‘Se eu Fosse Você’ ganha versão musical nas mãos de Daniel Filho

Elenco principal de "Se eu Fosse Você - O Musical" (Foto: Divulgação)

Do cinema, para os palcos. Assistidos por mais de 9 milhões de espectadores (segunda maior bilheteria desde a retomada do cinema nacional), os filmes “Se eu Fosse Você” e “Se eu Fosse Você 2” chegam ao teatro em forma de musical a partir do dia 21 de março, no Teatro Oi Casa Grande, no Leblon, no Rio de Janeiro. O espetáculo tem direção de Alonso Barros, texto de Flávio Marinho e direção musical de Guto Graça Mello e supervisão de Daniel Filho, que dirigiu os longas.

“Se eu Fosse Você – O Musical” é assinado pela Aventura Entretenimento, produtora de sucessos como “Elis, A musical”, “Rock in Rio – O musical”, “Hair”, “Um violonista no telhado” e “O Mágico de Oz”. O espetáculo dá sequência à trilogia “Uma Aventura Brasileira”, que busca o fortalecimento da cultura nacional. São 22 atores em cena e um repertório exclusivo de sucessos de Rita Lee.

Daniel Filho (de azul, no centro) e equipe de "Se eu Fosse Você - O Musical

Com orçamento de 8 milhões, a comédia musical mescla a trama dos dois filmes para contar a história de Helena (Claudia Netto) e Claudio (Nelson Freitas), casal em crise conjugal que, acidentalmente, troca de corpos e tem que aprender a lidar com as idiossincrasias do sexo oposto. 

“Se Eu Fosse Você é uma historia de amor, de compreensão. De entendimento destes dois animais tão diferentes que é um homem e uma mulher, com manias, vontades e jeitos opostos de pensar, mas que se complementam. E que não vivem um sem o outro”, observa Daniel Filho.

Diretor e coreógrafo da montagem, Alonso Barros frisa que, assim, como nos filmes, o espetáculo mostrará as mudanças dos personagens de uma forma sutil, sem grandes exageros gestuais: “Existem diferentes formas de se narrar um relacionamento. Enquanto Bergman fez Cenas de um Casamento e Lubitsch fez comédias, a gente conta no palco uma história de amor através de uma troca de corpos”, explica ele, que há 25 anos se divide entre coreografia e direção de musicais e óperas no Brasil e na Europa.

No cinema, Tony Ramos interpretou Cláudio (Foto: Divulgação)

Uma Aventura Brasileira
“Se eu fosse você, o musical” é a segunda produção da trilogia Uma Aventura Brasileira, comandada pelos sócios da Aventura Entretenimento Aniela Jordan, Fernando Campos e Luiz Calainho, que reúne espetáculos 100% nacionais em parceria com uns dos mais competentes autores e diretores do país. Depois de Elis, A musical - sucesso de público no Rio e em cartaz em São Paulo a partir de março – e Se eu Fosse Você, o musical, será montado Velho Guerreiro, O musical, com texto de Pedro Bial e estreia prevista para setembro.

“A gente resolveu mostar este espetáculo logo após Elis, A musical para fazer um contraponto. A Aventura Entretenimento quer diversificar com espetáculos de diferentes gêneros e muita qualidade. Toda audição revela gente nova e talentosa. O Brasil está desenvovendo cada vez mais jovens que se dedicam ao canto, dança e teatro”, conta Aniela Jordan. Cerca de 2 mil pessoas se inscreveram para as audições do espetáculo, das quais 500 foram selecionadas para participar dos testes.


“Estamos fazendo história no teatro musical. É surpreendente o avanço notado em relação há três, quatro anos. Nós brasileiros estamos com vontade de nos ver no palco. Apesar da qualidade indiscutível de musicais americanos e ingleses, nenhum vai  tocar tanto na alma da gente quanto a trilha da Rita Lee ou um musical que trata da Elis. Essa é a nossa história e, claro, que faz diferença”, acrescenta Luiz Calainho, empresário, sócio da Aventura Entretenimento.

A trama
Para a construção da dramaturgia de Se eu Fosse Você, o musical, o dramaturgo Flávio Marinho (Abalou Bangu, Cauby! Cauby!) fez uma adaptação do roteiro do segundo filme, incluindo as melhores cenas do primeiro e mudando ligeiramente a personalidade de alguns personagens. “Foi um exercício de humildade e ourivesaria. Eu tinha em uma coluna dois roteiros de filmes muito-bem sucedidos e na outra a obra de 50 anos da principal roqueira brasiliera. A minha missão foi preencher a coluna  do meio de uma forma orgânica e criativa”, explica Flávio Marinho.


A peça começa com uma briga e a separação de Helena (Claudia Netto) e Cláudio (Nelson Freitas), depois de ele desmarcar a tão sonhada viagem dela para a Toscana para lidar com compromissos profissionais. Na trama, foram reunidos personagens dos dois filmes, como a filha do casal  Bia (Lua Blanco), seu namorado Olavinho (Bruno Sigrist), a mãe Vivinha (Fafy Siqueira), na peça uma ex-hippie rica, a psiquiatra Patrícia (Marya Bravo), amiga de Helena, João Paulo (Nicola Gama), primo e advogado de Helena, e Nelsinho (Osvaldo Mil), o melhor amigo e advogado de Claudio, entre outros.

Com carreira consolidada no teatro musical e na comédia, Nelson Freitas – que fez Blue Jeans, Os Quatro Carreirinhas, Os Sete Brotinhos e completa 12 anos no programa Zorra Total – estava há 11 anos sem fazer teatro e agora vive o protagonista Claudio. “Digo isso porque no meu stand-up não existe a quarta parede, falo diretamente com o público. Achei interessantíssmo participar de uma história tão bem-sucedida e encarar o desafio de fazer uma mulher sem afetação, manter a comicidade sem apelar para truques fáceis”, avalia o ator.

A atriz Claudia Netto também tem a carreira consagrada em grandes musicais, como Na Bagunça do Teu Coração, Company, Império, O Rei e Eu, Avenida Q e Judy Garland - O fim do arco-íris. “Tenho que criar dois personagens: a mulher Helena, com suas características e sentimentos, e o homem Claudio, também com suas características e sentimentos, e dentro do mesmo corpo”, comenta Claudia. “A criação do Claudio pertence ao meu companheiro de cena, então eu tenho o desafio de absorver o que ele criou e colocar em mim sem imitá-lo. Um trabalho de entrega e percepção”.

Trilha sonora
Daniel Filho optou por uma trilha apenas com sucessos de Rita Lee depois de assistir a um espetáculo da Broadway com músicas de Gershwin. “Assisti a Nice Work If You Can Get It, apenas com trilha do Gershwin. Era uma comédia da qual os espectadores conheciam todas as músicas. Eu já estava certo de que Se Eu Fosse Você, o musical não poderia ser uma coletânea de músicas. Saindo do musical em NY, minha enteada Barbara Duvivier deu a ideia: e se fosse apenas Rita Lee? E temos a nossa trilha!”, lembra Daniel Filho.


Parceiro de décadas de Daniel Filho em diferentes trabalhos, Guto Graça Mello foi convidado para assinar a direção musical. Guto foi produtor de mais de 350 discos, entre eles grandes trabalhos de Rita Lee, como  Rita Lee (Mania de Você),  Rita Lee (Lança Perfume), de 1979 e 1980. “Sempre convivi muito com a Rita Lee. Fui produtor de discos dela, quando ainda não eram sucesso de venda. Como, naquela época, eu era diretor musical da Globo e tinha domínio das novelas, pedi para ela compor uns boleros para eu incluir nas trilhas sonoras. Foi uma escalada de vendas”, conta Guto.

Completando a equipe criativa do espetáculo, Marcelo Pies assina os 132 figurinos do espetáculo, enquanto Paulo Corrêa, cenógrafo associado, executa e desenvolve o projeto cenográfico idealizado por Chris e Nilton Aizner. Paulo Cesar Medeiros se encarrega do desenho de luz e Carlos Esteves do desenho de som.

Ficha técnica

“Se eu Fosse Você – O Musical”

Supervisão artística – Daniel Filho
Direção e coreografia – Alonso Barros
Direção Musical – Guto Graça Mello
Texto adaptado – Flavio Marinho, baseado em personagens e situações criados por Carlos Gregório e Roberto Frota, a partir de uma ideia original de Roberto Frota.
Conceituação Artística : Chris e Nilton Aizner
Cenógrafo Associado: Paulo Correa
Figurino – Marcelo Pies
Design de som – Carlos Esteves
Iluminação – Paulo Cesar Medeiros
Visagismo – Beto Carramanhos
Casting – Marcela Altberg
Elenco – Claudia Netto, Nelson Freitas, Lua Blanco, Bruno Sigrist, Alberto Goya, Carla Daniel, Carlos Arruza, Eduardo Leão, Giselle Lima, Igor Pontes, João Corrêa, Kacau Gomes, Lana Rodes, Lucas Drummond, Mariana Amaral, Marya Bravo, Neusa Romano, Nicola Lama, Osvaldo Mil, Thati Lopes e Vanessa Costa. Participação especial: Fafy Siqueira

Serviço:

Teatro Oi Casa Grande: Rua Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon.
Dias e horários: 5ª, às 17h e 21h , 6ª, às 21h; sábado, às 17h e 21; domingo, às 19h.
Funcionamento da bilheteria: 3ª e 4ª, das 15h às 21h; 5ª a sábado, das 15h às 21h30; e domingo, das 15h às 20h.
Telefone: (21) 2511- 0800
Preço:  5ª (primeira sessão): R$ 40 (balcão setor 3); R$ 70 (balcão setor 2); R$ 110 (plateia setor 1) e R$ 140 (camarote e plateia vip); 5ª (segunda sessão): R$ 50 (balcão setor 3); R$ 80 (balcão setor 2); R$ 120 (plateia setor 1) e R$ 150 (camarote e plateia vip); 6ª: R$ 60 (balcão setor 3); R$ 90 (balcão setor 2); R$ 130 (plateia setor 1) e R$ 160 (camarote e plateia vip); sáb e dom., R$ 70 (balcão setor 3); R$ 100 (balcão setor 2); R$ 150 (plateia setor 1) e R$ 180 (camarote e plateia vip).
Capacidade: 926 pessoas
Duração: 2h30 (com intervalo de 15 min).
Classificação etária: 12 anos.
Até 20 de julho
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!