"O Mágico de Oz": Um faz de conta que acontece


 
(Foto: Google Imagens)

Esqueça tudo que você sabe sobre a famosa história de "O Mágico Oz". A nova montagem de Charles Moeller e Claúdio Botelho cria um novo cenário cheio de efeitos visuais e tecnologia para contar a saga da pequena Dorothy e seu cachorrinho Totó. A contar pelo próprio teatro. O palco do Teatro João Caetano, no Centro do Rio, ganhou uma nova roupagem e moldura que lembra relógios e bússolas. No alto um telão de alta definição com nome do espetáculo dava sinais do que estava por vir. Grande é pouco para descrever este espetáculo que traz no elenco nomes de peso como os atores Luis Carlos Miéle, Lúcio Mauro Filho e atriz Maria Clara Gueiros.

Escrito há mais de um século por L. Frank Baum, ‘O Mágico de Oz’ ganhou fama com o célebre longa-metragem estrelado por Judy Garlandem 1939 e, de lá para cá, nunca esteve fora do centro da indústria mundial de entretenimento, em uma série de adaptações e também como referência para os mais variados criadores. A partir de 8 de junho, o palco do Teatro João Caetano receberá a versão autoral de Möeller & Botelho para o clássico.

(Foto: Rodrigo Vianna/Instagran)

A montagem é baseada na única adaptação autorizada para o teatro, feita pela Royal Shakespeare Company, seguindo praticamente todo o roteiro do filme, além de incluir toda a música incidental escrita para o cinema. Vencedor do Oscar de Melhor Trilha Sonora e Canção Original (‘Over the Rainbow’), o filme é reconstituído em todas as cenas na versão escrita por Jonh Kane para a RSC.

Como é de praxe, a dupla Möeller & Botelho tem total liberdade para adaptação da obra. Além de pensar em uma concepção mais adulta para o espetáculo, eles incluíram um número (‘Jitterbug’) cortado do longa, o Mágico (vivido por Miéle) ganhou uma canção inédita, com letra de Botelho sobre música de Harold Arlen, e toda a concepção visual e coreográfica é nova, fruto do trabalho em conjunto da direção com Rogério Falcão (cenários), Fause Haten (figurinos), Paulo Cesar Medeiros (iluminação) e Alonso Barros (coreografia).

Sem dúvida o destaque do espetáculo ficar por conta da dupla Maria Clara Gueiros e Lucio Mauro Filho com seus papeis muito bem desenvolvido. Ela por nos dar uma Bruxa Má do Oeste cheio de sarcasmo, ironia e copiadas atuais, ao mesmo tempo a atriz também interpreta a vizinha do condado do Kansas, que persegue a pequena Dorothy. Ele por transformar o Leão  Medroso num leão digamos um tanto quanto afeminado que nos fez lembrar em vários momentos “Alfredinho” seu inesquecível personagem de Zorra Total. Alias esta foi uma das grandes sacadas dos diretores e do ator rendendo os melhores momentos de comédia do peça
.
O cenário também precisa ser destacado. É impressionante como uma simples projeção bem feita pode causar uma sensação de efeitos em 3D e dar profundidade à cena. O sistema de som no entanto apresentou algumas falhas em alguns momentos, mas nada que atrapalha-se o andamento do espetáculo. Luiz Carlos Miéle no papel de Professor Marvel e Mágico de OZ demonstrou em alguns momentos mesmo que quase imperceptíveis um certo nervosismo em seu primeiro trabalho num musical desse porte. No entanto ele soube tirar de letra e mostrou profissionalismo e o mesmo talento que o faz ser considerado um dos grandes atores do teatro brasileiro. 

O Mágico de OZ é sem dúvida um espetáculo não só para crianças e adolescentes, mas sim para toda a família. Vale a pena conferir!

(Foto: Contracen@rte)

Sinopse resumida: Dorothy Gale (Malu Rodrigues) tem uma vida pacata com seus tios Henry (André Falcão) e Em (Bruna Guerin) em uma fazenda no Kansas. Após um tornado, ela – acompanhada de seu cachorro Totó – vai parar em Oz, onde conhece o Espantalho (Pierre Baitelli), o Homem de Lata (Nicola Lama) e o Leão Covarde (Lucio Mauro Filho). Juntos, os três seguem a Estrada de Tijolos Amarelos em busca do Mágico de Oz (Luiz Carlos Miéle) e enfrentam as vilanias da Bruxa Má (Maria Clara Gueiros).

Serviço:

O Mágico de Oz
De 8 de junho a 7 de outubro
Sextas, às 20h. Sábados, às 16h e 20h. Domingos, às 15h.
Teatro João Caetano - Praça Tiradentes, s/n.
Sextas: 
R$ 90 (plateia VIP),
R$ 80 (plateia),
R$ 80 (balcão 1)
R$ 50 (balcão 2)
Sábados e domingos: 
R$ 110 (plateia VIP),
 R$ 100 (plateia),
R$ 100 (balcão 1) e
R$ 70 (balcão 2)
Classificação: Livre
Duração: 150 minutos (com intervalo de 15 minutos)
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Obrigado pela sua opinião!
Contracene, seja o Artista!