Mostra de Cinema Árabe traz o ator Adam Bakri e 70 filmes

Da Redação

Ator Adam Bakri em cena do longa palestindo "Omar" indicado ao Oscar (foto: Divulgação)
A realidade das instituições psiquiátricas no Egito. O palestino que cresceu em um campo de refugiados no Líbano e filmou sua própria história. O menino marroquino que aprendeu a gostar de cinema com sua vizinha espanhola. Essas são algumas das histórias que permeiam as obras da 9ª Mostra Mundo Árabe de Cinema, que conta com patrocínio da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira e vai exibir 70 filmes a partir de hoje, dia 13, até o próximo sábado (16), na cidade de São Paulo.

A programação deste ano conta com filmes em curta, média e longa metragens, discussões com cineastas e produtores consagrados do mundo árabe, atividades paralelas como shows, exibição em cinco locais da cidade e títulos selecionados em dois importantes festivais, o Festival Internacional de Cinema de Dubai e o Festival de Cannes.

Geraldo Campos, diretor cultural do Instituto da Cultura Árabe (ICArabe), que é curador da mostra juntamente com Soraya Smaili, esteve nos dois festivais para fazer a seleção. Também estão na grade do festival outros filmes, de festivais no mundo árabe ou mesmo oferecidos pelos próprios diretores ao ICArabe, promotor da mostra. 

Temáticas
O resultado da seleção é uma mescla de temáticas como relações familiares, campos de refugiados, ficção científica, solidão, conflito, entre outras. Há até um curta metragem de animação sobre um conto palestino. O filme que abre a mostra, no dia 13 de agosto, é o palestino Omar, que concorreu à melhor filme estrangeiro no Oscar, e foi feito com recursos do país árabe. Ele conta a história de Omar e da sua amada Nadia, rodeados pela batalha pela liberdade na Cisjordânia ocupada.

O título será reexibido no dia 15 de agosto, no Cinesesc, quando o produtor e ator de Omar, Waleed Zuaiter, estará no Brasil. A exibição está marcada para às 9 horas, juntamente com um curta palestino Estado Nação, e será seguida de um debate com o ator. O filme chamou a atenção no mundo por sua seleção ao Oscar, algo inédito para uma produção palestina.

O marroquino Adios Carmen também está na programação e conta a história de um menino que vive com o tio agressivo. Ele encontra acolhida em sua vizinha espanhola, que trabalha em uma sala de cinema, e a partir daí se encontra com toda a magia do mundo das telonas. O documentário Um Mundo que não é Nosso mostra a história de um palestino que cresceu em um campo de refugiados, o Ein el-Helweh, no Líbano. Ele foi produzido a partir de gravações pessoais do protagonista, arquivos familiares e imagens históricas.

Debates
O egípcio Zelal retrata o dia a dia de um hospital psiquiátrico no Egito. O filme é dirigido por Marianne Khoury, que participará de um debate no dia 30 de agosto, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). Khoury é jurada de grandes festivais internacionais e a discussão reunirá profissionais do mundo do cinema e da psicologia para discutir o encontro das duas áreas. Também participarão de discussões na mostra os egípcios Alaa Karkouti e Maher Diab, da distribuidora Med Solutions. Karkouti é um dos maiores críticos de cinema do mundo árabe.

No fechamento da programação do Memorial da América Latina, um dos locais que recebe a mostra, haverá um show musical, com uma mescla da música árabe e da brasileira. Vão tocar juntos, no dia 25 de agosto, com curadoria de Geraldo Campos, o tunisiano Raoulf Jemni e os brasileiros Claudio Kairouz e Junior Pita. Os dois primeiros já formam o duo 156 Cordas, tunisiano-brasileiro. No mesmo dia haverá exibição do filme sobre a orquestra montada pelo palestino Edward Said e o israelense Daniel Barenboim. Também haverá um coquetel de encerramento.

A mostra será dividida em quatro temáticas: Panorama Mundo Árabe, Cinema Palestino, Cinema Egípcio Contemporâneo e Diálogos Árabes-Latinos. Esta última é composta por produções latino-americanas com temáticas árabes. O primeiro traz uma grade variada de produções, com filmes da Síria, Argélia, entre outros, e temas diversificados. A mostra acontece nos dez anos de criação do Icarabe. Segundo Campos, os filmes são bem atuais, deste ano ou do ano passado.

Os locais de exibição serão o Cinesesc, de 13 a 20 de agosto, Memorial da América Latina, de 22 a 25 de agosto, Centro Cultural Banco do Brasil, de 27 de agosto a 14 de setembro, Centro Cultural São Paulo, de 9 a 16 de setembro, e Auditório da Biblioteca Mário de Andrade, de 2 a 9 de setembro. O Icarabe promove a mostra em parceria com A Câmara de Comércio Árabe Brasileira, o Sesc-SP, o Centro Cultural Banco do Brasil, Prefeitura de São Paulo e Memorial da América Latina. 

Serviço
"9ª Mostra Mundo Árabe de Cinema"
As atividades paralelas são gratuitas. 
Já a exibição dos filmes varia segundo o local que a recebe.
Quando: De 13 de agosto a 16 de setembro de 2014
Locais: Cinesesc, Memorial América Latina, Biblioteca Mário de Andrade, de Centro Cultural Banco do Brasil, Centro Cultural São Paulo, na capital paulista

Informações: www.icarabe.org.br 
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!