‘O Rei Leão’ se torna o 1º musical bilionário da Broadway

"O Rei Leão - O Musical" já está há 16 anos em cartaz na Broadway (Foto: Divulgação)

Enquanto “O Rei Leão – O Musical” vem se tornando um marco também na cidade de São Paulo, a versão original acaba de quebrar mais um recorde. Há 16 anos em cartaz em Nova York, a versão musical do clássico da Disney se tornou o primeiro espetáculo a alcançar US$ 1 bilhão nas bilheterias da Broadway, segundo o The Hollywood Reporter. A conta foi feita desde o dia de estreia do musical, no dia 15 de outubro de 1997, até o último dia 6 de outubro.


A expectativa é que “O Rei Leão” siga por mais alguns anos na Broadway e até superar “Os Miseráveis” como o espetáculo que ficou mais tempo em cartaz. Visto por quase 65 milhões de espectadores e ganhador de 70 prêmios, este incrível musical com mais de 15 anos no palco conta com canções de Elton John e Tim Rice e a música de Lebo M. e Hans Zimmer. Na versão nacional, as músicas ganharam versões de Gilberto Gil.

(Foto: Divulgação)

A publicação ainda elogia o musical por não ter superfaturado o valor dos ingressos ao longo dos últimos anos, apesar da grande procura do público. Atualmente, uma cadeira para O Rei Leão custa por volta de US$ 130 e pode chegar até US$ 199, enquanto outros espetáculos chegam a cobrar US$ 477 por lugares especiais.

Nestes 16 anos em cartaz, “O Rei Leão” quase sempre se apresentou com a plateia lotada ou com mais de 80% dos ingressos vendidos nas suas 6,6 mil apresentações. O musical O Rei Leão, idealizado por Julie Taymor, ganhou versões em mais de 15 países. O Brasil foi um dos últimos a receber uma montagem do espetáculo que estreou no ano passado, em São Paulo. Estima-se que a franquia já arrecadou US$ 5 bilhões nas bilheterias de todo mundo.

(Foto: Divulgação)
Versão tupiniquim
Considerado o musical de maior sucesso da Broadway, “O Rei Leão” finalmente ganhou sua versão nacional. “O Rei Leão – O Musical” estreou no dia 28 de março, no Teatro Renault, em São Paulo. Um musical excepcional, fruto da união de talentos musicais e teatrais reconhecidos em todo o mundo e da fusão das mais sofisticadas disciplinas das artes cênicas africanas, ocidentais e asiáticas.

"O Rei Leão" ´é único e repleto de valores familiares, demonstrando o envolvimento de cada um de nós com as nossas raízes. O musical faz o espectador repensar o peso de cada uma de nossas ações e o efeito que elas têm sobre o nosso ambiente, assim como a importância de sentir que pertencemos a um grupo e como isso molda o nosso destino. É também um hino de respeito e amor pela natureza.

(Foto: João Caldas/Divulgação)

É com essa avalanche de dados impressionantes que “O Rei Leão” finalmente chega à América do Sul pela primeira vez, com produção no Brasil da Time For Fun. Com elenco local formado por talentos genuinamente brasileiros, o espetáculo terá em seu casting atores, cantores e bailarinos de todas as regiões do país numa montagem totalmente em português. O som resultante de “O Rei Leão” é uma fusão da música popular ocidental e os diferentes sons e ritmos de África, que vão desde a música que rendeu o Oscar "Can You Feel The Love Tonight" até a balada "Shadowland".

(Foto: João Caldas/Divulgação)

Produzido pela Disney Theatrical Productions (sob a direção de Thomas Schumacher), “O Rei Leão” é a sexta produção mais duradoura na história dos musicais da Broadway e uma das seis produções na história do teatro a permanecer em cartaz por dez anos ou mais. Traduzido em oito línguas diferentes (japonês, alemão, coreano, francês, holandês, mandarim, espanhol, e agora, português), a montagem já passou por 15 países diferentes dos cinco continentes. “O Rei Leão” pode ser visto atualmente na Broadway, nos palcos da América do Norte, em Tóquio, no West End em Londres, Hamburgo e Madrid. Uma turnê pelo Reino Unido terá início em agosto desse ano.

(Foto: João Caldas/Divulgação)

Prêmios
“O Rei Leão” ganhou seis prêmios Tony® em 1998: Melhor Musical, Melhor Design de Cenário, (Richard Hudson), Melhor Figurino (Julie Taymor), Melhor Design de Iluminação (Donald Holder), Melhor Direção de Coreografia (Garth Fagan) e Melhor Direção, o que fez de Julie Taymor a primeira mulher na história do teatro agraciada com a honra. Também ganhou mais de 70 prêmios ao redor do mundo, incluindo a NY Drama Critics Circle Award, como Melhor Musical em 1998, o Grammy® de Melhor Álbum para um musical em 1999, o Evening Standard Award pelo Evento Teatral do Ano de 1999, e o prêmio Laurence Olivier de Melhor Coreografia e Melhor Figurino.

(Foto: João Caldas/Divulgação)

No palco, a visão criativa Taymor mistura elementos de arte e artesanato africano para retratar personagens antropomórficos. Taymor, em conjunto com o designer Michael Curry, criou centenas de máscaras e fantoches para “O Rei Leão”. O texto foi adaptado por Roger Allers, que co-dirigiu O Rei Leão para o cinema, e Irene Mecchi, que co-escreveu o roteiro do filme. A equipe criativa inclui, ainda, Steve Canyon Kennedy (design de som), Michael Ward (design de cabelo e maquiagem) e Marey Griffith (coreógrafo associado).
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!