“Foi uma química que deu certo”, afirma Thalita Rebouças sobre “Tudo por um PopStar - O Musical”

Por Rodrigo Vianna

 Thalita Rebouças na estreia de "Tudo por um PopStar"  (Foto: Divulgação)

O ano não poderia ter começado melhor para a talentosa Thalita Rebouças. Queridinha dos adolescentes, a escritora comemora o sucesso do espetáculo “Tudo por um PopStar – O Musical”, baseado no seu livro homônimo, que está em cartaz no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, e no Imperator, no Méier, ambos no Rio de Janeiro. Ao Contracen@rte, Thalita Rebouças falou sobre o musical e disse estar orgulhosa com o resultado. Segundo ela, a ideia de levar um dos seus best-sellers para o teatro partiu da Aventura Entretenimento, que produz o musical.

Leia também: "Tudo por um PopStar - O Musical" quer incentivar a leitura
                       “Tudo por um PopStar” aposta em hits e humor 

“A ideia foi da Aventura Entretenimento (produtora) que me procurou querendo transformar um livro meu em musical, e por causa do tema “tudo por um popstar” eu sugeri esse livro. Eles compraram a ideia, embarcaram nesse sonho de transformar o livro numa peça musical. E foi absolutamente lindo. Foi uma química que deu certo. Direção, atores, músicos, a equipe toda. Queria que o espetáculo fosse legal também para os pais que vão levar os filhos. Eu estou encantada com o resultado”, disse ela.

Baseado no livro homônimo da escritora Thalita Rebouças, "Tudo por um PopStar" consegue divertir, sem ser apelativo, emocionar, sem ser caricato. Com sucessos que estão na ponta da língua dos adolescentes e muito humor, o musical é um banquete completo para fãs de todas as idades. O best-seller chega aos palcos com o objetivo de incentivar a leitura e ampliar a formação de público. E isso fica claro logo no cenário, formado por um grande telão cercado por letras. Assinada por Ronald Teixeira, a cenografia é simples, mas funcional.

Cena de "Tudo por um PopStar" (Foto: Divulgação)
 
A peça conta a história das amigas Gabi, Ritinha e Manu, moradoras de Resende que se aventuram em uma viagem ao Rio de Janeiro para ver de pertinho o show de seus ídolos, a boyband Slavabody Disco Disco Boys. A produção tem texto de Gustavo Reiz (“Bate Coração”, “Confidências, Confusões e Garotas”, “Sonhos de Umas Férias de Verão” e “Confidências, Confusões e... Mais Garotas!”, todos da Rocco, e “Sansão e Dalila” – TV Record) e direção musical de Jules Vandystadt (Vencedor do Prêmio Shell por “Beatles Num Céu de Diamantes”).

Essa é a segunda adaptação de um livro de Thalita para o teatro: a primeira foi de “Fala Sério, Mãe!”(2007). Mas não tão grandiosa quanto “Tudo Por Um Pop Star”, orçada em R$ 3,5 milhões. Maior nome da literatura teen no Brasil, Thalita Rebouças vendeu mais de um milhão de livros e arrasta multidões às bienais e feiras de que participa Brasil afora, em busca de um autógrafo, uma foto ou, quem sabe, um abraço ao lado da escritora. Para ela, o espetáculo vai ajudar a formar um novo tipo de plateia.

Thalita e os Slavabody Disco Disco Boys (Foto: Reprodução / Internet)

“Adolescente ama amar alguém. Essa frase eu não falo à toa, porque acho que todo mundo foi adolescente e amou alguém. Eu acho que é importante vir ao teatro, formar essa plateia pré-adolescente, adolescente, e fazer com que eles se identifiquem. É um dos primeiros musicais voltados para esse público e a ideia é que existam outros espetáculos para essa galerinha. Porque há muitas opções infantis e adultas, mas para os jovens a gente quase não vê. Vou ficar feliz quando a gente abrir o jornal e a parte do roteiro com a programação jovem for extensa”, completou ela.

Com direção de Pedro Vasconcelos, o musical ‘Tudo por um PopStar” tem roteiro do também autor adolescente Gustavo Reiz, com supervisão da Thalita. “É a melhor sensação do mundo, porque eu vejo que o meu livro foi respeitado. Eu me senti respeitada como autora. O Gustavo Reis respeitou muitíssimo o meu livro e o Pedro (Vasconcelos) também. Eles aceitaram as minhas sugestões e captaram totalmente o que é o livro”, disse a escritora.

Novos públicos
A escritora, que acaba de lançar “Adultos Sem Filtro — & Outras Crônicas” (Ed. Rocco), que reúne textos publicados em seu blog e alguns inéditos, sobre experiências suas com as fãs, espera que outros livros ganhem adaptações para o teatro. Segundo ela, o próximo a invadir os palco será “Era uma vez minha primeira vez”. Além disso, Thalita deve lançar ainda neste ano o seu primeiro livro infantil, “Por que só as Princesas se dão Bem?”, em homenagem à afilhada.

“Não pretendo mudar de público, Vou continuar escrevendo para o público pré-adolescente e adolescente. Mas esse livro foi especial [...] Estou muito feliz. Tomara que venham outras adaptações. O ‘Era uma vez minha primeira vez’ vai virar teatro ainda esse ano e espero que outros livros virem peças, e que se faça teatro para pré-adolescente e adolescentes. Não há segredos, eu acho que os adolescentes gostam do que eu escrevo porque eu falo de igual para igual”, acredita.

As três mosqueteiras
Para viver as adolescentes loucas pelo Slavabody, foram escaladas as atrizes Thati Lopes, de 24 anos, que vive Gabi; Jullie, também de 24 (Manu); e Larissa Bougleux, de 16 (Ritinha).As jovens atrizes dão show de interpretação e encarnam, com maestria, as típicas adolescentes loucas pelos seus ídolos. Destaque para Thati Lopes, que soube improvisar e brincar com a plateia, arrancando boas risadas da plateia. Como na cena em que Gabi vai sozinha à praia e sonha com Michael Lazdakson, um dos Slavabody. Sem dúvida uma das melhores cenas do espetáculo.

Rostinho já conhecido da galerinha, Jullie é outra que se destaca no espetáculo pela sua voz singular. A atriz, que ficou conhecida por seus trabalhos nos canais de TV a cabo Disney Channel e Nikelodeon, já possui uma legião de fãs, que compareceu ao teatro para ver a sua "diva" trocar de papel.

Ao Contracen@rte, Jullie confessou que já fez algumas loucuras pelos seus ídolos. Fã na adolescência da dupla Sandy e Junior, a atriz canta "Quando você Passa", que ficou famosa nas vozes dos filhos de Xororó, no espetáculo: “Eu tinha feito audição para o musical do Rock in Rio e a produção me ligou dizendo que havia outro musical que tinha tudo a ver comigo. Fiquei muito feliz porque é um musical que atinge um público que eu já vinha trabalhando antes, então é uma galerinha que já me conhece. A gente ensaiou muito, foram três meses ensaiando loucamente, muitas músicas, muita preparação e muita abdominal. ”, brincou a atriz.

No papel da doce e "estressada" Ritinha, Larissa mostra que um fã é capaz de cometer as maiores loucuras para ver o seu ídolo de perto. Durante a canção "Amar não é Pecado", do Luan Santana, a sua personagem monta, abraça, aperta e gruda no ídolo Julius Tiger. Aos 16 anos, Larissa é a mais nova no elenco e ainda vive os sonhos de um um fã adolescente. Com talento de gente grande, ela parece brincar no palco e faz parecer natural. Das três atrizes é que possui o menor preparação vocal, mas nada que atrapalhe o seu rendimento no espetáculo.

(Foto: Divulgação)

Aventuras e loucuras
Na história, Gabi, Ritinha e Manu passam por muitas aventuras para conseguir assistir ao show dos seus "divos", como são chamados pelas adolecentes. Para isso, elas não medem esforço e contam com a ajuda da atrapalhada e esotérica Babete, a prima hippie da Manu, brilhantemente interpretada pela atriz Thais Belchior. Ao lado de Thati Lopes, ela oferece ao público os maiores momentos cômicos do espetáculo. Outro destaque fica para Igor Pontes, no papel d afetado Davi. Muito engraçado, ele brinca com a plateia, usa e abusa dos gestos e dá show ao interpretar um pout-pourri de "Dancing Days" e "What's my Name".

(Foto: Divulgação)
 
Já no Rio, as meninas acabam passando a noite sozinhas e são obrigadas a ir ao show, no Maracanã, sem a companhia de um adulto. Pronto. A confusão está armada. Tumulto na fila do banheiro, confusão no posto médico e a perda do show. Como se não fosse o bastante, as amigas ainda são obrigadas a dormir na rua após perderem a chave de casa e o celular. Resultado: as três são levadas ao Juizado de Menores pelo Dr. Miro Montalban, um agente do juizado, interpretado por Marco Bravo. No fim, as amigas são levadas de volta a Resende. Mas o final reserva uma grande surpresa capaz de mudar para sempre a vida dessas três aventureiras.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!