Parte de obra é furtada do Museu de Arte do Rio (MAR)

(Foto: Divulgação/MAR)

Parte de uma obra do artista Ivens Machado foi furtada na quinta-feira (25) do Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR), na Zona Portuária. As informações foram confirmadas pela Polícia Civil e pelo museu. Em nota oficial, o MAR informou que a peça, um abridor de latas não era o original do quadro, criado em 1973. Segundo o MAR, a informação foi confirmada pelo proprietário da obra.

Ainda de acordo com a instituição, a peça, ainda de acordo com a instituição, era um abridor de latas comum, que pode ser encontrado em lojas, e já foi reposta. A obra sem título faz parte da exposição “O Abrigo e o Terreno”, que acontece no térreo do museu. A nota diz, ainda, que o furto foi descoberto por museólogos da instituição que notaram a ausência da peça na tarde de quinta-feira. Por se tratar de furto, o caso foi registrado no mesmo dia na 4ª DP (Praça da República).

De acordo com a polícia, a peça de arte contemporânea é uma tela quadriculada com um suporte, onde ficava pendurado o abridor de lata. O Museu de Arte Contemporânea do Rio foi inaugurado no dia 1º de março deste ano, e aberto ao público quatro dias depois.

Perícia
A Polícia Civil informou que agentes fizeram perícia durante toda a tarde de sexta-feira (26) no local e já analisaram as imagens que, de acordo com o museu, mostram o momento exato em que o abridor de latas é retirado do quadro e o autor. O caso foi encaminhado para a DRF (Delegacia de Roubos e Furtos). Ainda não há informações sobre os suspeitos.

Ainda de acordo com a nota, o MAR diz que “entende que qualquer furto, seja qual for a motivação, deve ser tratado como tal. No entanto, o museu acredita que pode não ter havido dolo na ação, tampouco a intenção de roubar uma obra de arte. Afinal, o público da mostra é constantemente convidado a interagir com os trabalhos expostos”.

O museu informou, ainda, que, de acordo com o proprietário da obra, por diversos motivos, como o processo natural de oxidação do material, o objeto já foi substituído outras vezes. Por fim, o museu afirma que o abridor “foi prontamente reposto, sem qualquer dano artístico ou material ao trabalho”.

De acordo com a polícia, a pena para furto simples prevê prisão de um a quatro anos. Já o de furto qualificado pode render de dois a oito anos na cadeia.

Museu de Arte do Rio fica na Zona Portuária (Foto: Reproduçã/Internet)

Leia na íntegra a nota oficial do MAR:

“O Museu de Arte do Rio - MAR, por meio de sua assessoria de imprensa, informa:

Na última quinta-feira, 25/04, foi furtada parte de uma obra sem título do artista Ivens Machado, localizada no térreo da instituição, como parte da exposição "O Abrigo e o Terreno". Na mesma tarde, a equipe de museólogos do MAR notou a ausência da peça, um abridor de latas que integrava o trabalho. Sexta-feira, 26/04, a ocorrência foi registrada na 4ª DP, onde foram entregues as imagens do circuito interno do Museu.

O MAR entende que qualquer furto, seja qual for a motivação, deve ser tratado como tal. No entanto, o Museu acredita que pode não ter havido dolo na ação, tampouco a intenção de roubar uma obra de arte. Afinal, o público da mostra é constantemente convidado a interagir com os trabalhos expostos.

Segundo o proprietário da obra, o abridor em questão não era o original da peça criada em 1973. Por diversos motivos, como o processo natural de oxidação do material, o objeto já foi substituído outras vezes. No MAR, o abridor foi prontamente reposto, sem qualquer dano artístico ou material ao trabalho.

Museu de Arte do Rio - MAR e Instituto Odeon”
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!