#QuinaCinematográfica: Tudo ou Nada: Amores do Cinema Espanhol

Por Leonardo Rebello

Arte de Eugenia Loli

Finalmente Quinta!

Das muitas maneiras de elogiar o cinema espanhol, encontro nesta pequena relação de filmes o bastante para demonstrar tamanha gratidão. Como bem sabemos, os filmes surgem para que os olhos conetem-se com o coração. 

O cinema nasce em Paris pelos irmãos Augste e Louis Lumière. Por meio da fronteira ele viaja e toca outros olhos. O que nos leva até o calor dos povos quentes de emoção. Barcelona,Valência e Madrid, responsáveis pela emersão do cinema espanhol e potencialização dos diferentes gêneros ligados às tradições populares, o teatro, a literatura e as artes plásticas. 

Sendo assim,nessa quina vamos dar uma olhada em cinco filmes que retratam o amor de forma intensa, descontrolada, pluralizada aos diversos e diferentes corações. Prepare o terreno , o lenço e a coragem, vai ser um recarga eletrizante!


1. "Os Amantes do Círculo Polar" 

Cena do Filme "Os Amantes do Círculo Polar" (foto:Reprodução)
Vencedor de cinco Kikitos na melhor edição do festival de Gramado (em 1999) "Os Amantes do Círculo Polar" apresenta uma linda história de dois amantes que estão próximos de se encontrar no fim do Círculo Ártico. Passando por todas as fases juntos, Ana e Otto vivem as similaridades e projeções, estreitando as mais diversas coincidências, apostando nas maiores evidencias. O próprio amor. A própria vida.
Julio Medem nos presenteia com um filme raro,um filme que nos ensina que um dia, as coisas da vida vão acontecer. Em seu momento certo independente de nossos sonhos e desejos. 

Vale ressaltar que o filme conta com uma espetacular fotografia de Gonzalo Berridi ("O Esquilo Vermelho" - 1993).



Cena do Filme "Biultiful"
2. "Biutiful"

Um filme forte e dramático realizado por Alejandro González, filme que marca a parceria (em tom de casamento) com Javier Bardem. 
O filme se passa em uma Barcelona moderna, uma cidade pronta para dar vida a história de Uxbal (Javier). Um homem cheio de conflitos relacionados ao amor, a espiritualidade e a paternidade. Um filme que levanta assuntos delicados como a morte e o sentimento de culpa. O filem conta com o grande Guillermo Estrella e Marceil Álvarez.  




3. "Má Educação" 

Cena do Filme "Má Educação"
Esse aqui está entre meus filmes prediletos, um dos mais belos filmes de Almodóvar (Pedro Almodóvar). O filme é uma obra peculiar, com belíssimas atuações de Fele Martínez, Gael García (O grande Gael) e Lluís Homar (Sr.Berenguer - um personagem estupendo). A ficha técnica é uma beleza, figurino de Gaultier (Jean-Paul) e Paco Delgado (já levou um Goya e uma indicação ao Oscar pelo trabalho). Fotografia de José Luis Alcaine e a mágica trilha de Alberto Iglesias. 

O amor, o cinema e dois meninos nos anos 60. As primeiras descobertas, um retrato sobre o medo e o paralelo da razão e emoção, assim como as primeiras descobertas. A beleza do filme encontra-se no futuro, nos reencontros em outras décadas e a relação desses encontros. O filme não deixa de ser uma critica aos colégios e a igreja tradicional.E mesmo com um cenário pesado, um pouco depressivo, encontramos a beleza dos sentimentos no uso das favoritas cores de Almodóvar (amarelo-mostarda, roxo e azul). 



4. "Tudo Sobre Minha Mãe" 

Cena do filme "Tudo Sobre Minha Mãe"
Aproveitando o queridão acima, seguimos com mais um filme de Almodóvar. "Tudo Sobre Minha Mãe" é um filme quebra de tabu, explorando temas complexos como identidade sexual, religião (sempre presente nos filmes do queridão),o existencialismo e a AIDS junto ao travestismo. 

Uma guerreira mãe solteira perde seu filho em seu 17º aniversário. O mesmo buscava um autografo de uma grande artista por quem tinha apreço. Após a morte do rapaz, Manuela (Cecília Roth) busca o pai de seu filho, sem saber que ele é Lola, uma travesti que não sabe da existência de seu filho. Nessa busca Manuela encontra amigos, reencontra os motivos para ser feliz, e um final surpreendente
 para sua personagem. 

O filme levou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2000, assim como o Globo de Ouro, uma Palma de Ouro por sua direção e tantos outros prêmios. 



5. "Viridiana" 

Cena do filme "Viridiana"
Vale todos os títulos e participação em listas pelo mundo, um filme tocante. "Viridiana" conta com a direção de Luis Buñuel, direção da história de uma noviça que passa uns bocados ao visitar seu tio, seu único parente vivo. O que acaba transformando sua vida, abandonando o convento, suas escolhas. Viridiana (Silvia Pinal) é um exemplo da voz interior, do que acreditamos. O filme provoca a duvida entre o que acreditamos ser certo e errado, nos faz refletir sobre as escolhas que podemos tomar, um filme sobre a vida, sobre a dor, um filme transformador. 






Mais uma quina, mais histórias fortes e inspiradoras em uma quinta. Hoje pela manhã ouvi um rapaz repetir uma fala de O Fabuloso Destino de Amélie Poulain "São tempos difíceis para os sonhadores", bom acredito que estamos vivendo tempos revolucionários, tempos onde lutamos pelas igualdades, pelo amor, respeito e pela aceitação da diversidade. Sendo assim vamos usar as diferentes e diversas expressões artísticas para ressaltar o que temos de melhor, aquilo que muitas vezes está escondido, todos os sentimentos. 

Essa foi nossa quina, para enviar aqueles comentários e emojis emocionados seguem nossos contatos abaixo: 
redacao@contracenarte.com/ leonardorebello@outlook.com

Abraçaço!
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!