Sucesso “O Dia em que Raptaram o Papa” estreia na Gávea

Cena de "O Dia em que Raptaram o Papa" (Foto: Reprodução/Internet)

Escrita por um dos maiores comediógrafos do país, João Bethencourt (1924-2006), a comédia “O Dia em que Raptaram o Papa”, que já passou por 42 países, estreou Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Com direçao de Tadeu Aguiar, a peça conta com nove atores, entre eles Rogério Fróes, Débora Olivieri, Marcos Breda, Renato Rabelo e Renan Ribeiro. A trama se passa na cidade de Nova York, numa visita do Papa à cidade, contando a história de um taxista judeu que, de repente, sequestra o pontífice e o leva pra casa onde mora com sua mulher e dois filhos. 

Tudo resulta numa grande confusão, que envolve desde os vizinhos aos chefes de Estado do mundo inteiro, em prol da paz mundial. O espetáculo estreou na década de 70 no Rio fez um grande sucesso. “O Dia em que Raptaram o Papa” tem sido extraordinariamente bem sucedida no mundo todo. Quando encenada em Roma, o jornal do Vaticano, “Osservatore Romano”, dedicou uma página inteira sobre a peça e fez uma crítica extraordinária.

O Papa Alberto IV vai a Nova York ontem tem uma extensa agenda, coordenada pelo Cardeal O'Hara. Num intervalo da programação, sai anônimo pelas ruas e toma um táxi. O taxista judeu, Sam Leibowitz, ao perceber quem é o seu passageiro, o sequestra e o leva para sua casa, onde mora com a esposa e dois filhos. Com que objetivo? É só o começo das surpresas que a peça prepara ao espectador.

Sucesso já na década de 70
Na década de 70, a comédia percorreu os palcos do Brasil, fazendo um enorme sucesso. É a peça brasileira mais exibida em todo o mundo, ocupando teatros de 42 países. Sua primeira montagem fora do Brasil ocorreu em 1974, em Zurich, onde foi apresentada mais de uma centena de vezes - superando qualquer outra peça já encenada no principal teatro da Suíça - e protagonizada pelo grande ator suíço Heiri Gretler.

Devido ao estrondoso sucesso na Suíça, mais de 400 teatros alemães encenaram a peça na temporada de 1975, seguindo novas montagens em outros países, como Áustria, Itália, França, Espanha, Portugal, Grécia, Polônia, Argentina, Estados Unidos, Canadá e Israel. Até hoje, 34 anos depois de sua estréia na Europa, o texto é constantemente reencenado. De novembro de 2004 a maio de 2005 foi representado em Viena, dirigido e interpretado pelo astro Fritz Muliar, com enorme sucesso de crítica e público.

Quem foi João Bethencourt 
A dramaturgia de João Bethencourt explora a comédia de costumes - filão clássico do teatro brasileiro - aliada a uma visão crítica da temática abordada. A ação e diálogos que desenvolve em seus textos são de grande comunicabilidade e aceitação popular. Autor profícuo do teatro brasileiro, tem mais de 30 peças escritas e encenadas.

(Foto: Reprodução/Internet)

Destacam-se: Dois Fragas e um Destino, Como Matar um Playboy, Frank Sinatra 4815, O Crime Roubado, Mister Sexo, O Dia em que Raptaram o Papa, Bonifácio Bilhões, A Cinderela do Petróleo, Tem um Psicanalista na Nossa Cama, A Venerável Mme. Goneau. Além da sua impressionante penetração no mercado brasileiro, ele torna-se também um dos autores mais montados no exterior, sendo que O Dia em que Raptaram o Papa, teve mais de 40 encenações estrangeiras.

Serviço:

O Dia em que Raptaram o Papa

Local: Teatro Clara Nunes - Rua Marquês de São Vicente, 52 - Gávea
Tel.:(21) 2274-9696
Quinta, sexta e sábado, às 21h; domingo, às 19h
Espetáculo não recomendado para menores de 10 anos 
Em cartaz até 29/9/2013 
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!