#QuinaCinematográfica: Quinta de Terror - Trilhas Horripilantes

Por Leonardo Rebello

Cena do filme "O Exorcista" (foto:Reprodução)
A quina de hoje se joga na temática do dia das bruxas - o queridão Halloween - e traz cinco filmes de arrepiar.

Há tempos o terror vem assombrando as telas, possuindo corpos, transformando belas em libélulas, monstros em heróis e beijos em mordidas, sangue em vida e vida em morte. Há tempos, junto à revolução cinematográfica acompanhamos a transformações do gênero, as novas formas, olhares diferentes – releituras continuam na moda – o avanço dos efeitos, todas as intervenções. Mas vamos ser bem francos, nada melhor do que aquele velho filme da adolescência - muitos continuam bem atuais- para sentir aquele frio na barriga só de ouvir aquela musiquinha assombrada de que tudo vai dar errado.

Sabemos que as trilhas são elementos decisivos para um bom filme, sabemos também que uma imagem fala por mil palavras, então juntando à imagem a trilha, a cena se cria. Sendo assim, voltamos aos melhores filmes de terror de nossas vidas, vamos ouvir mais uma vez aquelas musiquinhas de meter medo, inspirar nossas fantasias e sair atrás de doces – ou travessuras – nesse dia das bruxas. 

Exorcista (1973)

Começando a botar medinho, vamos com um clássico – baseado em uma história real, vá – um terror psicológico. A trilha do filme é uma das mais marcantes do cinema, composta com elementos básicos é caracterizada pela primeira obra de Mike Oldfield, Tubular Bells, uma composição bem minimalista que chega a um ápice progressivo. Característica principal do suspense.


Halloween (1978)

Se quiser dormir essa noite, não pense na máscara. A música é tão emblemática que Michael Myers, parece estar atrás de você, só observando. Lembrando que o mesmo matou sua própria irmã no dia das bruxas. 


Psicose (1960)

Sim, a cena do chuveiro. Uma cena memorável, assim como seu idealizador. É maravilhoso notar que Bernard Hermann – compositor – deixou de lado os fortes e trabalhosos arranjos das orquestras sinfônicas e mergulhou no experimental futuro cinema sonoro. Lembrando que seu arranjo simples abriu porta para a grandiosidade da cena desenhada lindamente. Lembrando que Bernard fez a trilha de filmes importantes como “Cidadão Kane” e outros tantos filmes de Orson Welles.


Poltergeist - O Fenômeno (1982)

Há certa dúvida quanto ao roteiro do filme, mas quanto à sua trilha sonora, só elogios. O filme de 82 (1982) traz o melhor das composições, o uso de uma linguagem musical mais simples, os usos de altas e baixas dão vida ao suspense.


Despertar dos Mortos (1980)

Obra prima do cinema, uma trilha crescente que leva as duas horas de filme em constante evolução, como se em um take fosse levado o filme. A música dos Goblins é brilhante, possui uma sensibilidade para se adequar a todas as situações trabalhadas no enredo. Lembrando que o grupo de rock progressivo dos anos 70 também esteva na trilha se “Suspiria” do italiano Dario Argento – vale confere!


Agora que estamos devidamente inspirados, vamos nos preparar para esse sábado, para o dia das bruxas. Ah! Não esqueça que dia 31 de outubro também é dia do Saci! 

Como de costume, segue aqui nossos contatos para critica, troca de figurinhas e uma sessão de cinema quem sabe.

redacao@contracenarte.com / leonardorebello@outlook.com.

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!