Lenine esquenta clima carnavalesco no Circo Voador

Por Rodrigo Vianna

Lenine no palco do Circo Voador (Foto: Reprodução/Internet)

O carnaval é daqui a uma semana, mas os cariocas já estão em clima de samba, ou melhor de “pop-samba-forró”. A noite de sábado (22) foi de reencontro no Circo Voador, na Lapa, no Centro do Rio de Janeiro. O cantor Lenine foi o convidado para esquentar o clima de pré-carnaval de um dos palcos mais tradicionais da Cidade Maravilhosa. Antes da apresentação do cantor pernambucano, o público curtiu o som do DJ Lencinho, prata da casa. Difícil foi ficar parado.

Lenine é um dos maiores letristas dos últimos tempos. Algumas de suas músicas são marcantes e emocionantes, como "Paciência", "Hoje eu quero sair só", "O silêncio das estrelas" e "Todas elas juntas num só ser", entre outras. Recifense-carioca, brasileiro do mundo, Lenine traz em suas composições influências de manifestações culturais de seu país e de inúmeros gêneros musicais, desconsiderando rótulos ou classificações.

(Foto: Reprodução/Internet)

Entre os artistas que já gravaram as músicas de Lenine estão Gilberto Gil, Milton Nascimento, Elba Ramalho, Ney Matogrosso, Maria Bethânia, O Rappa e Zélia Duncan. Em 2007, um ano depois de ganhar com Acústico MTV o Grammy Latino na categoria de Melhor CD Pop Contemporâneo, Lenine criou a trilha sonora para um espetáculo do Grupo Corpo, companhia brasileira de dança contemporânea conhecida internacionalmente.

De fator, Lenine “carnavalizou” a Lapa com show especialmente preparado para a folia. Desde 2012 na estrada com a conceitual turnê “Chão” ao lado de JR Tostoi e Bruno Giorgi, o cantor convocou o baterista Pântico Rocha e o baixista Guila para dar corpo ao um repertório mais percussivo e dançante. No set list, estavam garantidos hits como Leão do Norte (Lenine/Paulo César Pinheiro), Jack Soul Brasileiro (Lenine) e um punhado de surpresas que o artista só revelou, mesmo, no palco.

(Foto: Reprodução/Internet)

Teve de tudo um pouco nesse pré-carnaval do Lenine no Circo Voador. Forró, pop. Samba e até mesmo uma pitada de rock. Lenine subiu ao palco, com mais de uma hora de atraso, ao som da animada “Na Pressão”, para delírio do público que aguardava o cantor desde as 22h. O artista chegou amoroso, baixou na lona fazendo gesto de abraço e recebeu da plateia o mesmo calor humano no show longo que teve, ainda, uma homenagem a Dominguinhos (1941-2013), além de muitos clássicos do músico.

Com muita energia, a abertura do show serviu para dar o tom do que seria aquela noite. No palco, Lenine parecia que estava em seu primeiro show, e demonstrava fôlego se sobra. Não tinha quem ficasse parado, e Lenine estava com muita energia, solto e jovial, naquela lona de gente jovem não deixava a desejar. O cantor agitou o público com o sucesso “Dois Olhos Negros” e emocionou com “A Vida não Para”. 

Homenagem
Sem dúvida, um dos momentos mais marcantes da noite foi uma homenagem ao músico Dominguinhos, que morreu em 2013. Foi quando Lenine chamou ao palco os sanfoneiros Waldonys e Renato Borghetti para um forró empolgante do Lenine cancioneiro com a música “Relampeano”. Era visível a emoção do cantor pernambucano ao lembrar o seu conterrâneo: “Ao invés de celebrar a morte de Dominguinhos, eu venho aqui celebrar sua permanência”, dizia.

(Foto: Reprodução/Internet)

Porém, a homenagem começou antes mesmo do show. No telão, imagens da web série Dominguinhos +, com os dois conterrâneos pernambucanos juntos, gravado há cerca de ano atrás quando o sanfoneiro ainda estava bem de saúde, arrancou calorosos aplausos. Para fechar a noite, ele falou do carnaval de Recife, que junto com o do Rio de Janeiro, atrai multidões: “Estou animado para o carnaval do Recife, e vou levar para lá essa mesma pegada de hoje”, disse Lenine empolgado.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!