Musical ‘Chico Buarque’ revive magia do teatro mambembe

Por Rodrigo Vianna

Cena de "Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos" (Foto: Reprodução/Internet)

Eles estão de volta. Meses após o sucesso “Como vencer na Vida sem Fazer Força”, a dupla imbatível Charles Möeller e Cláudio Botelho está de volta aos palcos. Dessa vez, eles contam e cantam os sucessos de um dos maiores cantores da Música Popular Brasileira em “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, que estreou no dia 9 de janeiro, no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, no Rio de Janeiro. No palco, canções como “Ciranda da Bailarina”, “Geni e o Zepelim” e “Tatuagem”.

A obra de Chico Buarque sempre acompanhou a trajetória de Charles Möeller e Claudio Botelho. Responsável por bem-sucedidas versões de clássicos como “Ópera do Malandro” e “Suburbano Coração”, além de “Na Bagunça do Teu Coração”, com direção de Bibi Ferreira, a dupla retoma a ligação com o compositor – que comemora 70 anos em 2014 – em um espetáculo totalmente inédito, focado apenas em suas criações para teatro, cinema e, ocasionalmente, televisão.

(Foto: Reprodução/Internet)

“Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos” reúne pérolas compostas para peças “Roda Viva” (1967), “Ópera do Malandro” (1978), “Calabar” (1973), “O Corsário do Rei” (1985), “Gota d’Água” (1975), o ballet “Grande Circo Místico” (1982) e também os filmes “Quando o Carnaval Chegar” (1972) e “Para Viver um Grande Amor” (1983) e “Dona Flor e Seus Dois Maridos” (1976). Sem texto, o musical usa as canções para contar as histórias de uma trupe teatral, de forma poética e lúdica.

70 anos de carreira
Seguindo os mesmos moldes do musical “Milton Nascimento – Nada será como Antes”, “Todos os Musicais de Chico Buarque” traz canções do artista que serviram de inspiração e marcaram os seus 70 anos de carreira. Porém, este espetáculo se faz diferentes de todos os outros já produzidos pela dupla. Com uma narrativa lúdica e funcional, “Todos os Musicais de Chico Buarque” traz ao palco uma companhia de teatro mambembe, liderada por um ator solitário, romântico e apaixonado pelo teatro.

(Foto: Reprodução/Internet)

No papel do dono da companhia, está Cláudio Botelho, que retorna aos palcos na pele de um apaixonado pelo teatro. Com o seu inseparável bloquinho de notas, ele conta o seu passado, o presente e escreve o futuro. Uma delicadeza capaz de emocionar. Ali, sonho e realidade se misturam e ajudam a criar esse universo lúdico presente nas canções de Chico Buarque. Suas lembranças ganham vida nas interpretações de uma trupe de saltimbancos, interpretada por Soraya Ravenle, Malu Rodrigues, Davi Guillhermme, Estrela Blanco, Felipe Tavolaro, Lilian Valeska e Renata Celidônio.

Os atores/cantores vivem personagens definidos em uma história contada através das canções e também encenam outras peças nas praças por onde se apresentam. Como diz o próprio diretor Charles Möeller, “Todos os Musicais de Chico Buarque” é “o teatro dentro do teatro, sempre contado pelas letras de Chico”. No musical, as canções ganham nova roupagem, o que pode causar estranheza por parte do público, principalmente pelos fãs do cantor. Canções como “Roda Viva” ganharam um ritmo mais lento.

O ator Cláudio Botelho
Além de dirigir e produzir o seu primeiro musical após o fim da parceria com a Geo Eventos, Cláudio Botelho tinha um outro desafio pela frente: dar vida ao dono de uma companhia de teatro nos palcos. Mais uma metalinguagem? Pode ser. Mas aqui Cláudio Botelho vai além. Fã assumido do cantor, é nítido o seu prazer e felicidade ao cantar e contar as músicas de Chico Buarque. Uma grande criança numa ciranda de roda ao som dos Saltimbancos. Sim, esse o Cláudio Botelho ator, que emociona e faz rir.

Cláudio Botelho consegue dar o tom do personagem lúdico, e apesar do ritmo lento do espetáculo, consegue prender a atenção do expectador através dos sonhos e da narrativa envolvente. Como um verdadeiro “mestre de cerimônias”, conduz a rotina dos atores andarilhos, que trocam de personagem com as lembranças do seu líder. Ao lado de Charles Möeller, conseguiu o que parecia impossível, montar um musical à altura de Chico Buarque em quatro meses, desde a criação do roteiro até os ensaios.

Bis
Essa não é a primeira vez que a dupla faz uma montagem inspirada no universo de Chico Buarque. No currículo há duas versões de "Ópera do Malandro" e "Suburbano Coração", todas com o consentimento e aprovação do artista. Mas precisamos fazer jus a outras vozes que fazem deste, um musical de luxo. As atrizes Soraya Ravenle e Malu Rodrigues, já conhecidas do público, e Estrela Blanco (morena), ganham destaque, e apresentam interpretações de tirar o fôlego. 

Os figurinos assinados por Marcelo Pies mostram uma riqueza de detalhes a ajudam a criar esse universo mambembe. Sem muita força, o cenário de Rogério Falcão é simples, e de difícil entendimento. Apesar de funcionar no palco com os atores, confesso que eu ainda estou tentando decifrar o que ele queria dizer. Apesar disso, ele não compromete o andamento do espetáculo. Sensível e, porque não, engraçado, “Todos os Musicais de Chico Buarque” ultrapassa qualquer barreira entre o teatro e a música, que vai além dos 90 minutos.

(Foto: Divulgação)

Serviço:


“Todos os Musciais de Chico Buarque em 90 Minutos”

Gênero: Musical
Local: Teatro Clara Nunes, Shopping da Gávea - Rua Marquês de São Vicente, 52 - Gávea/RJ
Classificação Indicativa: 14 anos
De quinta à sábado às 21:00. Domingo às 20h.
Temporada: De 9 de Janeiro até 27 de Abril de 2014.

Preços:
Quinta - R$80
Sextas - R$90
Sábados e Domingos - R$100
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!