#QuinaCinematográfica: Sempre teremos Ingrid Bergman

Por Leonardo Rebello

Finalmente Quinta!

Ingrid Bergman (foto:Reprodução)


Bom, falta pouco para o ano acabar (14 dias, olha lá) e nossa contagem regressiva começa. Em um ano agitado (o que é maravilhoso), o cinema teve voz ativa, expressiva e assumidamente levou para as telas os verdadeiros fonemas do que deseja perpetuar.

Dentre os temas, estão elas. As livres mulheres lindamente expondo seus sentimentos e exaltando suas vozes, em conjunto, de forma linda, expressiva, massiva. Em um ano de discursos memoráveis, onde levantaram a igualdade salarial e de tratamento. Desse sentimento, nossa quina traz uma retrospectiva de cinco filmes de uma grande atriz, à frente de seu tempo, Ingrid Bergman.

Com estreia prevista para o dia 21/12 no Rio de Janeiro, o documentário "Eu sou Ingrid Bergman" trata de forma intimista a vida de uma das mais premiadas atrizes da história do cinema, três vezes vencedora e oito vezes indicada ao Oscar, Ingrid Bergman. O filme apresenta um material inédito como entrevistas, cartas, diários e muitas imagens realizadas por Ingrid durante toda a sua vida, revelando aspectos de sua vida familiar e amorosa e suas relações com os filhos e companheiros. Uma homenagem a uma lenda, lançada no ano do centenário de seu nascimento.



1 - "Casablanca"
Na Segunda Guerra Mundial, Rick, um exilado norte-americano, dirige o restaurante mais popular de Casablanca, rota obrigatória para quem está fugindo dos nazistas. Solitário e cínico, Rick se vê acidentalmente com duas valiosas cartas de trânsito nas mãos, as quais pretende vender ao líder oposicionista tcheco Victor Laszlo e sua mulher. Entretanto, para surpresa de Rick, a mulher de Laszlo é Ilsa, sua antiga e única paixão. Um marco na carreira de Ingrid Bergman, um filme para quem gosta de viver um grande amor. Lembrando que o  filme traz a musica "As time goes By"uma obra prima.



2 - "Interlúdio"
Um maravilhoso thriller noir. Sinopse:A filha de um espião alemão preso pelo governo dos EUA é obrigada a ajudar o governo americano a prender inimigos importantes, no Rio de Janeiro, para evitar a morte do pai. Mas a paixão entre ela e o agente do governo que comanda a operação é inevitável, apesar das suas diferenças.



3- "À Meia Luz"
Mesmo sendo um gênero diferente para Cukor (diretor), o filme segui maravilhosamente como um thriller. Sinopse: Depois que a tia com quem vivia é assassinada em sua própria casa, Paula vai estudar fora de Londres. Dez anos mais tarde, ela volta com o marido e vai morar na mesma casa onde crescera. Enquanto o marido se afasta cada vez mais, Paula desperta a atenção de um admirador de sua tia. 



4- "Romance na Itália"
É um belíssimo filme de 1954, um romance para levar para a vida. A atuação de Ingrid é umas das melhores neste clássico. Sinopse: Um casal em crise vai para a Itália para vender uma propriedade que herdou. Em suas andanças por paisagens italianas, ambos descobrem um novo sentido para suas vidas e, sobretudo, para o amor. 



5-"Europa 51"
O filme é marco da parceria entre Rossellini e Ingrid, parceria que resultou outros tantos filmes. Sinopse: Irene, uma mulher da alta sociedade, leva uma vida cheia de compromissos e mal tem tempo para cuidar do filho, um garoto muito sensível de 12 anos. Com a inesperada morte do menino, ela mergulha em uma profunda crise e busca um novo sentido para a vida. Vencedor do Prêmio Internacional no Festival de Cinema de Veneza, Europa 51 é um drama de rara beleza dirigido com brilhantismo por Rossellini. Um clássico incontornável.



Lá se vai mais uma quina, espero que tenham gostado. Nossos contatos para sugestões e reclamações, aqui ó:
redacao@contracenarte.com / leonardorebello@outlook.com


Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!