Cidade Negra lança nova turnê com show interativo no Rio

Por Emanuelle Valles

Tony Garrido no Vivo Rio (Foto: Ricardo Nunes/Divulgação)


A banda Cidade Negra levou sua nova turnê "Hey Afro" para o Vivo Rio, na Zona Sul do Rio de Janeiro, na noite de sábado (5). Após quatro anos afastado, Tony Garrido está de volta aos vocais e empolgou o público que lotou a casa de espetáculos. No palco, ele se juntou aos antigos companheiros Lazão (bateria), Bino Farias (baixo), e mostraram por que são considerados um fenômeno do pop nacional. Antes, o cantor havia se arriscado em carreira solo e até mesmo como ator.

Em parceria com a ONG Salve o Planeta Azul, a turnê é a primeira do show business brasileiro a adotar ações sustentáveis, como camarins e bares com coleta seletiva e copos biodegradáveis, além de toda a banda vestir roupas confeccionadas à base de garrafas pets e cenografia com materiais recicláveis. Uma iniciativa extremamente importante que a banda abraça como causa.

Na noite agitada tivemos a oportunidade de ouvir os novos sucessos como “Diamantes”, “Salve o Planeta Azul”, “Só pra Detonar”, “Contato”, “Menino Rei” e os grandes sucessos consagrados como “Girassol”, “A Sombra da Maldade”, “O Erê”, “Pensamento”, “Amor Igual ao Teu” (com uma batida nova, mais reggae e suingue) dentre outras.

Após idas e vindas dos integrantes do Cidade Negra, encontramos na noite de sexta uma banda ainda mais conectada, interativa, com novos acordes para as já consagradas músicas e unida em prol da música perfeitas.

Polêmica
Uma das músicas apresentadas, "Ignorius Man" aborda temas polêmicos na letra, como a exclusão de segmentos da sociedade como os homossexuais e negros e da postura da igreja Católica perante os seus fiéis. Momento marcante não somente pelo conteúdo da música, mas pela lembrança de Tony da visita do Papa Francisco ao Rio de Janeiro.

Tony, extremamente feliz e descontraído na tarefa de levar o Cidade Negra para o seu público, no meio do show desce do palco para cumprimentar e cantar com seus fãs. O público entra em êxtase e canta em uníssono, todas as músicas, trazendo energia ao local. Ficar de pé, dançando ao som da batida do reggae foi a pedida para curtir o show.

Homenagem
Em seguida, Tony chamou ao palco Tião Santos, fundador do projeto "Limpa Brasil" para homenageá-lo acerca do projeto e pela participação dele em "Lixo Extraordinário", documentário que concorreu ao Oscar e ele pediu como bis a música "A Estrada" pois para ele a letra remete à trajetória sofrida mas batalhada dele em busca de suas realizações.

(Foto: Ricardo Nunes/Divulgação) 

No fim, o público pediu, insistiu para ouvir a música "Solteiro" e Tony, reticente, acabou cedendo aos pedidos e cantou parte dela. Para ele o show tinha um cunho mais social e, portanto, a música não caberia no repertório. Mas, a insistência venceu.

Hei, Afro!
O novo CD do Cidade Negra, Hei, Afro!, é um misto de reggae e pop e as letras têm cunho social, característica marcante do grupo. Das 13 faixas do álbum, que foi mixado na Jamaica, duas delas (“Ninguém pode duvidar de Jah” e “Don’t wait”), foram produzidas por Liminha, que já trabalhou com os maiores nomes da música brasileira.

(Foto: Ricardo Nunes/Divulgação) 

As demais foram produzidas pelos próprios integrantes do Cidade Negra: Toni, Lazão e Bino farias. Do repertório diversificado, destaque para a versão de “Somewhere over the rainbow”, clássico do Mágico de Oz. A faixa mostra a versatilidade desses ótimos músicos.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!