Harvey Keitel fala sobre carreira e o filme 'Rio, eu te amo'

Por Rafaela Sales

Harvey Keitel falou sobre o filme "Rio, eu te amo" (Foto: Divulgação)

“Se isso vai ser um bate-papo, então cadê a tequila?”. Foi desse jeito descontraído que o ator Harvey Keitel deu início ao evento sobre o filme “Rio, eu te amo” na casa de cultura Laura Alvim, em Ipanema, nessa sexta-feira (6). 

O ator esteve no Rio de Janeiro para gravar o filme “Rio, eu te amo” da franquia Cities of Love, que já teve versões sobre Paris e Nova Iorque. A mediação do bate-papo foi realizada pelo cineasta Cacá Diegues e pelo produtor da Conspiração Filmes, Leonardo Barros. A plateia, formada em grande maioria por estudantes de teatro e cinema, teve a chance de fazer perguntas ao convidado.

Keitel, famoso por parcerias com grandes diretores como Martin Scorcese, Quentin Tarantino e Ridley Scott, carrega no currículo filmes com “Taxi Driver”, “Cães de Aluguel”, “Pulp Fiction”, “Vício Frenético” e “Os Duelistas”. Além de ter sido indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por seu papel em “Bugsy”. 

Com trabalhos em cinema e teatro, o ator foi categórico ao dizer que não há diferença entre os dois tipos de atuação, a única distinção é “que o filme é feito em pedaços. Você não pode esconder seus erros no teatro como no cinema”. Co-presidente do renomado Actors Studio, a famosa escola de atores em Nova Iorque, onde se formou, ele explica que o método utilizado no Studio prepara o ator para os dois tipos de plataforma: “Os alunos formados para teatro no Actors Studio são formados para montarem um personagem de A a Z. Nós não preparamos atores de filme, nós preparamos atores em si”.

Por vários momentos, o ator deliciou a plateia ao contar histórias de seu trabalho com Martin Scorcese, incluindo seu primeiro teste de elenco para um dos filmes do diretor e sua pesquisa para compor o personagem Sport, o cafetão de Taxi Driver. Harvey disse ter abordado uma prostituta do lado de fora do teatro onde estava em cartaz, perguntando se poderia conhecer seu “chefe”. O ator caiu na gargalhada ao repetir a resposta da mulher: “ninguém vai falar com você!”.

Keitel falou brevemente sobre sua estadia no Rio: “É uma cidade linda e vocês tem sorte de morar aqui. Minha mulher e meu filho estão amando a viagem”. Ao ser perguntado se tinha algum ator brasileiro com quem ele gostaria de trabalhar, sua resposta foi firme: “Não conheço muito sobre atores brasileiros, mas, talento e esforço são suficientes. Traga o ator mais desconhecido, trabalharei com ele”. Encerrando o bate-papo, Harvey encantou a plateia ao dizer: “Não vim aqui celebrar a minha carreira, vim celebrar a carreira de vocês”.

(Foto: Rafaela Sales/Contracenarte)
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!