauma, apostando no meio do caminho em muitos mistérios (sim, uma daquelas) e fantasia. Mas a parte interessante é fato do roteiro abrir a brecha para o espectador questionar o que é realidade e ficção, enquanto os próprios personagens passam pela provação de fé ou descrença. 
Embora se perca eventualmente na própria mitologia e falhe em entregar algumas respostas que eram esperadas (e necessárias), "The OA" tem méritos o suficiente para criar expectativa para a 2º temporada. Só precisa decidir um caminho a seguir e dar as devidas recompensas para o espectador, sem cair no erro de sempre empurrar as soluções para a temporada seguinte. A série é muito boa, mas não é todo mundo que aguenta ficar sendo empurrado com a barriga para sempre.

Nota: 4/5 (Muito Bom)

Sobre o autor: Eduardo é produtor cultural, cinéfilo, nerd nas horas vagas e autor do blog de viagens Player 1 Viajante: www.player1viajante.com
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!