'Within Temptation' volta ao Rio no palco do Circo Voador

Por Emanuelle Valles

Within Temptation no palco do Circo Voador (foto: Emanuelle Valles / Contracenarte)

O metal sinfônico de Within Temptation agitou os fãs em seu show no Circo Voador, casa localizada na Lapa, zona central do Rio de Janeiro, no último sábado, dia 29. Formada em 1996, a banda mudou bastante o seu estilo desde o seu primeiro álbum "Enter" e hoje mistura ritmos, batidas e acordes ao metal. Surpresa para alguns e alegria para tantos, pois o local estava cheio e os fãs ansiosos pelo começo do show.

Com Sharon den Adel nos vocais, Robert Westerholt, Stefan Helleblad e Ruud Jolie nas guitarras, Jeroen Van Veen no baixo, Martijn Spierenburg no teclado e Mike Coolen na bateria, a banda subiu ao palco para apresentar as músicas do novo álbum "Hydra" e trouxe poucas referências do passado, com suas letras mais melancólicas, onde a potência vocal lírica de Sharon era dividida com a voz gutural e imponente, típico do doom metal, estilo este que consagrou a banda.

Within Temptation no palco do Circo Voador (foto: Emanuelle Valles / Contracenarte)
O que vimos neste show diferenciava e muito do que Within Temptation apresentava,  exceto pela voz pura e rica de Sharon. Acordes pop, como na música "And We Run", que conta com a participação do rapper americano Xzibit, à visão da vocalista sensual e insinuante no palco para um público adolescente, enquanto cantava "Faster". Confesso que para uma apreciadora do doom metal a decepção e o espanto tomaram conta de mim diante do que eu ouvia e via. 

Essa mudança - que não foi repentina mas foi sutil à cada single e álbum - trouxe para o seu público os mais jovens, entre seus 15 e 20 anos, que curtem essas misturas. Foi até engraçado ver por exemplo um rapaz vestindo uma camisa da banda Dimmu Borgir (que é uma banda de black metal), cantando em sintonia com a banda e seus acordes pop. Não que eu seja contra às misturas, mas se isso fosse algo já notável desde o princípio da banda... Mas a deparar-se com outra Sharon, tanto em postura quanto em estilo musical me deixou um tanto decepcionada. Conquistou mais fãs mas com certeza perdeu muitos outros, que apreciam as raízes doom

Foram duas horas de delírio para a legião que lotou o Circo Voador e para alguns como eu, de decepção. Seria uma tendência do cenário rock e de suas vertentes? Será que bandas como Within Temptation, Lacuna Coil, Nightwish, Tristânia, Theatre of Tragedy e tantas outras conseguiram mais dinheiro e notoriedade ao saírem de suas origens para conseguirem o almejado sucesso? Será que é realmente necessário estas mudanças por vezes tão drástica, esquecendo inclusive de seus fãs que o seguiram para alcançarem novos públicos? 

Uma questão bem extensa e que valeu para mim a reflexão. Concluo dizendo que a noite foi de surpresas, de laços quebrados e tantos outros selados. Uma noite de desencontros e encontros, de chegadas e despedidas.

Segue o setlist da noite:

Movie Dragon
Paradise
Faster
Let Us Burn
ITMOTN
Edge Of The World
Jillian
Stand My Ground
Summertime Sadness
And We Run
The Promisse
Dangerous
Angels
Sinead
Hand of Sorrow
What Have You Done
Silvermoon Light
Mother Earth

Bis

Covered by Roses
Ice Queen







Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!