Whitesnake agita noite de eleições com show repleto de grandes hits

Whitesnake no Metropolitan (foto: Sergio Guida)

Quem foi ao Metropolitan, casa de espetáculos localizada na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, em 2 de outubro de 2016 para ver o Whitesnake não se decepcionou: casa cheia, recheada de fãs das mais diferentes idades que se posicionaram ansiosos para ouvir uma das vozes mais bonitas do rock e uma banda que elevou a “velha música”, nos anos 80, para o que alguns classificariam como Rock comercial. Será mesmo? É claro que veremos no YouTube propagandas com as músicas da banda, mas hoje é diferente? De qualquer forma estava tudo lá: malabarismos com o pedestal, muita movimentação de palco, Fenders e Gibsons sustentando um som atemporal, que para quem curte música, concorda que os grandes hits da banda irão atravessar séculos.

O show começa sem uma banda de abertura, sem frescura e já detona com "Bad Boys", seguindo bem com "Slide It In", até que em uma só voz todos vão a loucura em "Love Ain't No Stranger". Essa tenho certeza que até seu avô ouviu na TV, na década de 80, nos comerciais do cigarro Hollywood. Seguimos o show com as maravilhosas "The Deeper the Love" e "Fool for Your Loving". Se a curiosidade apertar, apenas uma rápida visitada no YouTube para  assistir aos clipes dessas músicas você verá o ex-guitarrista Steve Vai - o mesmo que fez os solos de duelo no filme Crossroads (A encruzilhada). Banda comercial? Fala sério! O show não é longo, até porque Mr. Coverdale não é nenhum rapaz, porém mantem sua maravilhosa voz em boa forma, melhor do que muitos jovens por aí e se movimenta bastante no palco, quase da mesma forma que fez no Rock in Rio de 85, quando a banda substituiu a ausência do Def Lepard.

Whitesnake no Metropolitan (foto: Sergio Guida)

Mais duas músicas e entram os solos de guitarra e bateria nas músicas "Slowan' Easy" e "Crying in the Rain", onde podemos ver a força dos veteranos da atual formação: Joel Hoekstra (guitarra) e Tommy Aldridge (bateria).
E tivemos no encerramento uma sequência matadora: "Is This Love", onde os casais se amassaram e cantaram juntos; "Give Me All Your Love", para dar aquela ideia depois do show; "Here I Go Again", onde reza a lenda que a boa e velha música toca em qualquer época e o sonho não morre. Porém não acaba aí, David volta para se despedir dos fãs, agradecer ao Rio de Janeiro e ao Brasil pela maravilhosa estadia e fecha com: "Still of the Night" e "Burn", em homenagem ao Deep Purple, deixando o espirito do rock´n roll acesso entre todos que ali estavam. 

São muitas músicas para um só show, mas é a essência do trabalho de David Coverdale que criou a banda em 1978 está presente e, apesar de várias formações, o Whitesnake chegou até aqui repleto de sucessos e grandes álbuns e a atual formação honra o seu legado. O ex-vocalista do Deep Purple tem uma trajetória incrível e consegue passar toda a sua história ao lado de grandes músicos em um show na medida certa e que certamente deixou a todos satisfeitos e com um gosto de quero mais. 

The Greatest Hits Tour 2016

Bad Boys
Slide It In
Love Ain't No Stranger
The Deeper the Love
Fool for Your Loving
Ain't No Love in the Heart of the City(Bobby “Blue” Bland cover)
Judgement Day
Slow an' Easy
Crying in the Rain (with drum solo)
Is This Love
Give Me All Your Love
Here I Go Again

Encore:

Still of the Night
Burn(Deep Purple cover)


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!