Festival de Inverno de Petrópolis terá ópera italiana e dança indiana

A dançarina indiana Sucheta Chapekar é um dos destaques do Festival de Inverno (Foto: Divulgação)

A 15ª edição do Festival de Inverno de Petrópolis/Dell’Arte vai homenagear a diva portuguesa Amália Rodrigues. Considerado um dos eventos mais aguardados da Região Serrana do Rio de Janeiro, o festival acontecerá entre os dias 10 e 19 de julho. Entre os destaques estão a ópera italiana de Pergolesi e a presença do grande organista Marcelo Giannini. Atrações nacionais e internacionais garantem 10 dias de entretenimento do mais alto nível. Vale a pena conferir!

O evento acontecerá, principalmente, no centro histórico da cidade, em locais ímpares da cidade, como a Catedral São Pedro de Alcântara, Museu Imperial, Theatro D. Pedro, Hotel Solar do Império e Praça da Liberdade. Em Itaipava, distrito de Petrópolis, o Espaço de Artes Miguel Salles acolherá também uma parte do festival. 

O organista Marcelo Giannini (Foto: Reprodução)

Durante dez dias, a Dell’Arte Soluções Culturais - pioneira na implantação de festivais no Estado do Rio de Janeiro - promove na cidade serrana um verdadeiro mergulho na música clássica, trazendo ainda ópera, corais, exposições, além de apresentação de jovens e promissores talentos. Haverá também debates com a presença de especialistas na área das músicas clássica e moderna.

"Ao longo de 15 anos, nós da Dell’Arte, trabalhamos com entusiasmo para que a cidade de Petrópolis tenha um dos mais respeitados festivais internacionais de música e arte do país. É o nosso desafio superar-nos a cada edição realizada, colaborar e continuar a lutar pela democratização da cultura e inclusão social das novas gerações”, ressalta a presidente da Dell’Arte, Myrian Daueslberg.

Na agenda do 15º Festival de Inverno de Petrópolis, a Abertura de Gala do Festival será na sexta-feira, dia 10, às 20h, com a apresentação da Orquestra e Coro Mariuccia Iacovino, com jovens integrantes das camadas menos favorecidas da sociedade entre 10 e 19 anos, na Catedral São Pedro de Alcântara. A Catedral também será palco de um memorável concerto do grande organista Marcelo Giannini radicado há muitos anos na Alemanha e assistente do renomado maestro Karl Richter (sábado, dia 18, às 16h). 

Festival vai à Praça (Foto: Divulgação)

Dentro da programação, estão o tradicional e animado “Festival vai à Praça”, com apresentação de grupos artísticos de alunos das escolas municipais sobre o tema "Conscientização na economia de água”, na Praça da Liberdade, (domingo, dia 12, às 9h) e o Chá Musical, no Solar do Império, com a soprano petropolitano Anna Hannickel, (terça, dia 14, às 17h).

Ópera italiana
É destaque ainda no festival a ópera cômica italiana “O Professor de música”, do compositor Giovanni Battista Pergolesi, numa encenação da Escola de Música da UFRJ regida por André Cardoso, no Theatro D. Pedro, (sábado, dia 11, às 19h) e uma homenagem especial com o evento inédito “Recordando Amália Rodrigues”, a Diva portuguesa do fado. Na ocasião, haverá exibição de vídeos inéditos e entrevistas exclusivas onde a cantora fala do Brasil e de sua experiência com a música brasileira, programa organizado pelo musicólogo português Jorge Rodrigues também no Theatro D. Pedro, (segunda, dia 13, às 19h). 

Programação
O Theatro D. Pedro será um grande palco de atrações. Estão agendadas as apresentações da recém formada Orquestra Cesgranrio, (domingo, dia 12, às 16h) que se apresentará sob a regência do Maestro Eder Paolozzi tendo como solista a pianista Patrícia Glatzl; de 5ª (dia 16) a sábado (dia 18) sempre às 20 horas apresentações de corais petropolitanos: Coral Dó, Ré, Mi (quinta, dia 16, às 19h), Coral Municipal de Petrópolis (sexta, dia 17, às 20h) e Coral das Meninas Cantoras de Petrópolis (sábado, dia 18, às 20h).

Coral das Meninas Cantoras de Petrópolis (Foto: Reprodução)

Continuam presentes na programação, os intimistas Concertos à Luz de Velas, no Museu Imperial. Este ano, há apresentações de dança clássica indiana interpretada pela respeitada bailarina Sucheta Chapekar (sexta, dia 17, às 18h) e o concerto da cantora lírica Angélica de La Riva, acompanhada pelo pianista cubano Orlando Alonso, que fará uma homenagem à Cuba, (sábado, dia 18, às 18h).

Os imperdíveis Concertos ao Meio-Dia, que acontecem também no Museu Imperial e que provocam sempre expectativas em todas as edições, apresentarão uma série dedicada ao repertório romântico. Estão confirmados os pianistas de nova geração Ligia Moreno e João Elias com obras de Schubert  e a Suíte de Rachmaninoff para 2 pianos (quarta, dia 15, às 12h). No dia seguinte, (quinta, dia 16, às 12h), Kátia Balloussier entra em cena com Patrícia Glatzl interpretando Schumann e Daniel Burlet tocando Tchaikovsky. E, por fim, Ligia Moreno interpreta o concerto Rachmaninoff 2 e, em seguida, com outro músico, Aleyson Scopel, interpretando Rachmaninoff 3, ambos acompanhados por Kátia Ballousier. 

Sessões interativas
O festival traz ainda sessões interativas como as Oficinas de Stop Motion, na Praça da Liberdade, (domingo, dia 12, às 15h), a palestra com Estevão Hermann -  “Jazz e/ou Clássicos’, (sábado, dia 11, às 11h) e a mesa-redonda com Claudio Dauelsberg  - “O Funk brasileiro e a Música Clássica”, (sábado, dia 18, às 11h), ambos no Cineteatro. Em Itaipava, a vernissage da exposição de Luiz Áquila e Show com Mariano Trio, (sábado, dia 18, às 21h) no Espaço de Artes Miguel Salles.

Angélica de La Riva (Foto: Reprodução)

Encerrando o festival, o Theatro D. Pedro coloca em cartaz o espetáculo de dança “Passinho Brazil”, (domingo, dia 19, às 17h): “Este ano, o evento será realizado graças ao empenho dos artistas e do Instituto Dell’Arte em parceria com empresas locais num esforço conjunto de amor ao projeto. Estamos com uma programação mais enxuta, porém de imensa qualidade como fazemos todos os anos”, acrescenta Myrian Daueslberg. 

História
O festival de Petrópolis foi criado em 2002, com o intuito de colaborar para interiorização da cultura junto com o festival de Nova Friburgo. Foi um projeto pioneiro da Dell’Arte Soluções Culturais no Estado do Rio de Janeiro, abrindo caminhos para novos festivais que foram criados posteriormente.

Nestes 15 anos de história, grandes artistas, orquestras, balés, solistas nacionais e internacionais se apresentaram. Entre eles, Nelson Freire, Arthur Moreira Lima, as violinistas de São Petersburgo, a Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Kataklò Athletic Dance, Theatre da Itália, New Tide Orquesta da Suécia, Zezé Motta, Maria Gadú, Jair Rodrigues, Jorge Aragão, Zizi Possi, entre muitos outros.

(Foto: Reprodução)

O Festival de Inverno de Petrópolis tornou-se uma tradição em Petrópolis, com repercussão no Brasil. Além de mobilizar a população local e das redondezas, gera um grande movimento de turistas que normalmente lotam hotéis, pousadas e restaurantes durante todo seu período. 

Ingressos a preços populares
Os ingressos têm preços populares. Os bilhetes podem ser adquiridos nos locais dos eventos e boa parte deles é destinada aos jovens, proporcionando a estes acesso às variadas formas de manifestação das artes. No período do festival, é realizada a “Campanha da Solidariedade”, tendo este ano como madrinha Vera Cecília Pinto Pereira - presidente da Associação Filantrópica de Petrópolis, localizada no Quitandinha -, que tem o intuito de arrecadar alimentos não perecíveis para Instituições parceiras e comunidades carentes. Pede-se, portanto, a doação de 1kg de alimento não perecível para cada apresentação.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!