'Elis, A Musical' traduz a pura emoção em forma de mulher

Por João Guerra

"Elis, A Musical" estreou no Teatro Oi Casa Grande (Foto: Reprodução/Internet)

O espetáculo "Elis, A Musical" é um dos mais brilhantes e emocionantes que assisti nos últimos tempos. O Contracenarte teve a oportunidade de conferir o musical de perto durante uma apresentação para convidados, na noite de terça-feira (13), no Teatro Oi Casa Grande, no Leblon, no Rio de Janeiro. O musical está longe de ser biográfico, pelo contrário, fala-se muito pouco sobre o fim da carreira da cantora. Com texto de Nelson Motta, "Elis, A Musical" tem a direção de Dennis Carvalho.

Considerada a maior cantora do Brasil, a gaúcha Elis Regina, morta precocemente aos 36 anos, deixou dezenas de sucessos consagrados em sua voz – e cerca de 40 deles, entre músicas, medleys e vinhetas, retornam agora no musical. Mais que apenas um jornalista musical, Nelson Motta escreve com conhecimento de causa – ele acompanhou vida e carreira da cantora, tendo sido seu amigo e produtor. "Musical de teatro é fantasia, não tem o menor compromisso biográfico, documental.Tentar isso seria patético", disse ele em entrevista ao jornal "Folha de São Paulo".

(Foto: Reprodução/Internet)

No início da carreira, Elis Regina era considerada cafona, ingênua e que tinha "ar de pobre", e que para alcançar o sucesso teria dar uma repaginada em tudo, desde o corte de cabelo às roupas que vestia, como ressaltava Ronaldo Bôscoli, o seu primeiro produtor e ex-marido. Elis cantava com a alma, tinha emoção e força em cada nota entoada. Para ela não bastava ser apenas mais um cantora boa, ela dizia: "Quero usar o meu dom que a mãe natureza me deu para diminuir a angústia de alguém. Essa ideia é que pode dar sentido ao meu trabalho."

De acordo com a produção do espetáculo, “Elis, a musical” é a primeira parte de uma trilogia brasileira, que levará ainda aos palcos o ícone Chacrinha e uma versão do sucesso cinematográfico “Se Eu Fosse Você”. “Elis, a musical” promete emocionar o público. O espetáculo reúne canções que se tornaram grandes sucessos na voz de Elis Regina. Entre elas os clássicos “Arrastão”, “Casa no campo”, “Águas de março”, “Dois pra lá e dois pra cá”, “Fascinação” e “Redescobrir”.

(Foto: Reprodução/Internet)

Uma Elis baiana
A atriz Laila Garin, soube realmente como incorporar a própria Elis Regina em cada gesto, fala e música cantada no palco. É de impressionar a sua atuação, tem garra, força e muita emoção. Durante o espetáculo a parte que mais vale ressaltar é quando termina o relacionamento com César Camargo Mariano, seu segundo marido e produtor, onde ela se vê cansada e quer mudar, começar do zero e decidi levar adiante o espetáculo Trem Azul sozinha e que afirmou não precisar dele para fazer acontecer.

Laila foi escolhida entre 200 candidatas. Formada em canto lírico e popular, Laila Garin foi dirigida por José Possi Neto, Luiz Carlos Vasconcelos, Cacá Carvalho e João Falcão no teatro e fez pequenas participações na TV em episódios de “A Grande Família” e “Louco Por Elas”. Agora enfrenta seu maior desafio: “Elis era única, por isso durante as audições optei por não tentar imitá-la, mas interpretar as canções consagradas por ela, do meu jeito, de acordo com a minha história de vida”, conta.

(Foto: Reprodução/Internet)

Elenco afinado
Além de Laila, o elenco do musical terá Felipe Camargo (Ronaldo Bôscoli), Caike Luna (Luiz Carlos Miele), Ícaro Silva (Jair Rodrigues), Claudio Lins (Cesar Camargo Mariano), Rafael de Castro (Marcos Lázaro e Vinícius de Moraes), Ricardo Vieira (Tom Jobim), Danilo Timm (Lennie Dale), Peter Boos (Henfil), Leo Diniz e Letícia Medella (Romeu e Ercy, os pais de Elis), e ainda Guilherme Logullo, Alessandro Brandão, Lincoln Tornado, Carla de Sá, Thiago Marinho, Maíra Charken e Lilian Menezes.

Danilo Timm, Thiago Marinho, Caike Luna e Leo Diniz são destaques. Todos souberam durante todo espetáculo segurar as régias e se mostraram muito bons nos papéis propostos. Já o ator Ícaro Silva mais uma vez ganhou os palcos, mas dessa vez como Jair Rodrigues, com ar cômico e alegre, o ator ganha a plateia e garante boas risadas atuando no papel de Jairzinho, que fez dueto junto a Elis no programa "O Fino da Bossa" que era transmitido pela TV Record e foi um dos mais importantes da música brasileira.

(Foto: Reprodução/Internet)

“Elis, a musical” ficará cartaz no Rio até 02 de março de 2014. De março a julho de 2014, o espetáculo estará em cartaz em São Paulo, e nos meses de agosto e setembro segue para turnê por outras cidades brasileiras. O espetáculo tem direção de direção de Dennis Carvalho, texto de Nelson Motta e Patricia Andrade e produção da Aventura Entretenimento. As audições para a escolha do elenco duraram quase um mês, com mais de três mil inscritos disputando 18 papéis.

Aventura Brasileira
Em busca de temas e inspiração nacionais para o crescente mercado de musicais, a Aventura desenvolveu o projeto “Uma Aventura Brasileira”, do qual “Elis, A musical” é a primeira parte. O projeto prevê ainda a montagem de “Velho Guerreiro – O Musical”, que contará a história de Chacrinha, em um espetáculo escrito por Pedro Bial; e “Se Eu Fosse Você – O Musical”, primeira adaptação de uma produção cinematográfica, que traz para os palcos a segunda maior bilheteria da história do cinema nacional.

(Foto: Reprodução/Internet)

O elenco:

Elis Regina – Laila Garin
Ronaldo Bôscoli – Felipe Camargo (Participação especial)
Cesar Camargo Mariano – Claudio Lins
Luiz Carlos Miele – Caike Luna
Marcos Lázaro/Vinicius de Moraes – Rafael de Castro
Jair Rodrigues – Ícaro Silva
Lennie Dale – Danilo Timm
Romeu – Ricardo Vieira
Tom Jobim – Leo Diniz
Henfil – Peter Boos
Ercy – Leticia Madella

Serviço
Quando: Qui. e Sex. às 21h | Sáb. 17h e 21h | Dom. 19h
Onde: Teatro Oi Casa Grande - Avenida Afrânio de Melo Franco, 290 - Leblon, Rio de Janeiro
Quanto: R$ 70,00 a R$ 180,00 (Compre AQUI: http://goo.gl/gx9eoI)
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!