Iron Maiden evita embate político em show no Rio: ‘Não sei de nada’

Iron Maiden inicia nova turnê no Rio (Foto: Divulgação)

Enquanto o país vive a sua maior crise política da história, milhares de roqueiros lotaram o HSBC Arena, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, na noite de quinta-feira (17), para o show do Iron Maiden. Nem mesmo as obras, a chuva e o engarrafamento foram páreos para os roqueiros, que aguardavam ansiosos o início da nova turnê "The Book of Souls", no Brasil. No palco, o vocalista Bruce Dickinson recebe uma bandeira do Brasil e de forma discreta fala da crise no país: "Estou vendo essa bandeira em todo lugar... Espero que tudo se ajeite e os caras ruins se deem mal! Não sei de nada!", disse.

Certamente, alguns irão dizer que "The Book of Souls" não é o melhor disco do Iron, mas sempre temos algo por suspirar, como Speed of the Ligth, que ao vivo fica ainda melhor. Porém o respeito aos fãs é notório, com apenas 5 músicas do novo álbum, e 10 hits para deixar todos roucos, Bruce Dickinson comanda a plateia; mais magro, o vocalista do Iron foi implacável, se movimentando como um garoto, como em 85 no primeiro Rock in Rio. De todas as músicas do set list, a que mais me chamou a atenção foi Children of the Damned, do álbum The Number of the Beast, pois não me lembro de ter escutado em shows no Brasil, mas posso estar enganado, sendo assim, deixo para os mais fanáticos esse feedback.



O tão aguardado Boeing 747-400 Jumbo Jet “Ed Force One”, pilotado pelo vocalista Bruce Dickinson, infelizmente não veio ao Brasil. O avião sofreu um incidente no sábado (12), no aeroporto internacional Comodoro Arturo Merino Benitez, em Santiago (Chile), e ficará parado para reparos por tempo indeterminado.

A própria banda já havia divulgado em suas redes sociais as imagens da aeronave danificada. Segundo explicou o Iron Maiden em seu comunicado, o Ed Force One estava a caminho do reabastecimento quando o pino de direção que o ligava o avião ao caminhão de reboque se soltou. A aeronave então perdeu a direção e se chocou fortemente com o caminhão, ferindo dois operadores do reboque e danificando o trem de pouso e dois motores.

Os números da nova turnê do Iron Maiden realmente impressionam: a produção conta com mais de 12 toneladas de equipamentos. Ao todo, serão 88.500 quilômetros ao redor do mundo, visitando 35 países em 6 continentes.

O novo álbum do Maiden, The Book Of Souls estreou em primeiro lugar em 24 países: Argentina, Austria, Bélgica, Brasil, Croácia, República Tcheca, Finlândia, Alemanha, Grécia, Hungria,  Israel, Italia, Japão, México, Países Baixos, Noruega, Polônia, Portugal, Servia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suiça e no Reino Unido. Além disso, também figurou no primeiro lugar em mais 19 países onde somente listas de vendas digitais são divulgadas. O álbum também estreou em segundo lugar na Austrália, Canadá, Dinamarca, França, Irlanda e Nova Zelândia, em terceiro lugar na Turquia e em quarto nos Estados Unidos e na África do Sul.

(Foto: Divulgação)

A turnê mundial recomeçou no dia 24 de fevereiro, em Ft. Lauderdale, nos Estados Unidos. A banda chega ao Brasil para cinco shows. Após o Rio, os roqueiros seguem para Belo Horizonte (onde estiveram pela última vez em 2009), no dia 19, e Brasília, no dia 22. No dia 24 de março, o Iron se apresenta pela primeira vez em Fortaleza e encerra a turnê brasileira em São Paulo, no dia 26.

O show
A apresentação desta quinta-feira começou com uma animação do Ed Force One, seguida por "If Eternity Should Fail". Bruce surge ao palco, e de longe lembra alguém que acabara de enfrentar um câncer. Com fôlego de sobra, ele corre de um lado para o outro, levantando o público, que a essa hora já lotava a arena. Grandes sucessos como "Children of the Damned", "The Trooper" e "Powerslave" fizeram o público saltar do chão, numa energia única, vista apenas num show do Iron Maiden.

A participação da plateia é um show a parte, sempre correspondendo ao integrante da banda que a chama para dentro do palco, podendo ser Dickinson como maestro, Smith e Murray com seus solos, Harris ao apontar seu baixo como uma arma, McBrain mantendo a batida ou o desconexo Janick Gers, que mais parece uma bailarina no palco. O Iron tem tudo: luz, cena, ação, e muita música, muito som; sem nenhuma dúvida: Um espetáculo!

Personagem tão aguardado pelos fãs, o Eddie, mascote da banda, surgiu de forma mais discreta. No palco, ele faz uma breve aparição durante "The Book of Souls", que vai das costumeiras estripulias com Janick Gers a uma conclusão dramática onde Dickinson atira o coração de Eddie à plateia.
“O mundo pode ser um lugar terrível, mas querem saber? Estamos em um show do Iron Maiden. Há pessoas de várias nacionalidades, raças e orientações sexuais aqui, e não estamos nos matando. E é isso o que importa, pois somos todos irmãos de sangue", disse Bruce.

Alguns dizem não gostar de havy metal, ou rock pesado, ou o rótulo que queiram colar, mas podem dizer a diferença entre um show de rock e um verdadeiro espetáculo? Não é uma banda qualquer, não é apenas rock, é Iron Maiden baby! Mesmo com tantos sucessos e uma estrada marcada por shows antológicos, é sempre surpreendente o carisma e a força com que entram no palco. Temos que respeitar esses músicos!

Segue o set list das músicas: If Eternity Should Fail, Speed of Light, Children of the Damned, Tears of a Clown, The Red and the Black , The Trooper, Powerslave, Death or Glory, The Book of Souls, Hallowed Be Thy Name, Fear of the Dark, Iron Maiden, The Number of the Beast, Blood Brothers, Wasted Years.

Com as performances: Steve Harris (baixo), Adrian Smith (guitarra), Dave Murray (guitarra), Bruce Dickinson (vocalista), Nicko McBrain (baterista), Janick Gers (guitarra).
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!