'The Rover' faz refletir, em um mundo sem leis até onde iríamos?

Por Rafaela Sales

Cenas do filme (foto: Reprodução/ Internet)
  • Ano de lançamento: 2014
  • País: Austrália/Estados Unidos
  • Língua: Inglês
  • Título original: “The Rover”
  • Diretor:  David Michôd

O mais novo trabalho de David Michôd chega às telas sob os holofotes da expectativa, afinal, o filme anterior do diretor, “Reino Animal” (2010), foi um sucesso de crítica e premiações. “The Rover – A Caçada” é escrito, produzido e dirigido por Michôd e estrelado por Guy Pearce e Robert Pattinson. A trama se passa em uma Austrália pós-apocalíptica, um deserto sem dono, dez anos após um colapso econômico mundial. Eric (Guy Pearce) é um homem sozinho, como muitos nesse novo mundo. Quando seu carro, único bem material, é roubado por uma gangue de assaltantes, Eric decide partir em uma caçada a fim de recuperar o que lhe fora roubado.  

No meio do caminho, o homem cruza com um jovem ferido (Robert Pattinson), que – por uma coincidência louca – é o irmão mais novo de um dos membros da gangue de ladrões, que ficou pelo caminho após um dos assaltos do grupo. No irmão, que sofre pelo abandono fraterno, Eric encontra um parceiro para a jornada.

Uma espécie de faroeste futurista, “The Rover” não é nada espetacular, mas triunfa pela construção do subtexto. Com um protagonista forte, o filme fisga o espectador através de um calado Guy Pearce, que domina a tela sempre que aparece. A mistura entre cenas contemplativas e cenários surreais, envolvendo anões, cafetinas e violência crua, cria um ritmo interessante.

O maior tropeço da trama é a irregularidade da linha narrativa. Quando nos conformamos em mergulhar no filme, sem perguntar quem é quem, em confiar no diretor o suficiente pra não fazer questão de indagar, somos surpreendidos por esclarecimentos que não eram necessários. Uma pena. 
Guy Pearce é sensacional. A expressão sempre bem calculada, uma atuação completa. Ao seu lado está um Robert Pattinson crível, em uma das melhores atuações da carreira. Bom manter um olho no rapaz. A direção de Michôd bambeia em alguns momentos, mas é importante lembrar que esse é só o segundo longa do diretor, que já provou ter o necessário para trilhar um caminho pra lá de interessante.

Em meio a tropeços e triunfos, “The Rover” é um filme para se assistir. Enquanto caminhamos pela realidade apresentada, somos instruídos a refletir sobre os limites humanos. Em um mundo sem leis, até onde iríamos? Vale a ponderação. 

Confira no player abaixo o trailer do filme:



Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!