'Ender's Game' tem elenco estelar e resultado razoável

Cenas do filme (foto: Reprodução/ Internet)
  • Ano de Lançamento: 2013
  • País: Estados Unidos
  • Língua: Inglês
  • Título Original: “Ender’s Game”
  • Diretor: Gavin Hood

'No momento em que verdadeiramente entendo meu inimigo, o suficiente para derrotá-lo, então naquele mesmo momento eu também o amo'. Com essa frase de Orson Scott Gard, autor da famosa saga de livros de ficção científica “O Jogo do Exterminador”, tem início Ender’s Game”.
 
Desde os tempos de Han Solo e Rick Deckard, Harrison Ford não se aventurava em um grande filme de ficção científica. Sua volta ao território vem em grande companhia, ao lado de Viola Davis e Ben Kingsley, além do promissor ator juvenil Asa Butterfield.

A trama é situada em um futuro próximo, onde a Terra vive sob a árdua lembrança do ataque da raça alienígena Formics, que dizimou grande parte da população. Se não fosse pelo ato perspicaz do herói Mazer Rackham (Ben Kingsley), o ataque teria extinguido a raça humana. Assombrados pela ameaça de uma nova invasão, as autoridades terrestres criam uma escola preparatória, a fim de encontrar o novo grande líder, capaz de derrotar de vez os Formics.

Em uma realidade cercada de games digitais que incitam o confronto contínuo, os garotos são apresentados às noções de guerra cada vez mais jovens. É em Ender Wiggins (Asa Butterfield), um esguio rapaz de 12 anos com uma notável percepção tática, que o Coronel Graff (Harrison Ford) enxerga a figura de liderança que procura.

Cenas do filme (foto: Reprodução/ Internet) 

A partir da chegada de Ender a Battle School, situada em uma base sideral, o filme explora seu lado sci-fi com efeitos especiais ligados à ausência de gravidade e apetrechos high tech de treinamento. O que poderia tomar um caminho Star Trek acaba seguindo um rumo mais Harry Potter, ou até mesmo o recente blockbuster Jogos Vorazes. Algumas dezenas de jovens selecionados para enfrentar um rigoroso treinamento, tropeçando em ingênuos romances juvenis e rixas adolescentes.

O promissor roteiro e o elenco estelar não salvam o espectador da sensação de tédio lá para os quarenta minutos da trama, sem muitas oscilações ou conflitos. O que se vê é a trajetória de descoberta pessoal de Wiggins, que enfrenta dilemas morais e familiares. A relação com a irmã mais velha, Valentine (Abigail Breslin), apesar de quase sempre acompanhada de diálogos clichês, é um ponto interessante e apresenta ao público um Ender menos soldado e mais jovial e inseguro. Além de fazer a contraposição entre as belas paisagens na Terra e a atmosfera tensa da Battle School.

Apesar dos acertos relacionados à escolha de elenco e o uso interessante dos recursos visuais,Ender’s Game” paira no razoável. Para aqueles que se deliciaram em um 2013 de estreias como “Gravidade”, nem mesmo um Harrison Ford transitando em áreas espaciais é capaz de salvar um roteiro insosso.
 
Assista no player abaixo o trailer do filme:




Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!