‘Perdas e Ganhos’ traz a poesia para os palcos cariocas

Por Pablo Pêgas

Nicette Bruno em ação em "Perdas e Ganhos" (Foto: Reprodução)

"Não queremos perder, nem deveríamos perder: saúde, pessoas, posição, dignidade ou confiança. Mas perder e ganhar faz parte do nosso processo de humanização" - Lya Luft.

Nicette Bruno entra no palco e aos poucos como uma lua iluminada por um sol vai despejando sua graça e luz em direção da sua terra, nos atinge com toda a sua força. Quando uma figura que faz parte do cotidiano de tantas pessoas se dispõe a passar alguns minutos falando sobre a vida e suas gavetas que escondem os sentimentos com os quais ela mesma não teria sentido algum, é preciso parar para ouvir. São poesias, contos, frases, palavras que se emendam umas nas outras e que ao saírem do lápis de Lya Luft se encontram pacificamente na voz dessa grande atriz. 

Somos envolvidos e acolhidos, prestamos atenção nos pormenores de cada cena, em cada gesto, na luz, no cenário que se modifica aos poucos e na experiência nítida de uma de nossas melhores atrizes. É sobre a delicadeza de se viver, e ao mesmo tempo na força em permanecer vivo. Não é dada a fórmula de se viver bem, mas as pedras montam um caminho caso você queira seguir. É tudo parte da atriz, da diretora e filha, Beth Goulart, de seu grande amor, Paulo Goulart, de uma família, de amigos, e de nós. "Perdas e Ganhos" é sobre seguir em frente. 

O Anjo
A peça não precisa de muito, só a atriz e uma cadeira parecem bastar. São as palavras que ocupam o palco a fora. Por sua vez, a projeção cria vários ambientes citados, o que freia a nossa imaginação, contudo não deixam de ativar memórias. Existe um curta-metragem, que passa durante alguns minutos da peça - "O Anjo" - e é de uma sensibilidade e poesia que vão além das expectativas de qualquer um que esteja ali assistindo. Essa mistura de teatro e cinema funciona tão belamente que começo a pensar que alguns limites deveriam ser menos repeitados. 

As três personagens da obra "O Silêncio do Amantes" são bem construídas e se diferem entre si mostrando toda a experiência de uma atriz que ainda cultiva a energia de quem acabou de descobrir que teatro é a verdadeira vocação da vida. 

Sobre quem está indo assistir "Perdas e Ganhos" a espera de uma homenagem a Paulo Goulart, saiba que ela passa por esse lugar, mas é bem mais que isso. Acho lindo que seja isso também, mas é tão mais bonito quando a menção somente se transforma em algo de maior dimensão e termina homenageando não só a figura de Paulo, que nitidamente foi e é importante para essas duas mulheres, mas o que ele simbolizou e as ajudou a criar.

É uma homenagem a tudo aquilo que nos liga estando presentes ou ausentes, sobre o recomeço, o nascimento de asas na beira de um abismo, sobre partida, sobre retorno, sobre encontros que sobressaem os desencontros e acima de tudo sobre a esperança de quem fica e está aqui, firme, sabendo que se perde pra poder ganhar. A peça vale a pena por vários motivos, me faltam razões para que você não gaste seu tempo indo ao teatro assistir tão singela obra, por isso anda logo e reserva seu lugar. 

(Foto: Divulgação)

Serviço:

“Perdas e Ganhos”

Quando: Quintas, às 18h; Sextas e Sábados, às 21h; e Domingos, às 20h
Onde: Teatro do Leblon, Sala Fernanda Montenegro, Rio de Janeiro.
Quanto: Quintas e Sextas R$ 70 (Inteira) R$ 35 (Meia) Sábados e Domingos R$ 80 (Inteira) R$ 40 (Meia)

Ficha Técnica:

Texto . Lya Luft
Elenco . Nicette Bruno
Adaptação e Direção . Beth Goulart
Assistente de Direção e Preparação Corporal . Ana Paula Bouzas
Preparação Vocal . Rose Gonçalves
Iluminação . Maneco Quinderé
Iluminador Assistente . Felício Mafra
Operação de luz . Diana Cruz
Cenário . Ronald Teixeira
Ass. cenário . Bruno Lopes, Eloy Machado e George Bravo
Diretores de cena . André Boneca e Bruno Lopes
Contra Regras . Guaracy Ribeiro, Raone Leher
Trilha sonora . Alfredo Sertã
Operador de audio e vídeo . Paula Alves Mendes
Claire de Lune (Debussy) na versão de Diogo Carvalho
Produção de figurino . Beth Goulart
Camareira: Eliane Silva
Fotografia: Nana Moraes
Programação visual . Carol Vasconcellos
Visagismo . Vavá Torres e Graça Torres
Produção e Direção de vídeo . Raquel Couto e Rodrigo Benatti
Equipe técnica filme O Anjo
Fotógrafo . José Tadeu Ribeiro
Câmera . Antônio Hofmeister
Produção de set . Liliane de Paula
Maquinista . Carlito Barroso
Elétrica . Rodrigo Graff
Direção de arte . Luciana Buarque
Ass. arte . Luciana Arantes
Aderesista . Moara Alcantara
Ass. aderesista . Marcelo Cantalupp
Ass. de figurino . Maria Ricota
Colorista . Pedro Saboya Burgos
Vídeo bailarina . Ana Paula Bouzas
Vídeo grafismo e mapping . Renato Vilarouca e Rico Vilarouca
Direção de produção . Amora Xavier
Produção executiva . Manoela Reis
Ass. de produção . José Severino Junior
Assessoria de projetos e leis de incentivo . Julio Augusto Zucca
Supervisão de produção e assessoria geral de comunicação . Pierina Morais
Coordenação do projeto . Self Produções.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!