"Michael e Eu" faz uma homenagem ao Rei do Pop

(Foto: Divulgação)

O espetáculo "Michel e Eu", que estreou no dia17 de agosto, no Teatro Leblon, Sala Marília Pêra, faz uma homenagem ao cantor Michael Jackson, que completaria 54 anos no dia 29 de agosto. Com dramaturgia de Marcelo Pedreira e direção de Ivan Sugahara, o espetáculo conta com os atores Bruno Garcia e Pedro Henrique Monteiro para apresentar a história de um fã brasileiro do Rei do Pop, cuja vida entra em estado de suspensão após a morte do ídolo.

O dramaturgo Marcelo Pedreira teve a ideia do espetáculo após conhecer o carioca Leandro Lapagesse, dono do maior acervo sobre Michael Jackson da América Latina, com mais de 10 mil itens na coleção.  Pedreira ficou fascinado pela relação de amor que Lapagesse estabeleceu com o ídolo, estampada nas tatuagens que cobrem todo o seu braço direito, e nos anos dedicados para conhecer cada detalhe de sua biografia. Lapagesse esteve presente, inclusive, no velório de Michael Jackson, no ano de 2009, em Los Angeles.

Autor de peças como ‘Clichê’, com Lúcio Mauro Filho, e ‘45 Minutos’, com Caco Ciocler, Pedreira mergulhou numa extensa pesquisa sobre a vida e a obra de Michael Jackson para criar um texto original que, além de homenagear o cantor, fala também sobre a cultura pop e o politeísmo profano que surge da relação fã e ídolo nos dias de hoje:

“Os astros pop parecem, para mim, a versão contemporânea daqueles deuses gregos do Olimpo. Tanto estes quanto aqueles nos maravilham com seus talentos ou superpoderes especiais, mas também não conseguem disfarçar suas limitações, paixões e fraquezas tipicamente humanas. Assim como os deuses olímpicos, os deuses pop funcionam hoje, para milhões de pessoas, como ponte (às vezes única) para a dimensão mágica e transcendente da existência”, afirma o autor.

Amigos há mais de dez anos, Marcelo Pedreira e Ivan Sugahara sempre tiveram a intenção de trabalharem juntos no teatro. O convite para Sugahara dirigir “Michael e Eu” surgiu durante um bate-papo numa mesa de bar.

(Foto: Divulgação)

“Considero Michael Jackson um dos maiores dançarinos que já existiu, além de ter um sido um cantor e compositor espetacular. Ou seja, um artista completo. Sem dúvida alguma, um gênio. Sua morte em 2009 me comoveu profundamente. Tanto que ele foi uma das inspirações da peça Terra do Nunca, que dirigi em 2010. Mas não foi suficiente. E, em 2011, numa dessas coincidências fabulosas da vida, Marcelo Pedreira me convidou para dirigir este espetáculo, sem ter ideia do meu histórico com MJ. Por tudo isso, participar deste projeto é uma grande honra.”, afirma Ivan Sugahara.

Sobre o espetáculo
A peça conta a história fictícia de Léo (Pedro Henrique Monteiro), um fã obcecado por Michael Jackson, que após a morte do ídolo não consegue retomar sua vida e entra numa depressão profunda. Léo não consegue mais trabalhar, relacionar-se com os amigos, ou sequer sair de casa. Está aprisionado num velório sem fim, cujo grande símbolo é a pulseira-credencial que usou em Los Angeles no velório de Jackson; pulseira que não consegue retirar e que manuseia a todo o momento.

Desesperado, ele procura ajuda num psicólogo iconoclasta, Doc (Bruno Garcia) - personagem escrito especialmente para o ator, que este ano completa 30 anos de carreira – cujos métodos inusitados acabam por trazer para as sessões o próprio Michael Jackson, interpretado por Nikki Goulart, o mais impressionante sósia de Jackson do Brasil.

Durante as sessões - que acontecem num espaço simbólico que mais se assemelha a um palco de show - tanto a vida do fã quanto a do ídolo são reconstituídas, resultando num espetáculo extremamente pop e dinâmico, pontuado por músicas e vídeos de Michael, e onde os próprios atores cantam e reproduzem coreografias, como a de Thriller.

Os videoclipes de Michael Jackson, que permeiam todo o espetáculo, relembram momentos icônicos de sua carreira, como as primeiras apresentações com os ‘Jackson Five’, os videoclipes de ‘Beat It’ e ‘Thriller’, a primeira vez que Michael dançou o Moonwalk ao som de ‘Billie Jean’, a vinda de Michael ao Brasil e muitos outros.

A montagem conta ainda com a participação especial de Ryan Alves, de 9 anos de idade, como um Michael Jackson mirim - e dos atores Lúcio Mauro Filho – que empresta sua voz para um apresentador de Quiz Show - e Elisa Pinheiro, que interpreta uma fã de Madonna num vídeo pré-gravado.

Serviço:
Estreia para público: dia 17 de agosto
Estreia para convidados: dia 29 de agosto (aniversário de Michael Jackson)
Local: Teatro Leblon – Sala Marília Pera (Rua Conde Bernadotte, 26 – Leblon)
Informações: 2529-7700
Valor: Quinta, R$50,00/ Sexta e Domingo, R$60,00/ Sábado, R$70,00
Horário: Quinta a Sábado, às 21h/ Domingo, às 20h
Capacidade: 462 lugares
Duração: 80 minutos
Classificação etária: 12 anos
Gênero: comédia dramática
Temporada: 17 de agosto a 30 de setembro
Sinopse: O espetáculo presta homenagem a Michael Jackson através da história de um fã que não consegue retomar sua vida após a morte do ídolo. 
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!