Sucesso de público, 'Shrek: O Musical' agrada pais e filhos

Por Rodrigo Vianna


Veja acima cenas de "Shrek - O Musical"

Definitivamente os musicais nacionais vivem o seu melhor momento. Há um mês em cartaz, o espetáculo “Shrek: O Musical” já atraiu milhares de pessoas ao Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro. Com efeitos especiais, cenários criativos e boas piadas, o musical é um prato cheio para os amantes do gênero. De fato, desde dezembro, pais e filhos têm lotado o teatro para acompanhar de perto as aventuras do ogro mais querido do mundo e seu amigo tagarela, o burro. O Contracen@rte marcou presença na sessão das 20h de domingo (7), e acompanhou a reação dos pequenos. Durante as 2h10 de espetáculo, o público riu, aplaudiu e cantou com os personagens. É, Shrek está na graça do povo.

Leia também: Elenco de “Shrek” faz últimos ensaios antes da estreia
                       "Shrek - O Musical" estreia no Teatro João Caetano
                       “Shrek - O Musical” une humor e tecnologia em sátira pop

De cara, a megaprodução impressiona. No total, 27 atores e bailarinos se revezam entre personagens e cenários realistas, que dão o tom do espetáculo. Um dos maiores sucessos da Broadway, “Shrek: O Musical” é dirigido por Diego Ramiro e produzido pela Kabuki produções e XYZ Live. Shrek é um dos personagens mais bem-sucedidos da indústria do entretenimento, com quatro longas-metragens (o primeiro, “Shrek”, foi lançado em 2001) e o espetáculo que estreou na Broadway em 2008.

Acompanhado dos filhos e da esposa, o empresário André Luiz não escondeu a satisfação de poder ver de perto essa megaprodução: “Eu sempre faço questão de trazer os meus filhos ao teatro, ainda mais quando o espetáculo é conhecido deles. A peça é sensacional, os figurinos são fabulosos. É muito legal ver um nível de Broadway aqui no Rio de Janeiro. É muito importante para as crianças, é um incentivo para a cultura, enfim, é uma iniciativa maravilhosa”, disse o empresário, enquanto ajudava a conter a animação dos pequenos.

(Foto: Contracen@rte)

“Os efeitos são sensacionais”, diz atriz
Quem também aprovou a montagem foi a atriz Alice Borges, que foi acompanhada do marido e do filho, Pedro. Durante o intervalo de 20 minutos do espetáculo, a atriz contou que ficou impressionada com os efeitos especiais: “A gente adorou. Os efeitos são sensacionais, o elenco canta muito. Vale muito a pena. Parabéns aos atores, produção, direção e toda equipe técnica! Espetáculo perfeito, cheio de energia e contagiante!”, disse a atriz.

Chegando ao teatro, o público já se transporta para dentro da história ao som ambiente que lembra um pântano. Como um verdadeiro conto de fadas, tudo começa com uma narração. No palco, surge um Shrek menino, que foi expulso de casa aos sete anos e passou a viver isolado num pântano na floresta do reino “Tão Tão Distante”. Sabe que é um ser assustador e se diverte com isso. Parece não ter nenhum tipo de sentimento, mas, no fundo, tem um coração do tamanho dele.

Aqui, Shrek é interpretado por Camila Camargo, filha do cantor Zezé Di Camargo, que também dá vida a outros três personagens. É quando o pequeno Shrek tem o primeiro contato com a princesa Fiona, interpretada pela doce e talentosa Júlia Gomes. Com direção musical de Marcelo Castro, os atores cantam 20 músicas em português, entre elas a famosa “I'm A Believer”, do Smash Mouth. A tradução ficou a cargo de Cláudio Botelho, e os textos são de Cristina Bério. Já de cara, o público se impressiona com as projeções que compõem o cenário e os figurinos.

O publicitário Marcos Moore também aprovou o espetáculo e disse que voltaria outras vezes. “Eu gostei muito da peça. A minha filha ficou mais tímida no início, mas depois ela começou a participar mais. O espetáculo é ótimo, as músicas, as coreografias e a cenografia, é tudo muito bom. Adorei o musical, superou minhas expectativas! O povo tá muito afinado. Super produção, figurino lindo e atores excelentes! O dragão é impressionante”, disse o empresário, que foi ao teatro com a filha e  a esposa.

(Foto: Divulgação)

O espetáculo
Tudo é mágico e pop. Numa boa sacada de tempo, surge o nosso personagem principal, já adulto, interpretado (e muito bem, por sinal) pelo ator Diego Luri. Shrek é um ogro, verde, grande e nojento. Sua primeira cena já mostra que os meninos de South Park e a dupla Beavis & Butthead influenciaram muito na hora de escrever o roteiro. O monstrão aparece coçando o bumbum, arrotando e soltando peido. Logo na sua primeira canção “Uma vida uó”, Diego mostra sua potência vocal e arranca aplausos calorosos.

Para ajudar a compor o ogro verde mais querido do mundo, a produção do espetáculo recorreu à artista plástica Ruiza Queiroz, que ficou responsável pelas próteses. O resultado é um efeito realista capaz de confundir o espectador. Outro ponto alto do espetáculo são os figurinos, cheio de detalhes e fiéis à saga. Tudo em “Shrek: O Musical” parece ter sido pensado a dedo. A tecnologia está presente em quase todo espetáculo. Está nas projeções que compõem o cenário, na iluminação, nos figurinos e na famosa cena de transformação de Fiona, no casamento.

Como no filme, o alvo principal são os personagens de contos de fada. A produção de “Shrek : O Musical” não deixou escapar ninguém. Estão lá Pinóquio, os três porquinhos, o Lobo Mau, Fada Madrinha, Elfa Sapateira, os três ursos e até o Patinho Feio. Preste muita atenção para não deixar passar ninguém em branco. Para quem gosta das velhas histórias de ninar, esta é uma das brincadeiras mais legais do espetáculo: listar as participações especiais.

Tudo começa quando Shrek, um ogro grande, feio, esverdeado e mal disposto, vê o seu pântano particular invadido por dezenas de personagens clássicas de histórias infantis. Os personagens de contos de fadas todos estão lá para o desespero do ogro, apaixonado pela solidão e tranquilidade. A culpa de todas aquelas personagens estarem ali é de Lord Farquaad (Marcel Octavio), um governante baixinho e complexado que precisa de se casar com uma princesa para ser considerado rei. Marcel dá um show na pele do tirano.

Rodrigo Sant’Anna rouba a cena como Burro
Disposto a casar-se, Farquaad pede a Shrek para iniciar uma cruzada de salvamento da bela princesa Fiona, que está presa na torre de um castelo que é guardado por um terrível dragão. Como recompensa, Shrek teria de volta a paz e a privacidade do seu pântano. Começa então a saga do ogro à procura da princesa encantada. Ao seu lado, está um fiel burro falante, que se cola ao ogro para se proteger, aqui interpretado pelo ator e comediante Rodrigo Sant’Anna, que, apesar de não cantar muito bem, rouba a cena durante todo o espetáculo.

(Foto: Contracen@rte) 

Com boas sacadas e abusando do improviso, Rodrigo brinca no palco. Ele nos oferece os melhores momentos do espetáculo, sempre com piadas novas e atuais. Pelo caminho, Burro e Shrek vão se deparar com as mais inusitadas situações e divertidas personagens que vão garantir as gargalhadas dos espectadores. Principalmente daqueles que souberem captar as subtilezas das várias “picas” que a história faz ao universo Disney. Não se espante ao ver a menina Doroty, de “O Mágico de Oz”, cruzar o palco e até mesmo os personagens de “O Rei Leão”. Tudo está lá.

“Shrek: O Musical” inova ao eleger como heróis da trama o ogro Shrek e seu amigo o burro falante. Transforma a princesa doce, frágil e amigável de outros tempos numa mulher moderna, atuante, boa de briga e chegada numa confusão (mas que continua bela). Faz com que o príncipe malvado seja baixinho, franzino e cabeçudo. E o pior de tudo, envolve o herói na trama não em função de causas nobres como salvar o reino, derrotar cavaleiros inimigos ou salvar a indefesa princesa, Shrek entra na trama para livrar as terras onde vive da invasão de outros personagens das histórias para crianças.

(Foto: Divulgação) 

O diretor Diego Ramiro foi feliz ao inserir no espetáculo elementos nacionais, como os versos do Hino Nacional e da tradicional vinheta de fim de ano da TV Globo. A atriz Sara Sarrez traz uma Fiona engraçada, escrachada e fiel à fábula. De atuação impecável e beleza que chama a atenção, Sara consegue segurar a personagem durante as mais de duas horas de espetáculo com maestria. Em poucas palavras, “Shrek: O Musical” é imperdível. Bom texto, números musicais pop e originais e elenco de ponta garante a diversão e fazem deste um musical digno do ogro verde “Tão Tão querido” para os fãs de todas as idades.


(Foto: Divulgação)  
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!