Sandy surge mais “soltinha” na estreia da turnê 'Sim', no Rio

Por Rodrigo Vianna

Sandy estreia "Sim", no Rio (Foto: Ricardo Nunes/Divulgação)

De Tom Jobim a Michael Jackson. Teve de tudo um pouco na estreia da turnê “Sim”, da cantora Sandy, no domingo (21), no Vivo Rio, no Rio de Janeiro. Para a alegria dos fãs que lotaram a casa de espetáculos, a cantora retorna à Cidade Maravilhosa com novo show, antes mesmo do lançamento do álbum homônimo, previsto para ser lançado somente no fim de maio. Após a bem sucedida “Manuscrito Tour”, Sandy aparece mais “soltinha”, com repertório recheado de novos e antigos sucessos, e deixa um pouco de lado o clima melancólico da turnê anterior.

Você foi ao show da Sandy no Vivo Rio? Deixe um comentário no fim da matéria!

“Sim”. Simples assim; apenas três letras. Com a objetividade – mas ao mesmo tempo força e convicção – deste advérbio de afirmação e agora título da nova turnê e segundo álbum solo, Sandy reafirma sua fase positiva, otimista e segura já apresentada no final do ano passado com o lançamento digital do EP ‘Princípios, Meios e Fins’. Sandy chega ao Rio após passar por Vitória (ES). Os próximos destinos são Goiânia (GO), no próximo dia 27, e São Paulo, onde se apresenta no HSBC Brasil, no dia 17 de maio. Outras datas serão divulgadas em breve.


Assista no player acima ao vídeo da inédita "Ponto final" gravado por um fã

“Tinha gente já procurando para contratar o show e eu estava ainda finalizando o disco. Hoje em dia a gente tem muita liberdade para mostrar a música na internet antes. Saí muito feliz de ‘Manuscrito’, minha primeira turnê e responsável por me apresentar em carreira solo. Ela cumpriu seu papel e senti que estava na hora de trazer novidades, tanto pra mim quanto para o público. Adiantei parte desta ‘ansiedade artística’ no final do ano passado com o lançamento do EP. Agora, no primeiro semestre, completo meu segundo álbum com canções inéditas e, ao mesmo tempo, viajo com a nova turnê”, disse.

Mais uma vez, álbum e turnê dialogam de acordo com as vontades artísticas de Sandy que, como de costume, fez questão de cuidar pessoalmente de tudo. Para o show, a experiente Romi Atarashi (que já trabalhou com Lenine, Lulu Santos, Marcelo D2, NXZero, Ira!, Sandy & Junior, entre outros) disse ‘sim’ ao convite da cantora e assina a direção geral da turnê, que também tem Isabelle Bittencourt na escalada para a direção de arte e cenografia. O músico e marido Lucas Lima repete a parceria de sucesso com a artista e assume novamente a direção musical do espetáculo.

 (Foto: Rodrigo Vianna/Contracen@rte)

Novos e antigos sucessos
Ao lado da cantora, está sua talentosa banda, formada por Alex Heinrich no baixo, Delino Costa na bateria, Eloá Gonçalves nos teclados e Edu Tedeschi e Maurício Caruso nas guitarras e violões. De forma inédita na carreira, faixas novas do álbum “Sim” entrarão aos poucos no repertório ao vivo até que o disco saia 'do forno'. Sandy também selecionou clássicos de grandes artistas que marcaram sua vida e apresentou suas próprias releituras ao longo do show. Dentre estas “homenagens” estão dois sucessos da época da dupla “Sandy & Junior”.

Ao Contracen@rte, Sandy falou sobre a escolha do repertório para a nova turnê: "Até o disco sair talvez sejam apenas essas duas músicas, depois a gente pode acrescentar mais. O critério para a escolha do repertório foi bem simples, eu peguei as músicas do Manuscrito, músicas desse disco novo, incluindo as que estão no EP, porque o EP foi uma prévia deste disco, e quando eu escolhi as músicas que eu cantaria de outros artistas, eu pensei em canções que tivessem algum significado para mim ao longo da minha vida", justificou ela.

 (Foto: Ricardo Nunes/Divulgação)

Como sempre, todo foco do trabalho está na qualidade musical do espetáculo. No entanto, o cuidado com a concepção visual do show permanece intacto. Saem as projeções, altamente presentes em `Manuscrito´, e entram em cena tecidos fluidos, leves, transparentes e sobrepostos, acompanhados de móbiles num cenário que ganha força por meio de um cuidadoso e belíssimo projeto luminotécnico. Em um ambiente que remete à primavera em tons de verde, azul, lilás, lavanda, roxo, cinza, prata, Sandy convida seu público a uma divertida viagem musical.

De Tom Jobim a Michael Jackson
Sandy subiu ao palco por volta das 20h10, cantando o seu mais recente trabalho, “Aquela dos 30”, lançado com o EP “Princípios, meios e fins” e que também estará no álbum “Sim”. Assim que as cortinas abriram, foi difícil conter os gritos dos fãs mais empolgados. Aliás, os seguidores da cantora se mantém fieis desde a época da dupla. Os jovens, em sua maioria entre 25 e 30 anos, fizeram bonito e cantaram todas as músicas – inclusive as inéditas “Sim” e “Ponto Final” – em uníssono. Na primeira fileira, muitos fãs pareciam estar em êxtase.

 Amigos famosos prestigiaram Sandy no Vivo Rio (Foto: Ricardo Nunes/Divulgação)

De fato, o cenário não tem nada de hightech, mas nem por isso deixa a desejar. De uma beleza e qualidade impecáveis, a cenografia em nada lembra a “Manuscrito Tour”. Porém, o clima intimista permanece, e Sandy parece mais à vontade, seja pelo repertório, com canções mais agitadas, como a animada “Quem eu sou”, seja pela simples sensação do novo. Foi com esse mesmo clima, que a cantora empolgou com “Sem jeito”, dessa vez, sem a percussão. Em seguida, ela cantou “Perdida e Salva”, também do seu álbum de estreia na carreira solo. 

Aos gritos de "linda" e "perfeita", Sandy agradeceu o carinho do público. A histeria dos fãs era tanta que obrigou a cantora pedir silêncio ("psiu") antes de "Se Deus Me Ouvisse", sucesso na voz de Chitãzinho e Xororó, tio e pai, que ganhou uma releitura bem mais intimista. "Vocês sabem que eu adoro cantar coisas dos outros. Mas essa música tem um significado verdadeiro na minha vida, praticamente desde que eu era um bebê. Foi minha primeira inspiração e referência musical, daí decidi ser cantora", explicou.

Em seguida, foi a vez de “Pés cansados”, música que lançou a cantora em sua carreira solo. De fato, este foi um dos momentos altos do show. A satisfação de estar de volta ao Rio de Janeira era visível nos olhos da cantora, que não escondeu o seu amor aos fãs cariocas. Logo, o clima intimista deu lugar à dançante e inédita “Ponto Final”. Com uma pegada mais pop, a música agradou os fãs e mostrou uma Sandy mais animada, dançante, com direito a passinhos e rebolados. O som pop permaneceu com “Casa”, de Lulu Santos, e “Bad”, de Michael Jackson.

 (Foto: Reprodução/Internet)

Sandy versão Bossa Nova
Para a nova turnê, Sandy faz, ainda, uma homenagem a Tom Jobim, ao cantar “Águas de Março”, com direito samba. Os covers continuam com “All Star”, de Nando Reis, e “Idaho”, música composta pela cantora britânica Nerina Pallot, que se tornou amiga de Sandy ao fazer uma parceria em “Manuscrito”, na canção “Dias Iguais”, e ganhou a empatia dos fãs. Aliás, parece que o repertório foi pensado 100% nos fãs, todas as músicas eram conhecidas e tinham um significado, como a emocionante “Angel”, que foi cantada por Sandy para o irmão, na despedida da dupla no último show em São Paulo, em 2007.

O clima de nostalgia volta com “Não dá pra não pensar” e “A Lenda”, sucessos da cantora ao lado do irmão. No bis, Sandy voltou ao palco para cantar o hit "Saudade", do EP "Princípios, Meios e Fins", lançado no ano passado, e a inédita "Sim", que dá nome ao disco e à turnê. Diante de uma plateia fiel, Sandy deixou o palco consagrada pelos fãs e com a certeza de dever cumprido. Sua nova turnê “Sim” foi aprovada e, se o álbum seguir a mesma vibe do show, será sucesso garantido. O público sentia falta da Sandy dançante, mais à vontade com os fãs, e ela voltou. Mais madura e confiante, pronta para fazer desta mais uma turnê inesquecível. Sim.

 (Foto: Ricardo Nunes/Divulgação)

Confira a set list oficial da turnê “Sim”:

Aquela dos 30
Sem jeito
Perdia e Salva
Ela/Ele
Segredo
Se Deus me ouvisse
Pés Cansados
Ponto Final (inédita)
Casa
Bad
Águas de Março
All Star
Idaho
Angel
Não dá pra não pensar
A lenda
Quem eu sou
Escolho você

BIS
Saudade
Sim (inédita)
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

  1. Fui ao show e gostei muito da segurança dela no palco, All Star e Angel ficaram lindas, assim como se Deus me ouvisse, espero ansiosa o lançamento do cd...

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!