Jorge Aragão canta seus maiores sucessos no Rio

(Foto: Divulgação)

Com 20 álbuns (foraas muitas coletâneas) e mais de trinta anos de estrada - Jorge Aragão é o maisrecente fenômeno da indústria fonográfica no Brasil. Como compositor, o"poeta do samba" explodiu faz tempo nas vozes dos maiores intérpretesda mpb e é gravado por nove entre dez estrelas; principalmente do samba.Primeiro foi Elza Soares com um hit que atravessou décadas:"Malandro".

Depois vieram Beth Carvalho, Alcione, Leci Brandão, NeyMatogrosso, Zeca Pagodinho, Dona Ivone Lara, Negritude Jr., Exalta Samba, Art Popular,Elba Ramalho e Jair Rodrigues, dentre muitos e muitos outros. Nas vozes de Elbae Jair, por exemplo, o compositor extrapolou fronteiras interplanetárias e teveum dos seus maiores êxitos "acordando" o robô da Nasa em Marte: amúsica "Coisinha do Pai" - canção que Jorge fez quando do nascimentode uma de suas filhas -  em parceria com  Luiz Carlos e Almir Guineto e um dosgrandes hits da carreira de Beth Carvalho.

Mas, por um desses acasos da vida, acarreira solo só decolou no finalzinho dos anos 90 com o ingresso na gravadora Indie Records. "Sambista a bordo", o CD de estréia na Indie, fez comque suas vendas disparassem e o artista ganhou seu primeiro disco de ouro! Osseguintes tiveram premiações em ouro, platina e platina duplo. Só de 2001 para2002 Jorge vendeu mais de 2 milhões de discos, transformando-se num verdadeirofenômeno mercadológico. Até porque o "poetinha" beirava os cinquentae jamais havia passado das sessenta mil cópias por álbum. Cifra alcançada com olançamento do "Sambista" em seu primeiro dia nas lojas.

Um dos fundadoresdo Grupo Fundo de Quintal, conjunto de samba que fez história na músicabrasileira e rende "filhotes' até hoje pelo país afora, Jorge Aragão ficouno conjunto por pouco tempo por achar, na época, que deveria dedicar-se apenas`a composição. Mas não resistiu e acabou cedendo aos apelos de uma gravadoraque o queria como artista exclusivo. O  Fundo de Quintal, sómente paraesclarecer,  nasceu na  quadra do bloco carnavalesco Cacique de Ramos; localque abrigava a nata do samba nos anos 80. Por lá  passaram não sópersonalidades como  Jorge Aragão e Almir Guineto, como bambas do naipe deArlindo Cruz e Sombrinha (que também fizeram parte do Fundo de Quintal em suasformações posteriores).

Jorge Aragão,felizmente, não virou "apenas compositor" e acabou conquistando opúblico também com seu timbre raro, sensual, e interpretaçõespersonalíssimas.    Tanto que, além dos inúmeros prêmios e múltiplashomenagens, ganhou, por unanimidade de votos, o "Troféu Imprensa de MelhorCantor do Ano" em 2001. A premiação é realizada pelo SBT (uma das maiores redesde televisão do Brasil) e dentre os julgadores estão alguns dos expoentesartísticos do cenário nacional.

Jorge écompositor, letrista, músico, intérprete. Um cronista lúcido - e lúdico - desua época. Dono de hits que venceram o tempo e derrubaram fronteiras. Hits taiscomo "Malandro", "Coisinha do pai", "Voufestejar", "Enredo do meu samba", "Eu e você sempre","Coisa de Pele" e até de uma "versão para cavaquinho" daclássica "Ave Maria" de Gounod. Um dos autores da talvez mais famosa"vinheta" nacional, a canção "Globeleza", feita para a RedeGlobo de Televisão. Uma das emissoras, vale dizer, que o contrataram comoanalista dos desfiles das Escolas de Samba do Grupo Especial.

O fenômeno JorgeAragão, que pretendia ser "apenas um bom e respeitado compositor",merece tudo o que está acontecendo com ele. Por seu talento, qualidade,integridade, compromisso musical. E, basicamente, pelo amor e devoção àmusicalidade plural de seu país. Porque, para os que ainda não sabem, Aragãonão é só um grande compositor de sambas e pagodes. Ele faz samba, pagode, mascanta também os rítmos do norte, nordeste e o amor como poucos. Suas harmoniassão sofisticadas apesar da fusão com a tonalidade popular. E, antes mesmo de setornar esse visível fenômeno, nosso "Chico Buarque do Samba" poderiaostentar qualquer merecido título. Como o seu xará da Capadócia, o ex-cronometrista de corridas de moto, ex-carregador de eletro-domésticos eex-vendedor de sapatos (profissões para as quais não tinha nenhum talento)Jorge é um guerreiro nato e iluminado. E, como todos igualmente já sabem, umdos maiores - e melhores - artistas brasileiros de todas as épocas.

Serviço:
Jorge Aragão

Dia: 20 de julho
Horário de abertura: 20h
Horário de início do show: 16 anos
Endereço: Av. InfanteDom Henrique, 85 – Parque do Flamengo
Telefone: 2272 2901
Classificação etária: 16anos
Capacidade: 2000pessoas
Twitter:@vivo_rio

Informações e compra de ingressos:
Preço:
Camarote A                          R$ 260
Camarote B                          R$ 230
Camarote C                          R$ 200
Frisas                                    R$ 160  
Setor 01                                R$ 260
Setor 02                                R$ 230
Setor 03                                R$ 200
Setor 04                                R$ 160
Setor 05                                R$ 130

Bilheteria do VIVO RIO –Rua Infante Dom Henrique, 85.
Horário de Atendimento: segunda a sábado: 12h às 21h edomingo e feriados: 12h às 20h.
Compra por telefone -Ingresso Rápido - Tel: 4003 -1212 
Horário de atendimento: segunda a sábado das 9h às 22h edomingo das 12h às 20h.
Taxa de conveniência (internet etelefone): R$ 30 por compra.

Meia-Entrada: estudantes, Professores da Rede Pública do Município do Rio de Janeiro emaiores de 60 anos são beneficiários de desconto de 50%. A venda demeia-entrada é direta, pessoal e intransferível e está condicionada aocomparecimento do beneficiário aos pontos de venda, munido de documentooriginal que comprove condição prevista em lei. É obrigatória a apresentaçãodos documentos também na entrada do espetáculo.
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!