'Atrás da Porta' discute as verdades não ditas numa relação

Por Pablo Pêgas

Cena do espetáculo (foto: Divulgação)
Você merece uma peça boa.

Luz acende aos poucos. Toca Landslide da banda Fleetwood Mac! Um casal divide sua fofura. Ela em pé perto da mesa de jantar. Ele chega devagarzinho e a abraça. Parecem tão felizes, mas não são. Tem algo escondido que evita ser dito. 

Então, corajosa, ela diz: "acabou!" 
"Do nada?" -  surpreso, ele pergunta.

- Nunca é do nada.-  Ela pega as malas e vai. Ele fica. Um casal de amigos chega mais tarde pra fazer companhia e verdades antigas que já viraram segredos começam a vir a tona.

ATRÁS DA PORTA é uma peça rápida, com um texto inteligente escrito por um Psicanalista (Fernando Scarpa) e seu filho (Guilherme Scarpa) no famoso estilo bate-e-volta trazendo um ritmo pra peça que te prende - eu nem tive tempo de me encostar na poltrona. A direção nova de Emilio Orciollo Netto chega certeira no porto do teatro (dinâmica e divertida). Ainda que eu prefira imaginar mais do que visualizar tudo dado, não me incomodou o excesso de realismo no palco - com exceção da "micro-cena" de por o celular pra carregar. Embora exista uma proposta de quebra desse realismo com a troca de figurinos e mudanças de cenas acontecendo no palco a meia luz, ele está lá, quase que tão forte quanto na televisão. 

Cena do espetáculo (foto: Divulgação)
A peça é boa! Debate o poder e o estrago da verdade dita, coloca o amor em voga nos fazendo pensar sobre o que ele é e se é, e debate também a relação que muitos casais estabelecem hoje em dia. A relação da peça se apresenta em uma via só, um pouco dependente, nos mostra ao decorrer da peça ser uma relação de aparências  e por fim quase que psicopática. - A gente acha que tá tudo certo, que tá tudo maravilhoso, mas as vezes estamos só nos enganando, estamos ingenuamente [ou não] fingindo pra não enxergar a merda toda. 

Na relação desses quatro personagens que são dispostos no palco sem muita informação - o que não é nada ruim -  tem muita porcaria escondida. Após umas doses de uísque e uns cigarros, eles começam a cuspir suas verdades guardadas, seus desejos recônditos na maior cara lavada jogando toda a merda no ventilador. Um estrago que chega ser cômico de tão trágico! Apesar da peça ser rápida, demora para os personagens se revelarem.  Não há máscaras, eles não fingem ser outra coisa,  eles se mostraram nus e crus desde o principio, e é a gente que espera mais de cada um durante suas evoluções na peça. Só que eles não são mais do que aparentam. Nos enganamos ao pensar demais sobre o que estariam escondendo, e na verdade a única coisa escondida atrás da porta, esteve sempre ali, bem no nosso nariz. Previsível, mas surpreende. 

Enfim, acho bom você correr e comprar seu ingresso logo porque ATRÁS DA PORTA só.Vai.Até.Esse.Final.De.Semana no Teatro Glaucio Gill.

Ficha técnica
Texto: Fernando Scarpa e Guilherme Scarpa
Direção: Emilio Orciollo Netto
Elenco: Maria Eduarda de Carvalho, Bruno Padilha, Leandro Baumgratz e Luiza Scarpa
Cenário: Fernando Scarpa e Maria Luz Gómez
Figurino: Manoela Pessoa
Iluminação: Luciano Xavier
Trilha sonora: Plínio Profeta
Produção: Guilherme Scarpa

Serviço:
Onde: Teatro Glaucio Gill — Praça Cardeal Arcoverde s/nº, Copacabana 
Quando: Esse sábado, 23, às 21h; domingo, 24, às 20h 
Quanto: R$ 30 (inteira) R$ 15 (meia)
Classificação: 14 anos



Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!