'Frida Kahlo, a Deusa Tehuana': Você tem que assistir!

Por Pablo Pêgas

Rose Germano em cena como Frida (Foto: Divulgação)

Tenho tentado arduamente por em palavras o que vi no monólogo "Frida Kahlo, a Deusa Tehuana" e não consigo. Não estou dando conta de descrever tamanha preciosidade. Existem coisas que me atravessam tão fortemente, que me derrubam da zona de conforto e me expulsam as palavras. Quero escrever sobre essa peça, mas não sei como passar adiante o que presenciei. Depois de muito pensar, escrever, apagar, reescrever, resolvi me expor e dizer que não pretendo falar somente do espetáculo em si, nem mesmo só de quem foi Frida ou do que foi Frida, me decidi por falar de como tal peça chegou até mim e pode chegar até você.

Estava sentado na ultima fileira do teatro, tinha percebido um cenário simples disposto no palco, uma curiosa mesa comprida que lembrava uma passarela, cadeiras com cores que lembravam Frida, molduras, muitas molduras centralizadas no chão ao fundo, um músico sentado no canto enaltecia o ambiente ao som do México, uma luz que combatia o breu inicial de um espetáculo, todos os lugares ocupados, e ela, a grande atriz. Rose Germano não discute presença com nada disposto ali, já é dela o palco, vestida de uma camada de pesquisa de Teatro Físico, ela traz seu corpo que se junta ao texto e te faz desgrudar da cadeira.

(Foto: Divulgação)

Fez meus olhos ansiosos por teatro focarem como se eles fossem um telescópio, a segui por todo o espaço, do começo ao fim, e tive a sensação de que os meus não foram os únicos. A peça é majestosa em minha sincera e ingênua opinião. Eu fui capaz de ver tudo o que mais amo ver no teatro: a criatividade com o pouco, o corpo do ator em evidência, os objetos ressignificados, objetos que dialogam a todo o instante, pesquisa, coragem e cuidado. Fui levado, fui carregado gentilmente, virei fã do trabalho desses dois gênios, Luiz Antônio Rocha e Rose Germano, e toda a sua equipe.

O que Rose e Luiz me fizeram ver de Frida:
Por detrás da figura mítica e divinizada da artista, houve uma mulher que lutou contra os obstáculos impostos pelos acasos da vida e se deixou levar pelo o que amava, Frida se deu para o amor, mergulhou fundo naquilo que acreditava. Fugiu dos esteriótipos, não havia classificações pra ela, sua realidade era sonho e pesadelo e ela vagava por esses dois lugares. Suas vontades foram muitas vezes reprimidas pelas circunstâncias da vida, que a fez ser forte quando muitos esperavam sua fraqueza.

Ela bateu de frente com o mundo, se ergueu quando todos esperavam sua queda, andou quando esperavam sua inércia, pintou com cores quando todos esperavam o triste preto e branco. Cresceu ao se desintegrar, foi fiel quando não havia fidelidade, cruzou a rua, pulou o muro, rompeu as barreiras, modificou a visão de muitos, e se foi. Quando já não havia mais tanta força, nem mais tanta potência, talvez nem mais tanto amor, com o pouco que ainda existia dentro dela, se desfez ao tornar-se uma figura imortal.

Um espetáculo sobre o diálogo de uma forte mulher com o acaso de viver. Você tem que assistir!

"Viva la Vida" - Frida Kahlo. 

Serviço:

"Frida Kahlo, a Deusa Tehuana"

Quando: Sábados, Domingos e Segundas as 20:00 horas até 14/12
Onde: Teatro Glaucio Gill, Praça Cardeal Arcoverde, s/n, Copacabana
Quanto: R$ 30 inteira, R$ 15 meia
Classificação: 16 anos.

Ficha Técnica:

Idealização: Cia Espaço Cênico
Encenação: Luiz Antônio Rocha
Atriz: Rose Germano
Músico: Pedro Silveira e  Diogo Sili
Figurino e Direção de Arte: Eduardo Albini
Assistente de Figurino: Luna Santos
Pintura de Arte e Cenário: Eduardo Albini
Direção de Movimenteo: Norberto Presta
Trilha Sonora: Marcio Tinoco
Luz: Aurélio di Simoni
Visagismo: Ton Hyll
Projeto Gráfico: Vera Cal e Eduardo Albini (Casa Tamanduá)
Foto Frente: Renato Mangolin
Foto Verso: Carlos Cabéra
Assessoria Jurídica: Leo Camacho
Assessoria de Imprensa: João Pontes  e Stella Stephany
Registro Audiovisual: Felipe Rodrigues - Maria Gorda Filmes
Marcenaria: Ailton Ribeiro
Costureira: Maria Santa Feitosa
Chapelaria: Denis Linhares
Bordadeira:  Dedeka Laranja
Sapateiro: Nieto
Consultoria Leis de Incentivo: Alexandre Almassy
Produção Executiva: Flavia Frias
Prestação de Contas: Alexandre Almassy
Direção de Produção: Luiz Antônio Rocha e Rose Germano
Realização: Cia Espaço Cênico
Dramaturgia: Luiz Antônio Rocha e Rose Germano 
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!