“Tributo This is it”: Michael Jackson não morreu

   (Foto: Divulgação) 

Pode parecer estranho o que vou dizer, mas na noite de sexta-feira (28) assisti ao show “This is it”, pelo menos o que poderia ter sido essa, que seria o grande retorno de Michael Jackson aos palcos. Três anos após a sua morte, um grupo de fãs brasileiros decidiram montar um musical em homenagem ao Rei do Pop tendo como inspiração a tão aguardada turnê mundial, que acabou não acontecendo. A apresentação atraiu milhares de fãs que lotaram o Citibank Hall, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. Já conhecido do público, Rodrigo Teaser encarna o Rei do Pop tão poerfeitamente, que na maioria das vezes a sensação é de que estamos alí, diante do Michael de verdade.

O musical, que tem direção de Branco, Sérgio Pitta e do próprio Rodrigo Teaser, conta com elevadores, efeitos especiais, vídeos e coreografias exatamente iguais às originais, assinadas por Lurian Cortez.Este é o maior show já produzido em homenagem ao Rei do Pop, Michael Jackson. Produzido a partir do conceito criado para o show de despedida do Rei do Pop, Tributo “This Is It” traz os elementos que compunham a produção – banda ao vivo, bailarinos, efeitos pirotécnicos, efeitos especiais, elevadores de palco, vídeos produzidos especialmente para o show e muito mais.

As coreografias, assim como o arranjo da banda e todos os figurinos do show, são reproduções exatas e fieis dos originais que seriam usados por Michael Jackson nos shows This Is It.

Elementos cênicos como uma aranha de 3 metros de largura e led na roupa são algumas das surpresas que foram preparadas para o show original e estão presentes nesse tributo. No repertório, assim como Michael Jackson disse em sua coletiva de imprensa, serão apresentados apenas sucessos, as canções que seus fãs queriam ouvir: “Billie Jean”, “Beat It”, “Thriller”, “Black Or White”, “Smooth Criminal” e muito mais.

Surpresas 
Um show cheio de surpresas que leva o público a presenciar e imaginar o que seria a magia criada por Michael Jackson para seu show de despedida. O projeto Tributo “This Is It” traz uma exposição com itens raros de colecionador, brinquedos, bonecos, players, boxes, que mostram o poder de Michael Jackson nas diferentes linguagens da cultura pop mundial. Tour books, bonecos de porcelana, e outros artigos com tiragem limitada estão na exposição. E é claro, o item mais raro e desejado pelos fãs, uma jaqueta que pertenceu ao próprio Michael Jackson, exposta pela primeira vez em um tributo no Brasil.

(Foto: Divulgação)

No entanto, apesar do esforço da produção e dos detalhes, alguns pontos negativos devem ser ressaltados. O primeiro deles é o cenário. Ok, não que eu estava esperando a mesma mega estrutura da turnê oficial “This is It”, é até louvável o esforço da produção de tentar reproduzir o palco, mas digo em relação ao acabamento. Tirando o telão, o palco é escuro e traz um clima de pesar ao espetáculo. Outro ponto baixo são as passagens de musica. Algumas demoradas, talvez pelo fato do Michael Sósia e seus bailarinos se trocarem, mas essa estratégia provocou sono em algumas pessoas que estavam na plateia. A última falha, talvez a mais sentida, foi a ausência da canção “Will you be there”, um hino digno de qualquer tributo.

Realismo
Nas canções The Drill (sequencia coreográfica inédita, preparada para This Is It) e They Don´t care About Us Michael Jackson transformaria seus bailarinos em uma gigantesca tropa estelar. Pensando no Tributo, a equipe brasileira gravou o mesmo vídeo, reproduzindo a coreografia, figurinos e a ideia de ter os bailarinos do palco multiplicados no telão. Já em Smooth Criminal fica claro a intenção de Michael em fazer um vídeo clipe ao vivo, gangster, dançarinas sensuais no palco recriam a atmosfera do vídeo clipe, incluindo o efeito The Lean (onde o corpo se projeta 45 graus) tudo ao vivo. Um dos pontos altos do espetáculo).

Mas o grande momento é, sem dúvida, quando os primeiros acordes anunciam “Thriller”, a canção que dá nome ao disco mais vendido de todos os tempos. 

Para seu novo show, Michael Jackson pretendia entrar no palco dentro de uma aranha gigante, que se movia e se abria revelando o Rei do Pop para que ele dançasse com seus “zumbis”. Pode ser até loucura, mas a aranha está presente no Tributo, assim como Michael Jackson idealizou, os seus zumbis, para reproduzir diante do público a coreografia mais clássica na história dos vídeos clipes. As máscaras para a caracterização dos dançarinos em cena foram importadas.

Apesar dos recursos limitados - Rodrigo arrecadou R$ 100 mil para reproduzir um show que custaria milhões -, equipamentos e figurinos foram importados, sendo algumas roupas dotadas de cristais Swarovski e até de led. Sobre o palco, além da banda e de Rodrigo, se apresentam oito bailarinos, com mais de 120 figurinos. Só Rodrigo tem 11 trocas. Em suma, o show é melhor apreciado por quem já assistiu ao documentário “This is It”, já que é possível "traçar paralelos entre as obras". A começar pelo set list, que tem 16 canções, sendo 12 do filme. Sem duvida, Michael Jackson ainda vive.

(Foto: Divulgação)

Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!