Crítica: 'O Massacre da Serra Elétrica' agrada fãs do gênero

Por Alessandro Cadarso


Assista acima ao trailer de "O Massacre da Serra Elétrica 3D"

O original filme do massacre veio em 1974 pelas mãos de Tobe Hooper, o assassino Leather Face, matava a torto e a direita com apetrechos fabricados pelos restos mortais de suas vítimas. E claro, usava uma máscara feita com a pele do rosto das mesmas. Um clássico cult cultuado por fãs em todo o mundo. Muitas e muitas continuações foram feitas, e pífias foram seus resultados. Até Jessica Biel (O Ilusionaista, O Vingador do Futuro e mulher de Justin Timberlake), hoje uma estrela de cinema, já deu as caras em uma das refilmagens.

Dessa vez, os produtores resolveram providenciar uma sequencia exata do original de 74. O filme começa exatamente onde acabou o primeiro, inclusive, utilizando boa parte dos atores originais na regravação, fazendo outros papéis, o que dá um toque de charme a mais.


(Foto: Reprodução/Internet)

A casa onde morava a família de Leather Face é queimada, sobrevivendo apenas uma garotinha que vem a ser a protagonista do novo filme, a bela Heather (Alexandra Daddario, de "Percy Jackson e o O Ladrão de Raios"). Heather recebe uma carta de um advogado que vem com o testamento de sua avó, deixando a mansão da família para ela. Ao lado dos amigos Nikki (Tania Raymonde), Ryan (Trey Songz) e Kenny (Kerum Milicki-Sanchez), Heather viaja ao Texas para conhecer a mansão que herdou. Entretanto, ela tem duas regras a seguir: não pode vender a mansão e precisa seguir à risca as instruções deixadas pela avó em uma carta. Porém, uma surpresa: O assassino Leather Face continua lá, vivendo no porão.

No fim da saga, o diretor força uma humanização do assassino, que pode deixar muitos expectadores incomodados por tentar impor um sentimento de pena a um monstro sem escrúpulos desenvolvido por Hooper.

(Foto: Reprodução/Internet)

Não é um filme para ser levado a sério. Ele agrada os fãs do gênero, com bastante sangue espirrado e os belos atributos das atrizes, porém nunca pretendeu-se levar um Oscar com a produção.

Erros cometidos no filme, como a diferença do tempo - não seria possível a menina ter apenas vinte e poucos - e otras coisitas más, não incomodam, tornam-se detalhes secundários para aqueles que buscam divertir-se no longa. Leather Face é um dos mais tradicionais vilões do cinema e continuará a ser. Esse filme é só um adendo.

Curiosidade
O filme original foi baseado no caso verídico de Ed Gein , um homicida que guardava lembranças de suas vitimas, pedaços dos corpos como troféu. No cinema, serviu de inspiração para Leather Face - O Massacre da Serra Elétrica, Noman Bates – Psicose e Buffalo Bill – O Silencio dos Inocentes.

(Foto: Reprodução/Internet)
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!