'Home Theatre' vai dar R$ 5 mil para melhores cena e atuação

"O Caso da Vara" (Foto: Divulgação)

Teatro no aconchego do lar. Para quem mora no Rio de Janeiro, a proposta encurta distâncias entre público, autor e elenco. Em sua primeira edição, o Home Theatre - Festival Internacional de Cenas em Casa, que acontece de 19 a 27 de março, vai levar o teatro para dentro de 50 casas de moradores de 18 bairros da cidade do Rio de Janeiro, como, Santa Cruz, Providência, Maré e Pavuna, entre outros, que vão receber histórias, cenas, atores e atrizes de todo o país, que se inscreveram para o festival e foram escolhidos a partir de uma seleção. Toda programação é gratuita.

Confira a programação completa aqui 

Sobre o objetivo do festival, o escritor, diretor teatral e cineasta Marcus Vinicius Faustini, criador do projeto, ressalta: "Queremos levantar discussão sobre o que é teatro. Se é levar as pessoas às casas de teatro ou se é inventar uma forma de ver teatro junto com as pessoas".

Em cada uma dessas 50 "casas-espetáculo" a cena apresentada será de no máximo 20 minutos, atingindo três plateias distintas: convidados do morador, convidados da produção e público espontâneo, que será escolhido por meio de sorteio realizado no site do festival (www.festivalhometheatre.com.br). Ao fim de cada apresentação, serão destinados mais 20 minutos de conversa, entre elenco e espectadores.


"Benedita" (Foto: Divulgação)
Das 23 cenas desta ação de caráter itinerante 21 vão compor a Mostra Competitiva, que acontecerá no Instituto do Ator, na Lapa, que servirá como uma "casa-sede". Uma premiação de R$ 5 mil para a melhor cena e para melhor atuação será oferecida. Quem quiser conferir a Mostra Competitiva terá que pegar senha uma hora antes na entrada do Instituto, nos dias das apresentações.

O Festival também conta com cenas hors concours. A abertura do evento, no dia 19, será com a apresentação de "Sofia e seus doze analistas", inspirada no livro "Felicidade Clandestina", de Clarice Lispector, que será interpretada pela atriz Valquiria Oliveira, e que será encenada na casa da diretora da cena, Celina Sodré. Já "Pequenos e grandes gestos de despedidas", é uma cena síntese do conceito do festival. A atriz Georgiana Góes com colaboração - e direção - do Faustini apresenta uma cena que mistura realidade e ficção, e que será encenada por ela para um espectador de cada vez. 

Mostra Homenagem
O público poderá conferir as cenas "O caso da vara", da Cia. do Invisível, do Rio de Janeiro, baseada no texto de Machado de Assis, na Mostra Homenagem. A Cia. do Invisível, de Santa Cruz, criada pelo diretor Alexandre Damascena é conhecida por realizar há anos cenas de contos de Machado de Assis nas casas dos moradores da região e a partir desse experiência que surgiu a inspiração para a criação do Festival Home Theatre e "Solano Trindade e suas negras poesias", da Cia. Capulanas, de São Paulo, que retrata a força da mulher negra. Para todas as apresentações hors concours também haverá sorteio de ingressos pelo site.

Fechando a programação, no dia 27, serão apresentadas 18 cenas que são resultado do processo de pesquisa, que 18 atores selecionados pelo Festival produziram a partir de histórias de jovens moradores do Borel e da Cidade de Deus. Nove cenas serão apresentadas em cada comunidade. Uma parte dos atores contará com a direção do inglês Kerry Michael, diretor do Theatre Royal Stratford East e a outra parte com a direção de Susanna Kruger.

"Capulanas" (Foto: Divulgação)

A volta de Faustini
O Home Theatre - Festival Internacional de Cenas em Casa marca a volta de Faustini às artes cênicas. Longe do teatro desde 2007, quando dirigiu "O inimigo do povo", de Henrik Ibsen, ele continuou seu trabalho na cultura com projetos como a Escola Livre de Cinema de Nova Iguaçu, a primeira do gênero totalmente gratuita da Baixada Fluminense; a Escola Livre de Teatro, um trabalho de formação destinado a jovens artistas da Zona Oeste, e a Agência de Redes para Juventude, um programa proporciona aos jovens das comunidades cariocas pacificadas conexões e ferramentas para que possam atuar como agentes transformadores, por meio da criação de um projeto que beneficie a região em que vive. 

O diretor queria que seu retorno ao teatro fosse com um projeto capaz de unir o estímulo à criação com a intervenção de território, dois fatores recorrentes em seus trabalhos. "Histórias de vida como elementos de cena e a cidade como palco, o Home Theatre é um trabalho de intervenção da estética nos territórios", explica.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!