Inspirado em Martin Page, ‘Felizac’ estreia na Lapa a preço popular

"Felizac" estreia na Lapa (Foto: Divulgação)

A busca pela felicidade. Isso é o que move o espetáculo “Felizac”, em cartaz na Sede da Cias, na Escadaria Selarón, na Lapa, Rio de Janeiro. Livremente inspirado no livro “Como me Tornei Estúpido”, de Martin Page, a peça traça o perfil do anti-herói contemporâneo Antônio, um rapaz de vinte e cinco anos, que escolhe um plano que parece perfeito, no entanto muito curioso: tornar-se estúpido. Segundo ele, essa é a única forma de sobrevivência na sociedade dos dias de hoje.

Com muito humor, a história fala de alternativas de condução perante a vida, além da eterna busca de realização pessoal. Dirigido por Lucas Gouvêa, “Felizac” é formador por atores do grupo “Coletivo de Uns”. O cenário é assinado por Louise Dias, Camila Silveira e Antonio Tostes. “Felizac” fica em cartaz até o dia 12 de dezembro, de quarta a sexta-feira, às 20h. O ingresso custa R$ 10.

Na peça, Antônio resolve abdicar de seu autoconhecimento e consciência moral, pois estes seriam responsáveis por sua infelicidade. Segundo ele, ser estúpido seria um plano perfeito de sobrevivência e de aceitação perante a sociedade em que vive, uma vez que saber aramaico, conhecer a fundo o cinema de Sam Peckinpah e Frank Capra, entre outros méritos intelectuais, nunca o levaram a lugar algum. Felizac é um remédio que promete ser a solução dos seus problemas. Ou seria o inicio deles?

(Foto: Divulgação)

Brincando com as referências do mundo moderno e a tal busca da felicidade, e de como dependemos muitas vezes de “pílulas milagrosas” para alcançar tal objetivo, o espetáculo conta uma história que, apesar de parecer de fundo “nosense”, transborda humor e poesia, inserindo a plateia dentro do universo do protagonista.

Com isso, o grupo pretende criar esse painel de interrogações, fazendo com que ela se sinta parte também parte desses conflitos, se emocionando e rindo e, quem sabe, olhando para dentro de si mesmas de forma diferente.

Sobre os atores
A vontade ou inquietação inexplicável que motiva o artista a levar ao palco suas indagações, foi o que motivou o surgimento do COLETIVO DE UNS, grupo que se formou em maio de 2014, numa oficina que o diretor Lucas Gouvêa ministrou na Sede das Cias,cujo encerramento se deu mediante a apresentação do texto O amor é um franco-atirador, da dramaturga e diretora argentina Lola Arias.

Com interesse em dar continuidade ao trabalho, buscando uma investigação a partir das relações humanas em paralelo a uma atmosfera de caos urbano, o grupo resolveu levar à cena o espetáculo Felizac – por uma vida menos cretina, livremente inspirado no livro “Como me tornei estúpido” de Martin Page, e que dentre outros aspectos, fala de alternativas de condução perante a vida, sobre um cotidiano que nos é imposto, além da nossa busca interna de realização pessoal.

Serviço:

“Felizac”

Onde: Sede da Cias, Rua Manuel Carneiro, 12 - Escadaria Selarón, Lapa, Rio de Janeiro.
Quando: Quartas, Quintas e Sextas, às 20h, até o dia 12/12
Quanto: R$ 10 

Ficha Técnica:

Dramaturgia e Direção: Lucas Gouvêa
Elenco: Alessandra Barbagallo, Ana Lua Gonzaga, Antonio Tostes, Danilo Gomes, Edson Ferreira Zédin, Giovanna Infante, Juliana de Moraes, Léo Torres, Louise Dias, Marcelo Albuquerque, Pablo Pêgas, Rohan Baruck e Vanessa Lobo.
Produção executiva: Giovanna Infante e Maria Chafir
Cenografia: Louise Dias, Camila Silveira e Antonio Tostes
Design de luz: Vitor Emanuel
Figurino: Joana Lima Silva
Trilha sonora: Lucas Gouvêa
Preparação vocal: Roberta Bahia
Direção de movimento: Paula Isnard de Maracajá
Assistência de direção: Carmen Kawahara
Programação visual: Rohan Baruck
Classificação Indicativa: 12 anos
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!