Descalça, Joss Stone exalta o soul music em show no Rio

Joss Stone em show no Rio
(Foto: Néstor J. Beremblum / Divulgação T4F)

No dia 15 de Novembro, Joss Stone levou ao delírio os seus fãs da cidade maravilhosa, no show realizado no Citibank Hall, Barra da Tijuca. A turnê “The Soul Sessions – Vol. 2” seguiu também pelas cidade de São Paulo, Belo Horizonte e Florianópolis. Dotada de uma voz incrível, a musa do soul se apresentou de maneira brilhante, em um dos seus países preferidos.
"O Brasil é meu lugar favorito para cantar", declarou ela em São Paulo.
Ela tem só 25 anos de idade, mas já acumula no currículo cinco indicações ao prêmio Grammy, com uma estatueta conquistada, e 11 milhões de discos vendidos em todo o mundo. Joss começou a cantar na adolescência, quando interpretava as canções da diva Aretha Franklin. Aos 15 anos, fechou contrato com uma gravadora e, aos 16, lançou seu álbum de estreia, “The Soul Sessions” (2003). Seus álbuns seguintes tiveram singles que conquistaram o ranking dos mais tocados.

(Foto: Néstor J. Beremblum / Divulgação T4F)

Já nas graças da crítica, Stone também conquistou definitivamente o público norte-americano ao lançar Introducing Joss Stone (2007). O álbum estreou diretamente na segunda posição na parada da Billboard, a melhor marca alcançada por uma artista solo britânica. Além de talentosa intérprete, ela demonstrava sua evolução como compositora, algo que se tornou ainda mais evidente em seus dois álbuns mais recentes: Colour me Free (2009) e Lp1 (2011).

(Foto: Néstor J. Beremblum / Divulgação T4F)

Dez anos após a gravação do bem-sucedido primeiro álbum, a cantora decidiu revisitar o início da carreira e gravou “The Soul Sessions – Vol. 2”, que inclui versões de temas clássicos, como "(For God’s Sake) Give More Power to the People”, originalmente gravada por Chi Lites, "The Love We Had (Stays on my Mind)”, que tornou-se conhecida na versão do grupo The Dells e “While You’re Out Looking For Sugar”, do grupo The Honey Cone.
"Eu me diverti muito ao revisitar The Soul Sessions e fiquei muito satisfeita com o resultado. Há canções incríveis no álbum e amei cantá-las ao lado de músicos talentosos. Espero que as pessoas gostem”, diz Joss Stone, ratificando sua relação de uma década com a música: vibrante, intuitiva e livre.
Simplicidade é o lema desta linda cantora: pés descalços - sua marca registrada - e vestindo um short jeans em substituição às suas típicas saias longas, ela abriu o show com “Give More Power To The People” dando o swing necessário para o público começar a se mexer. Hits como “You had me”, “Super duper lover” e “Baby, baby, baby” foram alguns dos grandes momentos do show. 

Pausa para uma xícara de chá
Apoiada por um trio de backing vocals muito competente, a loira marcava com um sorriso o intervalo entre uma canção e outra, enquanto bebia chá numa xícara com estampa de estrelas. Assim como aconteceu em São Paulo, músicas como “Karma” foram adicionadas ao set list atendendo a pedidos. Versões de “Turn Your Lights Down Low” (Bob Marley) e “You Gotta The Love” (Florence and The Machine) foram bem recebidos pelo público que lotava o Citibank Hall.

“Right to be Wrong”, embalou os casais e fechou muito bem a noite dos fãs cariocas que mataram a saudade de Joss em 1h40 minutos de apresentação. Antes de ir definitivamente, Joss trouxe um ramalhete de rosas brancas para presentear seu público. Definitivamente, carisma e carinho não faltam a esta musa.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!