Musical ‘Cinderella’ se despede do Rio no dia 4 de setembro


Quem nunca sonhou com um príncipe encantado? Esse é um desejo universal e deu origem a uma série de contos de fadas que se perpetuam de geração em geração. Nenhum deles, contudo, é mais famoso do que Cinderella, a gata borralheira que se transforma em princesa por um dia e encontra seu grande amor graças ao sapatinho de cristal perdido.  E assim são felizes para sempre! Essa célebre história de amor ganhou uma versão musical para a TV, em 1957, com canções de Richard Rodgers e Oscar Hammerstein e chegou à Broadway em 2013.

O Brasil, finalmente, tem sua própria ‘Cinderella’, com direção de Charles Möeller e Claudio Botelho, trazendo Bianca Tadini no papel-título e Totia Meireles como Madame,  a madrasta. Após ser assistido por mais de 150 mil pessoas no Rio e São Paulo, o espetáculo encerra temporada carioca no dia 04 de setembro, no Teatro Bradesco Rio, com realização da Fábula Entretenimento.

‘Cinderella’, de Rodgers e Hammerstein, foi exibido pela primeira vez na TV (na CBS),  estrelado por Julie Andrews, em março de 1957, e é, até hoje, o programa mais visto da história da televisão americana. O musical é baseado na versão do conto de fadas ‘Cinderella’, particularmente na versão francesa Cendrillon ou La Petite Pantoufle de Verre, de Charles Perrault. Este é o único musical da dupla escrito especialmente para a televisão e ganhou duas novas versões: em 1965 e 1997.


“Aceitamos o convite porque é um musical maravilhoso! Além de criarem ‘Cinderella’, Richard Rodgers e Oscar Hammerstein são autores de espetáculos que determinaram os pilares dos musicais da Broadway nos anos 40, como ‘Oklahoma’ e ‘ Carousel’. Muitos não sabem, mas foram Rodgers e Hammerstein que estabeleceram o padrão de qualidade desta forma de se fazer teatro”, contextualiza Charles Möeller.

Indicações ao Tony
O musical da Broadway estreou em 2013, com novo texto de Douglas Carter Beane, e teve nove indicações ao Tony Awards, além de vencer três Dramas Desk. É a primeira vez que o musical ganha uma montagem fora dos Estados Unidos, com direção da consagrada dupla Charles Möeller e Claudio Botelho  (‘Hair,’ ‘A noviça rebelde’, ‘Kiss me Kate’,  entre vários outros). Habitual parceira de Möeller e Botelho nos palcos, Totia Meireles faz seu quinto musical dirigido por eles (‘Company’, ‘Cristal Bacharach’, ‘Nine’ e ´Gipsy´´), interpretando o papel da madrasta. A atriz não esconde a empolgação com o projeto: “Eu estava querendo fazer  uma coisa infantil para os meus netos, para que eles me vissem no palco. O de sete anos já me assistiu em ‘Nine’, mas queria algo mais infantil. Isso me incentivou. E, quando apareceu o convite,  tive a certeza que tinha chegado a hora de fazer. Afinal, ‘Cinderella’ é um clássico!”.

Um  musical clássico, mas com características particulares. Charles Möeller chama a atenção, por exemplo, para a forte presença de Shakespeare no espetáculo: “O Príncipe, logo em sua primeira canção, coloca em dúvida se tem ou não vocação para ser rei. Uma forte presença do ‘ser ou não ser’ do Hamlet”. Para o diretor, “há também um olhar diferente para a mulher – nos anos 50, era ela a própria dona do seu lar, seu único espaço de ação. Em ‘Cinderella’, a protagonista entende as ideias de igualdade entre os cidadãos e as repassa para o Príncipe, enquanto dança com ele durante o baile”.

Para o papel-título, a escolhida foi Bianca Tadini, selecionada entre mais de 500 candidatas. O elenco foi montado através de audições, realizadas no Rio e em São Paulo, em outubro de 2015. Foram mais de 1000 candidatos, para os diversos papéis.  Bianca tem longo currículo teatral: foi protagonista do musical ‘West Side Story’ (2008), de Jorge Takla, diretor com quem reeditou a parceria em ‘O rei e eu’, ‘Evita’ e na comédia ‘Vanya e Sonia e Masha e Spike’, na qual dividia o palco com Bruno Narchi, que interpreta o príncipe Topher em ‘Cinderella’.


Consagrada atriz de musicais, Ivanna Domenyco interpreta a fada madrinha, Marie. O elenco traz ainda Bruno Sigrist (Jean-Michel), Raquel Antunes (Charlotte), Cristiana Pompeo (Gabrielle), Carlos Capeletti (Sebastian), Nick Vila Maior (Lorde Pinkleton), Andrei Lamberg (cavaleiro, aldeão, tabelião, cover príncipe Topher), Conrado Helt (cavaleiro, aldeão, convidado do baile), Fabio Yoshihara (cavaleiro, aldeão, convidado do baile, cover Sebastian), Fernando Palazza (cavaleiro, aldeão, convidado do baile, cover Lorde Pinkleton), Laura Visconti (aldeã, convidada do baile), Letícia Mamede (aldeã, convidada do baile, cover Gabrielle e bailarina), Lia Canineu (aldeã, convidada do baile, cover Cinderella), Luana Bichiqui (aldeã, convidada do baile, cover Charlotte), Maria Netto (aldeã, convidada do baile, cover Fada Madrinha), Mariana Amaral (swing e bailarina), Naomy Schölling (aldeã, convidada do baile, cover Madrasta), Philipe Azevedo (cavaleiro, aldeão, convidado do baile, cover Jean-Michel), Ricardo Mesquita (swing e bailarino), Thati Abra(aldeã, convidada do baile e bailarina) e Thiago Garça (cavaleiro, aldeão, convidado do baile e bailarino). O musical conta ainda com os bailarinos Aline Campos, Barbara Mesquita, Flávio Rocha, Jorge Assunção, Mário Beckman, Patrícia Athayde e Ricardo Mesquita.

A direção musical é de Carlos Bauzys (‘O homem de la mancha’, ‘A madrinha embriagada’, ‘Nuvem de lágrimas’, ‘Alô, Dolly!’,  entre outros), que comanda uma orquestra de 16 músicos. Os figurinos são de Carol Lobato, a luz é de Maneco Quinderé, Rogério Falcão assina a cenografia e a coreografia é deAlonso Barros. A produção de elenco é de Vanessa Veiga.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!