Michael Bublé tira selfie, arrisca no sertanejo e empolga fãs no Rio

Por Emanuelle Valles


Michael Bublé se apresentou na noite de quarta-feira no Rio (Foto: Reprodução/Internet)

Carisma, senso de humor apurado, energia e sensualidade... além de uma voz impecável. Qualidades que descrevem, de maneira sucinta, o que foi assistir Michael Bublé, na noite de quarta-feira (17), em seu show "To Be Loved", no HSBC Arena, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Casa cheia de fãs - mães, pais, casais, jovens, idosos, crianças - que explicitavam a variedade de pessoas que tornaram-se fãs deste show man. Conseguir lotar uma casa de shows, em plena quarta-feira de muito trânsito não é tarefa fácil. Mas ele conseguiu.

Antes de começar o show, a plateia foi agraciada pela apresentação ímpar do grupo vocal norte-americano Naturally Seven que chegou mostrando o que são capazes. Sem instrumentos, apenas as suas vozes, a platéia aplaudiu e o clima para o show já havia sido feito. Com vinte minutos de atraso, Michael entra trajando um terno no estilo James Bond e já arrancando suspiros com sua interpretação de "Fever", de Elvis Presley, seguido de "Haven't Met You Yet".

Bublé postou no Instagram cover de "Ai se eu te pego" (Foto: Reprodução/Instagram)

Pausa para a primeira interação com o público e Michael já arranca suspiros das fãs ao chamar duas moças para tirar uma Selfie com ele. Carisma ímpar e carinho para com seu público alinhados a uma jazz band de tirar o chapéu e uma produção grandiosa e impactante. Michael Bublé declara: “Eu quero que essa noite seja como um primeiro encontro. Que comece bem devagar e, no final, nós terminemos fazendo um sexo sacana no meu carro”. E foi assim a apresentação, intercalando sucessos consagrados de sua carreira, como "Everything", "Home", à clássicos do jazz, do soul, do R&B e até do pop, que trouxeram o ritmo do qual Bublé se referia, demonstrando a versatilidade dele e de sua banda.

Por sinal, que banda! No momento de apresentá-la, o super telão que intercalava imagens projetadas a imagens do cantor e sua banda, apresentou de maneira inusitada os integrantes - como num time, o Bublé Team - e Michael com seu humor, ia falando, ou melhor brincando, com cada um deles antes de apresentar formalmente cada um. Michael cantava, rebolava, dançava e junto a animação dele o palco criava as ambientações, aliadas a muita luz, leds e até fogo! A banda era deslocada conforme a necessidade do palco, assim como o chão, que hora se transformava em parede, ora em escada, hora em um pedestal para que Michael pudesse permanecer enquanto cantava. Grande produção para um momento ímpar.

(Foto: Reprodução/Internet)

Noite de romantismo
Em outro grande momento de suas piadas, Michael convoca a todos a aproveitarem o momento e a renovarem os seus votos de amor - ao seu par, lembrando que a grande maioria dos espectadores eram casais - cantando com ele uma das canções mais lindas porém tristes: vem Michael cantando "Everybody"do grupo Backstreet Boys... Momento de grandes risadas, seguido pelo conselho um tanto não ortodoxo dele: “Esse momento é mais romântico. Para vocês que vieram acompanhados, é a hora de abraçar a pessoa ao lado. Mas eu sei que também há solteiros na plateia e esse momento também é para vocês. Para vocês tentarem uma threesome com o casal ao lado”.

Michael também lembrou que sempre usa o seu Instagram para falar sobre os locais onde ele tem passado com a sua turnê e como não poderia deixar de ser, ele fez uma homenagem ao Rio, ao Brasil, ao colocar um vídeo dele cantando com sua banda "Ai Se Eu Te Pego", sucesso sertanejo de Michel Telóno telão, convocando a todos a seguirem ele na rede social. Mais uma vez arrancou risadas e animação do público.


Palco chamou a atenção (Foto: Arquivo Pessoal)

Como um anexo, tínhamos um segundo palco - o Golden Circle - onde alguns espectadores ficaram neste local e foram super agraciados com Bublè saindo do palco principal e cantando cinco canções - em conjunto com o grupo Naturally Seven - e colocando os fãs em delírio. Ele começa a segunda parte cantando "Get Lucky", de Daft Punk, com direito a dança e selfies tirados com os celulares dos espectadores. Seguindo em sua apresentação, Michael e N7 cantam "I Want You Back", de Jackson 5, "To Love Somebody" de Bee Gees, "All We Need Is Love" dos Beatles - onde tivemos direito a chuvas de papéis picados coloridos no formato de corações, e fechou o show com "It’s A Beautiful Day".

Em seu bis, o grand finale foi mesmo arrebatador: começando com "Cry Me A River", seguido de"Save The Last Dance For Me" e fechando com chave de ouro, "I Song For You", com direito a cantar à capela e - definitivamente a melhor parte do show - conseguir ser ouvido da área premium ao setor 3, que para o delírio dos fãs foi a melhor forma de demonstrar o quanto Michael Bublè é uma estrela, um show man, uma referência da música internacional.

Para quem ainda tem dúvidas do quanto ir a um show de Michael é uma experiência ímpar, aproveite o final de semana e garanta já seu ingresso para as apresentações que ele fará em São Paulo, no HSBC Brasil. Pode ter certeza que assim como eu, você irá querer reviver todos estes momentos indefinidamente.

Sobre Michael Bublé
Michael nasceu no subúrbio de Vancouver, Burnaby, em British Columbia, em uma família de pescadores. Ele afirma que “cresceu ouvindo a coleção de jazz da família”, e, em seu site, destaca a importância de seu avô no sentido de incentivar seus gostos musicais. Foi ele quem lhe apresentou os trabalhos de Sinatra, Ray Charles e Elvis Presley – hoje ídolos do cantor.

Bublé tem três álbuns independentes, “First Dance” (1996), “Babalu” (2001) e “Dream” (2002). Em 2003, o CD “Michael Bublé” foi lançado e logo se tornou um grande sucesso internacional, sendo disco de platina em diversos países, top 10 no Canadá, Reino Unido e África do Sul e alcançou o número 1 na Austrália. Também alcançou o top 50 no Billboard 200 em 2003, ganhando disco de ouro nos EUA. Três músicas (“Kissing a fool”, “How can you mend a broken heart” e “Sway”) alcançaram o top 30 no Billboard Hot Adult Contemporary Tracks. Duas músicas do seu primeiro álbum, “For Once in My Life” e “Kissing a Fool” fizeram parte da trilha sonora do filme “Down with Love” (Abaixo o Amor) de 2003. Outra de suas músicas foi adicionada nos créditos finais do filme “Homem Aranha” em 2004.

 (Foto: Divulgação)

No ano de 2005, Michael lançou o álbum “It’s Time” que incluía grande variedades de clássicos como “You Don’t Know Me" e “Feeling Good”. Seu terceiro álbum, “Call Me Irresponsible”, chegou ao número um da Billboard 200, assim como o álbum posterior “Crazy Love”. Lançado em 2011, “Christmas” vendeu seis milhões de cópias em apenas dois meses, mantendo o astro em primeiro lugar por cinco semanas consecutivas como o álbum mais vendido no mundo. O mais recente “To Be Loved”, lançado em abril de 2013, já alcança a marca de 3 milhões de cópias.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!